A Corrida do Cristão

A cada quatro anos, atletas de diversas nacionalidades se reúnem num país previamente escolhido para disputar um conjunto de modalidades esportivas nos famosos Jogos Olímpicos. A bandeira olímpica representa a união de povos e raças, pois é formada por cinco anéis entrelaçados que indicam os cinco continentes e suas cores. Os gregos foram os precursores dos Jogos Olímpicos. Por volta de 2500 a.C. já faziam homenagens aos deuses. Mas foi somente em 776 a.C. que ocorreram pela primeira vez os Jogos Olímpicos de forma organizada. Quando os romanos invadiram a Grécia no século II, muitas tradições gregas, entre elas as Olimpíadas, foram deixadas de lado. Em 392 d.C., os Jogos Olímpicos e todas as manifestações religiosas do politeísmo grego foram proibidos pelo imperador romano Teodósio I, após sua conversão ao cristianismo. Contudo, em 1896, os Jogos Olímpicos foram retomados em Atenas, por iniciativa do francês Pierre de Fredy, conhecido com o barão de Coubertin (veja mais 

Amor que ela deseja. Respeito que ele precisa

Que dilema difícil enfrentam os pais – sofrem quando os filhos se casam, e sofrem quando os filhos nunca se casam. Mas esse sofrimento nem se compara à agonia de vê-los fracassarem no casamento.

I - ESTATISTICAS

  • Em 1920 1 divórcio para cada 7 casamentos.
  • Em 1940 1 divórcio para cada 6 casamentos.
  • Em 1960 1 para cada 4 casamentos.
  • Em 1977 1 divórcio para cada 2 casamentos.
  • Na década de 80 1 divórcio para cada casamento.

Com tais estatísticas quem pretende se casar? Bem! Quase todos.

Uma grande porcentagem da população se casará um dia. Estima-se que 96 por cento de homens e mulheres se casam. Dentre aqules que se divorciaram, a metade se casará novamente.

Apesar da dor do divórcio, o casamento continua sendo o tipo de relacionamento preferido pela maioria de homens e mulheres.

Apenas 10 a 15 por cento dos casais casados desfrutam de um relacionamento feliz.

Diálogo 16:3 2004 pág 15

35% dos funcionários que trabalham em escritórios não conseguem resolver os problemas pessoais em casa. Revista VOCÊ S/A de Fevereiro de 2011 pág 60

II - COMO SER FELIZ

1. Nunca deixe o romantismo do namoro.
2. Lembre-se de que não há problema que não possa ser resolvido com a ajuda de Deus.
3. Passar muito tempo juntos. É a chave do sucesso.
4. Fazer muito sexo. Quanto mais sexo fizer, mais íntimos e unidos serão.
5. Demonstrar amor.
6. Manter aberto os canais de comunicação com respeito.
7. Orar juntos.
8. Procurar ajuda profissional quando for necessário.

Em I Coríntios 7:28 Paulo diz: “Mas, se te casares, com isso não pecas; e também, se a virgem se casar, por isso não peca. Ainda assim, tais pessoas sofrerão angústia na carne...

É possível desfrutar um casamento duradouro e feliz se ambos os cônjuges desejarem sinceramente isso e fizerem todo esforço para alcançá-lo.

III - AMOR QUE ELA MAIS DESEJA. RESPEITO DE QUE ELE TANTO PRECISA.

Quando ela o ama, ele a respeita. Quando ela a respeita ela o ama.

Quando o marido se sente desrespeitado, é especialmente difícil para ela amar a esposa. Quando ela não se sente amada, é difícil para ela o respeitar. Esse é o desafio de todos os relacionamentos e 90% do motivo de muitos divórcios e separações.

O amor é fundamental, em especial para e esposa, mas o que temos deixado de lado é a necessidade do marido quanto ao respeito.

Alice: você como cristão independente que o Luciano em algum momento não a ame do jeito que deveria você precisa respeitá-lo mais ainda para que ele possa amá-la mais ainda.

O amor é essencial para você Alice, mas não para o Luciano

Luciano: Mesmo que a Alice em algum momento não o respeite e isso vai trazer a conseqüência de esfriar o teu amor por ela, você precisará demonstrar amor mais do que está demonstrando.

Um não pode ficar cobrando o outro e jogando na cara do outro, pois e médio prazo é o motivador da separação.

Respeito é fundamental para você Luciano, mas não para a Alice.

O pedido da Bíblia ao marido é: “Desfrute a vida com a mulher a quem você ama todos os dias da tua vida”. Ec 9:9

A ultima cerimônia de Casamento que realizei, terminei falando sobre respeito e amor. Algo em que hoje muitos conselheiros matrimoniais dizem ser o sucesso do casamento. Mas é bíblico também, e encontramos Ef. 5:33:

Esposa: respeito. O verbo aqui empregado é literalmente “temer”, da mesma raiz do substantivo no versículo 21, mas aquela palavra desperta em nossas mentes a idéia de medo, que é bem diferente do verdadeiro significado aqui. O amor não pode coexistir com o medo (I Jo 4:18). Temor é tanto reverencia como respeito, dos súditos para os governantes, dos servos para o seu senhor e agora das esposas para seus maridos. O orgulho, o espírito autoritário são sentimentos destrutivos para os relacionamentos que seria o oposto de temor ou respeito que seria a submissão de Paulo

Marido: amar. Os maridos devem amar suas esposas como ao próprio corpo. Quem ama a esposa a si mesmo se ama. Amor ágape, amor verdadeiro. Entregar uma rosa, lavar a louça de vez em quando (não sempre. Se não ficam mal acostumadas).

Ironicamente, a mais profunda necessidade da esposa – sentir-se amada – é minada pelo desrespeito dela para com o marido.

O que Paulo está dizendo como sugestão é a proclamação de um mandamento do próprio Deus.

O marido deve receber respeito incondicional, e a esposa deve receber amor incondicional.

Pedro diz a mesma coisa. (I Pe 3:1-2) ele diz que se o marido for desobediente a Deus, que ele “seja ganho sem palavra, pelo procedimento de sua mulher, observando a conduta honesta e respeitosa da esposa”. O marido que ele menciona é tanto cristãos como não-cristãos.

Não se trata de o marido merecer respeito (embora muitas vezes não o mereça), a questão é a esposa estar disposta a tratar seu marido de maneira respeitosa sem estabelecer condições. À medida que se abre o coração para Deus, o marido reabre seu espírito para a esposa pelo proceder.

Mais de 80% dos problemas nos relacionamentos é derivado do respeito e não do amor.

Ilustração (pag. 1064 da bíblia da família)

Quanto vale o seu cônjuge? 2 vacas ou 20 vacas. A história contada é de um rapaz que em vez de pagar 5 vacas que era a média normal para oferece o dote ao pai da moça. O rapaz ofereceu 20 vacas. Os amigos o criticaram por isso. Eles se casaram e viveram felizes ao ponto que todos os invejavam.

Ela era uma esposa amável, dedicada, amorosa, que não media esforços para agradar seu marido. Ela passou a ser admirada por todos, já que antes do casamento era vista como uma pessoa comum, sem graça, sem atrativos, e invejaram o rapaz.

Porque o rapaz acreditou nela e lhe atribuiu grandes valores – 20 vacas – diante de toda a comunidade. Daquele dia em diante, ela passou a acreditar nela mesma, e o resultado foi a sua transformação.

Às vezes, você olha para o homem que está ao seu lado, seu marido, e acha que ele só vale duas vacas. Na verdade, existem ocasiões em que você o daria de graça. Mas o que você precisa saber é que seu respeito o ajudará a ser um marido melhor. Quando ele percebe que você acredita nele, ficará fácil acreditar em si mesmo, como a moça que recebei amor e apreço pelas 20 vacas.

CONCLUSÃO

A jornada de um casamento espiritual e satisfatório nunca acaba, mas, durante a vida o cultivo do amor e a prática do respeito vai trazer uma conexão amorosa entre o casal.

Na maioria das vezes a falha tem sido a falta de respeito e não o amor pela esposa.

Os relacionamentos mais vitais são os familiares.

Sem amor dele, ela reage sem respeito; sem o respeito dela, ele reage sem amor.

Pr. Gerson Ritter

Distrital de Gramado - RS

Comentários

  1. Não acredito nesse amor!! so no amor de Deus.
    votos quebrados!casamentos, Deus crior,
    e a humanidade acabou.

    Nada é para sempre!!so creio em Deus! não confio em palavras de homenes,qd estava casada td parecia perfeito..não era...hoje eu penso nas grande mentira q vivi...t+ uma grande abraço.

    ResponderExcluir
  2. Acredito no amor e acredito no casamento. É uma instituição criada por Deus. Porém, é fundamental seguir as orientações mencionadas nesse texto!! Sem nada deixar faltar, pq é preciso muita intimidade e união entre o casal. E essa intimidade só acontece se houver muito amor, sexo e respeito!! E quanto as outras coisas virão como consequência no relacionamento a dois. Concordo plenamente com o que foi ministrado.

    ResponderExcluir

Postar um comentário