A Corrida do Cristão

A cada quatro anos, atletas de diversas nacionalidades se reúnem num país previamente escolhido para disputar um conjunto de modalidades esportivas nos famosos Jogos Olímpicos. A bandeira olímpica representa a união de povos e raças, pois é formada por cinco anéis entrelaçados que indicam os cinco continentes e suas cores. Os gregos foram os precursores dos Jogos Olímpicos. Por volta de 2500 a.C. já faziam homenagens aos deuses. Mas foi somente em 776 a.C. que ocorreram pela primeira vez os Jogos Olímpicos de forma organizada. Quando os romanos invadiram a Grécia no século II, muitas tradições gregas, entre elas as Olimpíadas, foram deixadas de lado. Em 392 d.C., os Jogos Olímpicos e todas as manifestações religiosas do politeísmo grego foram proibidos pelo imperador romano Teodósio I, após sua conversão ao cristianismo. Contudo, em 1896, os Jogos Olímpicos foram retomados em Atenas, por iniciativa do francês Pierre de Fredy, conhecido com o barão de Coubertin (veja mais 

Acontecimentos cronológicos da semana da paixão de Cristo



Domingo (9 de Nisan). A entrada triunfal; a visita silenciosa de Jesus ao templo; Sua volta para Betânia.

Segunda-feira (10 de Nisan). A figueira estéril amaldiçoada; segunda purificação do templo; Jesus cura os aflitos; volta à noite para Betânia.

Terça-feira (11 de Nisan). Último dia no templo (os gregos encontram Jesus no pátio exterior); último dia de ensino público de Jesus; lamento contra a elite religiosa; retirada para o Monte das Oliveiras e discurso sobre a segunda vinda; Judas fecha acordo de traição com os sacerdotes naquela noite.

Quarta-feira (12 de Nisan). Jesus em retiro silencioso com os discípulos.

Quinta (13 de Nisan). Preparativos para a Páscoa; a Ceia do Senhor; a traição de Judas; o discurso de despedida de Jesus aos discípulos e oração sumo-sacerdotal; Getsêmani; aprisionamento. Os eventos ocorridos depois da Ceia do Senhor foram depois do pôr-do-sol; conseqüentemente, agora era 14 de Nisan, ou quinta-feira à noite.

Sexta-feira (14 de Nisan). Jesus é levado para Anás, depois, para Caifás, e em seguida, para o Sinédrio; a negação de Pedro; Jesus é levado para Pilatos, depois, para o palácio de Herodes, e de volta a Pilatos. É açoitado, condenado e crucificado.

Comentários