Curiosidades Bíblicas

Curiosidades dos aspectos culturais, sociais, geográficos e religioso!

Sermões

Sermões fáceis de pregar

Pensamentos de Ellen White

Coleção de Pensamentos de Ellen White - Diversos Temas!

Sermões para Ocasiões Especiais

Batismo, Santa-Ceia, Formatura e muito mais!

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

QUE TIPO DE CRISTÃO VOCÊ É?


INTRODUÇÃO

ILUSTRAÇÃO: “TIPOS DE CRISTÃOS”

Em 2004 na cidade de Bagé-Rs, um colportor e ancião chamado João Oliveira me prestigiou com uma lista que ele mesmo a chamou de “Tipos de Cristãos”. A lista era menor, mas procurei incrementá-la para exemplificar as mais diversas características dos cristãos modernos. Fique atento e diga a você mesmo se algumas dessas atitudes são aplicáveis à sua pessoa:

Tipos de Cristãos:

  • Borboleta: Pousa sempre numa igreja diferente.
  • Carrinho de Mão: Só vai à igreja se for carregado.
  • Climático: Ora está quente, ora está frio. (Síndrome de Laudicéia).
  • Fogo de Palha: Cristão luminoso, só de fachada. Acende, mas logo se apaga.
  • Galinha da Angola: Está sempre dizendo: “Estou fraco”.
  • Gatinho: Mimoso. Necessita ser bajulado.
  • Girafa: Não reconhecem seus erros. Ficam com nariz empinados e não baixam a cabeça para pedir perdão.
  • Manteiga: Derrete facilmente.  É melindroso e pensa que é um coitado!
  • Microscópio: Enxerga as pequenas coisas. Verifica minuciosamente os defeitos dos outros.
  • Pipa: Precisa ser guiado por outra pessoa.
  • Sansão: Vai à igreja à procura de lindas mulheres.
  • Self Service: Fazem da igreja um restaurante. Estão em busca de alimento na casa de Deus, mas quando retornam para as suas atividades corriqueiras, não é capaz de alimentar quem está faminto. 
  • Telescópio: Olha de longe e não faz nada para ajudar.
  • Trailer: Só anda se for puxado.
  • Turista: Vai à igreja de vez em quando.
Embora pareça uma lista engraçada com um certo tom de descontração, infelizmente reflete a realidade espiritual de muitos irmãos.

Eu arriscaria em dizer que a lista poderia ser duplicada e até triplicada. Mas permita-me sem constranger ninguém, apresentar mais 4 tipos de comportamento extraídos de 2 Reis 6:8-18 que norteiam a vida de muitos cristãos.

TEXTO BASE 

2 Reis 6: 8 a 18 (NVI)

 8 Ora, o rei da Síria estava em guerra contra Israel. Depois de reunir-se com os seus conselheiros, disse: “Montarei o meu acampamento em tal lugar”.
 9 Mas o homem de Deus mandava uma mensagem ao rei de Israel: “Evite passar por tal lugar, pois os arameus estão descendo para lá”.
 10 Assim, o rei de Israel investigava o lugar indicado pelo homem de Deus. Repetidas vezes Eliseu alertou o rei, que tomava as devidas precauções.
 11 Isso enfureceu o rei da Síria, que, convocando seus conselheiros, perguntou-lhes: “Vocês não me apontarão qual dos nossos está do lado do rei de Israel?”
 12 Respondeu um dos conselheiros: “Nenhum de nós, majestade. É Eliseu, o profeta que está em Israel, que revela ao rei de Israel até as palavras que tu falas em teu quarto”.
 13 Ordenou o rei: “Descubram onde ele está, para que eu mande capturá-lo”. Quando lhe informaram que o profeta estava em Dotã,
 14 ele enviou para lá uma grande tropa com cavalos e carros de guerra. Eles chegaram de noite e cercaram a cidade.
 15 O servo do homem de Deus levantou-se bem cedo pela manhã e, quando saía, viu que uma tropa com cavalos e carros de guerra havia cercado a cidade. Então ele exclamou: “Ah, meu senhor! O que fa­re­mos?”
 16 O profeta respondeu: “Não tenha medo. Aqueles que estão conosco são mais numerosos do que eles”.
 17 E Eliseu orou: “Senhor, abre os olhos dele para que veja”. Então o ­Senhorabriu os olhos do rapaz, que olhou e viu as colinas cheias de cavalos e carros de fogo ao redor de Eliseu.
 18 Quando os arameus desceram na direção de Eliseu, ele orou ao Senhor : “Fere estes homens de cegueira”. Então ele os feriu de cegueira, conforme Eliseu havia pedido.

CONTEXTO HISTÓRICO

Havia uma guerra em Israel. O rei da Síria, juntamente com os seus oficiais, traçavam planos em como derrotar o povo de Israel. Mas todas as vezes que os sírios se preparavam para a guerra, Deus revelava para Eliseu quais eram os planos do rei da Síria, de forma que os exércitos de Israel sempre escapavam de qualquer emboscada.

Ao ver que Israel sempre escapava das suas armadilhas, o rei da Síria pensou que houvesse um traidor entre os seus homens pois não possuía discernimento espiritual para compreender tal situação.

O fato é que Eliseu buscava os conselhos de Deus através da oração e somente neste relato, percebemos Eliseu orando duas vezes nos Vs. 17 e 18. Somente os que oram, recebem discernimento. Assim foi com Eliseu. O Deus todo poderoso revelava todas as coisas a fim de resguardá-los do mal.

O texto que lemos apresenta quatro atitudes, ou quem sabe, 4 tipos de cristãos. Você se encaixará em algum deles!


1. PESSOAS QUE SÓ ENXERGAM O NATURAL

O primeiro tipo de pessoa, só enxerga o natural. Aquilo que é obvio aos olhos naturais. Como se diz na linguagem popular, alguém que vê um palmo à frente do seu nariz.

Tanto o Rei da Síria como o servo de Eliseu representam essas pessoas.

Quando o rei da Síria viu que Israel conhecia seus planos ele disse: “Vocês não me apontarão qual dos nossos está do lado do rei de Israel?" (v. 11). Ele pensou que alguém estava o traindo.

Por sua vez, o servo do profeta Eliseu ao ver que o exército inimigo havia cercado a cidade para prendê-los, perguntou a Eliseu: “Ah, meu senhor! O que faremos?” (v. 15).

Estas atitudes revelam um tipo de pessoa que só consegue ver o natural, o que é lógico, o que é visível aos seus olhos naturais.

Só consegue enxergar os seus problemas, o tamanho dos gigantes.

Estas pessoas não conseguem enxergar o mundo invisível. Muitas vezes em uma casa há discórdias, brigas, ódio e muitas outras coisas, mas as pessoas não conseguem discernir que o problema acontece na esfera espiritual. Lares são destruídos, a situação financeira fica difícil, mas este tipo de pessoa não consegue ver nada além de que seus sentidos naturais dizem. Eles perguntam amedrontados: "Ah..., o que faremos?".

EFÉSIOS 6:12 DIZ: "A NOSSA LUTA NÃO É CONTRA CARNE, NEM CONTRA O SANGUE, MAS SIM CONTRA OS PRINCIPADOS, CONTRA AS POTESTADES, CONTRA OS PODERES DESTE MUNDO TENEBROSO, CONTRA AS FORÇAS ESPIRITUAIS DA MALDADE NAS REGIÕES CELESTIAIS."


2. PESSOAS SEM FÉ

O Segundo tipo de pessoa é alguém que reconhece a existência de Deus, mas  não possui a fé necessária para pedir-lhe ajuda. 

O rei da Síria sabia que Deus revelava os seus planos a Eliseu. Como não possuía fé no Deus de Eliseu, mandou prendê-lo. Nem lhe ocorreu que se Eliseu "sabia as palavras que o rei falava em seu quarto", certamente saberia que o rei queria prendê-lo. Tal atitude não impediria que Deus continuasse revelando a sua vontade e impedindo que Israel fosse pego de surpresa.

O rei Sírio, deveria ter orado a Deus e perguntado o que ele deveria fazer, qual o caminho a tomar, como resolver esta situação, mas em sua cabeça natural, cheia de lógica, o problema seria resolvido se Eliseu fosse preso.

Mandou prendê-lo. Cercou a cidade onde Eliseu estava. Enviou centenas de soldados que viajara, toda a noite. Armou uma grande estratégia militar, mas seu plano foi um fracasso. Ficou envergonhado. Tentou resolver a situação à sua maneira quando a solução do problema era espiritual e não física. As atitudes deveriam ser tomadas depois de muita oração.

Esse episódio nos ensina que nem sempre os caminhos de Deus concordam com a lógica do homem.

Muitas vezes, as pessoas fracassam na sua vida porque ao invés de buscar a Deus para saber o que fazer, fazem o que lhes vem a cabeça, o que "acham" que é o melhor caminho.

LEMBRE-SE: "O CORAÇÃO DO HOMEM PODE FAZER PLANOS, MAS A RESPOSTA CERTA VEM DO SENHOR."PV. 16:1


3. PESSOAS DE POUCA FÉ 

O Terceiro tipo de pessoa, é a pessoa que acredita em Deus. Crê que há uma solução espiritual, mas não consegue enxergar o quão perto está. 

O servo de Eliseu vivia com o profeta. Testificara muitos milagres, cria em Deus, mas não conseguia enxergar que Deus estava ali. Não conseguia crer que Deus iria livrá-los. Ficou apavorado. Pensou: "Estamos perdidos; estamos mortos. Que adiantou servir a Deus todos estes anos. Ah, meu senhor! O que faremos?”

Não percebeu a presença de anjos. Não percebeu que os problemas dos homens são só uma oportunidade para os milagres de Deus. Cria em Deus, mas em um Deus que está distante, em um Deus que não deve estar muito preocupado comigo, em um Deus que não está vendo a minha situação desesperadora. “Ah, meu senhor! O que faremos?” Ficou com medo, pois não tinha em seu coração o pensamento:

"...SE DEUS É POR NÓS, QUEM SERÁ CONTRA NÓS?". RM 8:31

O servo de Eliseu, como muitos cristãos, estava com os seus olhos espirituais fechados. Recebem o diagnóstico médico e ficam apavorados, desesperados, querem abandonar a fé. Parece que Deus está distante. Não sabem o que fazer, precisam ter os olhos abertos para enxergar que “Aqueles que estão conosco são mais numerosos do que eles” (Vs 16).


4. PESSOAS DE MUITA FÉ

 O Quarto tipo de pessoa, são as pessoas que veem o invisível, sabem que o poder está disponível e agem com tranquilidade pela fé e oração.

Eliseu era esta pessoa. Ele sabia o Deus que tinha. Seus olhos espirituais estavam mais abertos do que os seus olhos físicos. Não se preocupou com o exército inimigo, pois estava certo que “Aqueles que estão conosco são mais numerosos do que eles” (Vs 16). Não ficou com medo pois sabia que  “O anjo do Senhor é sentinela ao redor daqueles que o temem, e os livra” Sl 34:7

Eliseu orou. Não orou por si, mas por aquele que não cria: “Senhor, abre os olhos dele para que veja” (Vs 17). Deus ouviu a oração de Eliseu, e “Então o Senhor abriu os olhos do rapaz, que olhou e viu as colinas cheias de cavalos e carros de fogo ao redor de Eliseu” (Vs 17).

Havia mais anjos do que soldados armados. Não caberia mais cavalos e carros de fogo ao redor de Eliseu. O monte estava "cheio". Todo o tempo os anjos estavam lá, e Eliseu sabia disto, embora seus olhos naturais não vissem nada. Mas Eliseu era um homem diferente. Cria na oração. Via o invisível. Sabia que Deus não o abandona, que Deus cuida, que Deus protege os que o amam, que Deus interviria quando necessário, que Deus o livraria, que Deus estava presente olhando tudo, que Deus estava vendo a movimentação dos soldados, que Deus não falharia. Eliseu não fez uma oração apavorada, de última hora, quem sabe numa última tentativa. Não, ele nem orou por si. Ele estava tranqüilo, afinal, ele servia ao "Senhor dos Exércitos".

"Enquanto o inimigo descia contra ele, Eliseu orou ao Senhor: Fere, peço-te..."(Vs. 18). Não orou apavorado clamando por misericórdia. Não reclamou de Deus dizendo: "Que adiantou servir a Deus. Olha a minha situação agora". Eliseu tinha o controle da situação porque sabia que Deus tinha o controle da situação.  Simples assim!!!

CONCLUSÃO

ILUSTRAÇÃO: GELO NOS TRÓPICOS

Uma pobre mulher pagã tornou-se cristã, e era notável pela simplicidade de sua fé. Ao aceitar a Cristo ela O pegou literalmente pela palavra. Alguns meses depois de sua conversão, seu filhinho adoeceu. Seu restabelecimento era duvidoso. Precisava-se de gelo para o pequenino, mas naquele país tropical, longe das grandes cidades não era possível consegui-lo. "Vou pedir a Deus que mande gelo", disse a mãe ao missionário. "Oh! mas a senhora não pode esperar que Ele faça tal coisa", foi a resposta imediata.
"Por que não?", replicou aquela crente de coração simples. "Ele tem todo o poder e também nos ama. Assim o senhor nos ensinou. Vou pedir-Lhe, e creio que Ele vai me ouvir." Pediu a Deus e Ele lhe respondeu. Logo veio uma forte trovoada, acompanhada de uma chuva de pedras. A senhora pôde assim encher uma vasilha grande com pedrinhas de gelo. A aplicação fria era justamente o que a criança precisava, e recobrou a saúde." – Sunday School Times.

Talvez, algumas vezes em tua vida, parece que não há mais saída, que não há solução. Você tem vontade de chorar, se desespera e pensa em abandonar a fé. Saiba que Deus cuida de você e mesmo que você não veja nada com os teus olhos físicos, Deus ordenou aos seus anjos para te guardarem em todos os teus caminhos.

Então fique firme no Senhor. Tenha fé em Deus.

O tipo de cristão que Deus espera que sejamos, é uma pessoa capaz de ver o invisível pelos olhos da fé.

Apelo: Que tipo de Cristão você é?

H. A: 260, 261, 262, 272, 273

Adaptação: http://www.sermao.com.br/sermoes/que_tipo_de_cristao_voce_e/

Pr. Fabio dos Santos
Editor do Blog Nisto Cremos

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

O Amor à Primeira Vista Ocorre às Vezes Entre Duas Pessoas?

Raciocine comigo: nos relacionamentos não familiares, temos os estranhos, os conhecidos, os colegas, os amigos, os amigos íntimos e “aquela” pessoa especial.

Os amigos íntimos são poucos e podemos dizer que sabemos tudo sobre eles devido ao tempo de convivência; os amigos normais são menos conhecidos; dos colegas, sabemos apenas o pouco que escapa nos diálogos curtos que ocorrem em encontros ocasionais; os conhecidos, conhecemos de vista e sabemos pouca coisa além do nome; os estranhos... bom... acho que já deu pra entender.
Amor à primeira vista não existe. É necessário primeiro conhecer a pessoa para
ser capaz de amá-la.

Mas mesmo assim, já ouvi muitos jovens, inconformados, dizerem que conhecem muitas pessoas que se amaram no instante em que se viram.

Existe uma diferença entre sentimento de amor e amor verdadeiro. À primeira vista pode surgir o sentimento de amor, mas nunca o amor verdadeiro.

Esse sentimento que surge entre duas pessoas que se olham pela primeira vez, é um maravilhoso sentimento de amor, mais corretamente chamado de paixão. A paixão é diferente do amor verdadeiro, mas muito confundida com ele.

Alguns adolescentes chegam a adoecer de “amor”. É a famosa “paixonite aguda”. Já ouviu falar nessa doença? Quando se apaixonam, não conseguem pensar mais em nada, não conseguem estudar nem fazer mais nada... só pensando naquela pessoa, naquele rostinho maravilhoso e encantador que encontraram pela primeira vez.

Às vezes nem sabem o nome da pessoa, e o sentimento por esse estranho é o maior do mundo. Que dizer se descobrir o nome, alguém os apresentar e começarem a namorar?

Parece que tamanho sentimento pode até matar. Mas não mata não. É emocionalmente impossível manter esse sentimento constante por longo tempo. Por ser um estado de euforia emocional, a paixão tende a diminuir, mais cedo ou mais tarde.

É por isso que quando um adolescente se precipita e casa antes que esse sentimento diminua e volte à normalidade, acabará se decepcionando, pois a paixão diminui e logo será mais um adolescente desiludido e aborrecido. A pessoa sem a qual pensava ser impossível viver, perde o brilho, o doce, deixa de ser aquela pessoa “maravilhosa”.


Isso acontece porque a paixão é diferente do amor. A paixão é egocêntrica e
passageira, enquanto o amor é justamente o contrário. O indivíduo apaixonado
quer possuir a pessoa amada; quer ter certeza de que conseguiu conquistá-la e
sofre quando não tem essa certeza.

As diferenças entre sentimento de amor e amor verdadeiro são opostas. O sentimento de amor, ou a paixão tem duas características básicas:

1. É egoísta – “Eu quero você para mim.” É um desejo egocêntrico de posse. É a paixão que leva o indivíduo a não querer que o outro converse com alguém. O outro não pode sentar ao lado de ninguém, não pode conversar com mais ninguém... Alguns pensam que isso é amor, cuidado e proteção. Não, não é amor. É o sentimento chamado paixão, que é egoísta e quer apenas estar seguro de “ter”.

2. Não é permanente – Da mesma forma como a paixão chega, vai embora, porque é impossível uma pessoa viver nesse estado de êxtase sentimental para sempre. O indivíduo que se confunde e pensa que está amando, e se casa com alguém por quem está apenas apaixonado, pode ter problemas e decepcionar-se logo depois, porque o sentimento vai embora e a pessoa fica pensando: “Que coisa! Não amo mais...”. Já ouviu pessoas dizendo que vão se separar porque acabou o amor? O que acabou foi esse sentimento, porque é impossível mantê-lo constante.

Como distinguir amor e paixão?

Este é um grande problema do final do século XX e início do século XXI, tanto para os jovens adolescentes como para seus pais, além dos cônjuges do mundo todo e da Igreja Cristã, e até mesmo para mim.

Pra começar, amor verdadeiro é:

1. Dom de Deus.
2. Um princípio.
3. Razoável. Enxerga tudo. (Ao contrário do que se diz por aí)

Enquanto a paixão é:

1. Carnal e humana.
2. Apenas sentimento.
3. Irrazoável, obstinada e cega. (O que chamam de amor cego)

A Paixão surge de repente, como um raio.
O Amor surge como uma árvore que vai crescendo aos poucos, mas firme e forte.

A Paixão surge porque achou a pessoa o máximo, antes de conhecer e analisar suas qualidades e defeitos.
O Amor não desanima com pequenas falhas, mas não fecha os olhos para elas; procura ajudar a pessoa amada a crescer.

A Paixão usa o outro para satisfazer a carência de carinho, segurança e afeto.
O Amor não busca os próprios interesses. Visa felicidade do outro e oferece carinho, segurança e afeto sem cobranças.

A Paixão pode surgir por duas ou mais pessoas ao mesmo tempo.
O Amor é exclusivo, não trai no sentimento nem na ação.

A Paixão considera fundamental o visual.
O Amor considera fundamental o caráter.

O Apaixonado vive sonhando acordado, no mundo da lua...
Quem Ama sonha sonhos possíveis, com os pés no chão.

O Apaixonado nunca mostra o que realmente é por dentro.
Quem Ama é transparente e não esconde nada.

O apaixonado idolatra a pessoa de sua escolha, desafia toda restrição, é obstinado e precipitado.
Quem Ama aprecia as qualidades da pessoa amada, reconhece e aceita seus defeitos, respeita a individualidade e não ignora a razão.

PR. JOSÉ CARLOS EBLING
Doutor em Educação Religiosa e Aconselhamento Matrimonial pela Andrews University. Professor universitário e conselheiro matrimonial no UNASP - campus Engenheiro Coelho, SP. Autor dos livros : Namoro No Escuro, Mosaico Do Amor, Amigos Para Sempre, Sentido Único, Saúde No Relacionamento Familiar, Depressão : Você Não Está Sozinho, Perdas e Danos. Casado com Nair Ebling Diretora da faculdade de Educação no Unasp - campus II e autora de diversos livros Didáticos publicados pela CPB.

As 14 Posturas das Pessoas Bem-Sucedidas

Antes de ser excelente por fora você precisa ser excelente por dentro. Ser um profissional de qualidade é 10% Conhecimento, 10% Habilidade e 80% Atitude. Conheça as posturas vencedoras das pessoas bem-sucedidas e entre para o clube dos campeões disputados no mercado.

ERA UMA VEZ um vendedor chamado de Profissional Qualquer.

Ele se esforçava para ser melhor, mas seus resultados eram muito ruins.

Um dia, ele estava andando pela estrada feia do desemprego quando avistou um velho de barbas brancas com uma pasta na mão e foi logo perguntando: - Perdoe-me a curiosidade, o senhor tem toda a aparência de vencedor mas...não entendo...o senhor deve ter mais de 100 anos!

Muito mais, - respondeu o velho, - muito mais. Eu sou a competência profissional e...

Competência profissional?, - se surpreendeu o Profissional Qualquer...mas como?

Eu sou o Excelência em Ação, o Poder do Êxito, eu sou o Midas da Assertividade, pois em tudo que toco eu transformo em resultados, sou a Alavanca do Triunfo, a Força da prosperidade, o Máximo em otimização de talentos, mas, se quiser, pode me chamar de o senhor da Postura...

Senhor da Postura! Por favor, explique-me seus segredos, - clamou o Profissional Qualquer, se beliscando para saber se tudo aquilo era sonho ou realidade.

Bem, - continuou o velho, - eu vou tirar de dentro desta minha pasta 14 cartazes pequenos. Espalhe-os em toda sua casa: quarto, banheiro, cozinha, copa e, ao sair para trabalhar, leia cada um deles em voz alta. Em 14 dias você será um profissional proativo e assertivo. Os textos dos cartazes são esses:

1. A POSTURA DA ÁGUIA
Tenho uma auto-estima de vencedor.
Tenho uma auto-imagem de campeão.
A melhor empresa do mundo é a minha.
O melhor trabalho do mundo é o meu.
O cliente acredita porque eu acredito.
Jamais me desqualifico, pois sei que
não importa o ninho se o ovo é de águia.

2. A POSTURA DO EMPENHO
Treino meu potencial e meu empenho vira desempenho.
Invisto em mim e o que é comum vira incomum
e o ordinário se transforma em extraordinário.
Sempre faço perguntas táticas que geram emoção de competência.
Jamais digo: - Será que eu chego lá?
Pergunto sempre: - de que jeito eu chego lá?

3. A POSTURA DO FOCO ASSERTIVO
Consigo o que quero ajudando pessoas a conseguir o que elas querem.
Quanto mais eu penso nos clientes - mais dinheiro eu ganho.
Quanto mais eu penso no dinheiro - mais perco os clientes.
Quanto mais eu penso em mim, mais as pessoas me rejeitam.
Quanto mais eu penso nos outros, mais eu subo na vida.

4. A POSTURA DO OUVIDO CONSULTOR
Ouço mais e falo menos, por isso, tenho uma boca e dois ouvidos.
Ouço para compreender, não para responder. Ouço idéias, não palavras.
Ouço ativamente. Escuto dinamicamente. Falo empaticamente.
Eu não sei resolver o problema dos outros, eu apenas ouço e, depois,
digo: - Você se supera, você é maior que seu problema!, - pois o clamor
das pessoas é: - Eu só quero é quem me escute!

5. A POSTURA DA FITA MÉTRICA
Transformo meus sonhos em objetivos.
Divido meus objetivos em pequenas metas.
E transformo cada meta em ação produtiva mensurável.
Quantifico tudo. Entendo que se um resultado não puder ser medido
não é tão importante assim. Valorizo os controles estatísticos que
são o espelho de meu progresso.

6. A POSTURA DA SEGUNDA MILHA
Faço mais que a obrigação.
Quanto mais eu trabalho, mais “sorte” eu tenho.
Dou sempre um passo a mais, quando estou cansado.
Sigo a regra Lombardi: - O cansaço nos faz covardes.
Meu lema: - Funcionários precisam funcionar.

7. A POSTURA DAS ENERGIAS INQUIETANTES
Tenho fome de auto-superação.
Meu combustível é meu entusiasmo.
Nunca desisto, sou teimoso positivo.
Entendo que só qualidade pessoal gera qualidade profissional.
Meu bom-humor me mantém produtivo e forte em relações humanas.
E relação com produção é o que mantém minha saúde e meu emprego.

8. A POSTURA DA DERROTA AOS FANTASMAS
Sou maior que meu medo. Ele aparece, mas não prevalece.
Venço o medo, fazendo o que temo. O medo é um preconceito
de nervos e um preconceito se desfaz, - basta uma reflexão,
já dizia Machado de Assis.

9. A POSTURA DA NOVA FLEXIBILIDADE
Tenho mente aberta para novos conhecimentos. Sou flexível.
Ao mesmo tempo em que tenho idéias novas, sei escapar das antigas.
Sou veloz para não desaparecer e ágil para não empobrecer.
Transformo dados em informações. Transformo informações em conhecimentos, pois sei que com capital intelectual, disciplina, automotivação, ousadia, determinação e ética eu chego
além do topo da empregabilidade ou do empreendorismo.

10. A POSTURA DO DETALHE
Penso grande, mas nunca desprezo as pequenas ações.
Ninguém esmaga gigantes e, sim, formigas.
Ninguém tropeça no Himalaia ou nos Andes e, sim, nos
pedregulhos das estradas. É o detalhe que me foge que me faz
fugir a excelência. A competência está nos pequenos detalhes.
Vencer é crescer gradativamente, aos pedaços.
Superação não é eu fazer algo extraordinário,
É eu fazer só um pouquinho melhor o que já faço tão bem todo dia.

11. A POSTURA DO RELÓGIO
Administro meu tempo. Ponho coisas no tempo e tempo nas coisas.
Calendarizo tudo. O importante não é saber o que fazer e, sim,
o que fazer primeiro. Ser vencedor é administrar prioridades.
Por isso, nunca perco o foco. Sou seta, não círculo.

12. A POSTURA DAS CORREÇÕES
Eu nunca fracasso, apenas encontro maneiras que não funcionam e
transformo tudo em estratégias para eu desviar rotas e atingir a excelência.
Eu erro, mas eu não sou os meus erros.
Eu fracasso, mas eu não sou um fracasso.
Eu estou com preguiça, mas eu não sou preguiçoso.
Eu estou triste, mas eu não sou a tristeza.
Eu estou feio, mas eu não sou a feiúra.
Eu estou deprimido, mas eu não sou a depressão.

13. POSTURA DO DESLUMBRAMENTO
Meu desafio diário é seduzir clientes internos ( meus colegas )
e externos ( os lá de fora que pagam a conta ) e não apenas atendê-los.
Sou um profissional do encantamento e um gerador de resultados.
Ajo como um centro de lucros para minha empresa.
Eu nunca peço recursos, - eu sou o recurso.

14. A POSTURA DA ESPIRITUALIDADE
Conheço todas as técnicas para executar meu trabalho, mas sei que
amar não é uma técnica. Amar é uma entrega, por isso, trabalho com
paixão e comprometimento. Quando estou em depressão, oro ao Eterno.
Quando falha a auto-ajuda, peço a ajuda do Alto,
pois sei que paz na excelência não é caminhar para o Eterno,
é caminhar com o Eterno. Com paz não tenho estresse.
E sem estresse sou mais produtivo e feliz. E sendo feliz eu cresço
na empresa porque as pessoas gostam de estar perto de gente feliz.

O velho entregou os 14 cartazes da Postura e desapareceu na estrada.

Jamais alguém o encontrou de novo.

Até hoje, quando conta essa história, indaga o deslumbrado Profissional Qualquer. - Quem era aquele velho? O Anjo da excelência? O Príncipe da Motivação? Algum guru da nova administração? O Sábio da Assertividade? Um Zé das Emoções competentes?
Bem, não importa. A única coisa que se sabe é que depois daquele encontro estranho nunca mais aquele funcionário foi chamado de Profissional Qualquer.

Aconteceu com ele.

Pode acontecer com você.


MAURÍCIO GÓIS
É consultor filiado ao IBCO – Instituto Brasileiro de Consultores de Organização desde 1983. É colunista e articulista nas mais importantes revistas formadoras de opinião nacional como PEGN, Venda Mais, Vencer, Empreendedor, Banas Qualidade, Passarela, Lojas & Lojistas, Opinião, Personalité etc. Graduado pela Universidade Gama Filho do Rio de Janeiro. Pós-graduado em Marketing, fez cursos de especialização na American Management Association de New York, EUA e no Canadian Management Center de Toronto, Canadá.

Maurício Góis é palestrante em desempenho de alta performance.
contato@mauriciogois.com.br
www.mauriciogois.com.br
19 – 97008723 e 33853436

domingo, 4 de janeiro de 2015

Pensamentos do Espírito de Profecia (86) - É TEMPO DE ACEITAR OS APELOS DO ESPÍRITO SANTO!

http://4.bp.blogspot.com/_NdQOK97Yzk4/SdPQLzcL6OI/AAAAAAAACcU/DFPKC51N1-4/s200/0614114.jpg É coisa séria entristecer o Espírito Santo, e de que este é entristecido quando o instrumento humano procura dirigir-se a si mesmo, e se recusa a entrar no serviço do Senhor porque a cruz é muito pesada ou muito grande o desprendimento. O Espírito Santo procura habitar em cada alma. Caso seja Ele bem-vindo como hóspede honrado, os que O receberem se tornarão completos em Cristo.


Conselhos Sobre Saúde, pág. 561



DANIEL SILVEIRA
Membro da Igreja Adventista de Osório-RS. Pai do Ex-pastor Silvio Silveira (Falecido) e casado com Areli Silveira.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...