A Corrida do Cristão

A cada quatro anos, atletas de diversas nacionalidades se reúnem num país previamente escolhido para disputar um conjunto de modalidades esportivas nos famosos Jogos Olímpicos. A bandeira olímpica representa a união de povos e raças, pois é formada por cinco anéis entrelaçados que indicam os cinco continentes e suas cores. Os gregos foram os precursores dos Jogos Olímpicos. Por volta de 2500 a.C. já faziam homenagens aos deuses. Mas foi somente em 776 a.C. que ocorreram pela primeira vez os Jogos Olímpicos de forma organizada. Quando os romanos invadiram a Grécia no século II, muitas tradições gregas, entre elas as Olimpíadas, foram deixadas de lado. Em 392 d.C., os Jogos Olímpicos e todas as manifestações religiosas do politeísmo grego foram proibidos pelo imperador romano Teodósio I, após sua conversão ao cristianismo. Contudo, em 1896, os Jogos Olímpicos foram retomados em Atenas, por iniciativa do francês Pierre de Fredy, conhecido com o barão de Coubertin (veja mais 

10 dicas infalíveis para uma comissão de nomeações objetiva e eficiente

1- Trabalhe para colocar cada membro do corpo (igreja) no melhor lugar. Um membro inativo ou fora do lugar será negativo para o corpo. Ex. uma perna que não se movimenta fará com que a outra trabelhe dobrado, assim acontece na igreja quando uns precisam trabalhar pelos outros.

2- Tente envolver o maior número de pessoas, pois quanto mais gente trabalhando, menor será o fardo e não haverá estresse no final do ano por parte de algum líder.

3- Trabalhe com pontos positivos das pessoas e não os negativos. Elogie a pessoa que você quer indicar em vez de criticar quem você não quer. Quando eu faço uma comissão sempre deixo claro uma regra: "aqui é proibido falar mal de alguém". 

4- Não trate assuntos de comissão, nesta reunião não é hora de resolver problemas dos departamentos, mas eleger os oficiais. Assim a comissão de nomeações vai durar a metade do tempo que normalmente dura quando não há essa orientação.

5- Observações, críticas ou problemas que impeçam alguém de assumir o cargo devem ser feitas em particular antes ou depois da reunião direto com o pastor. Não pedir para ninguém sair para observações, pois antes dela retornar ela já sabe quem e o que foi dito sobre ela, isso gera problemas de relacionamento.

6- Prefira o voto aberto, deixe o voto secreto para situações específicas em que há mais de um candidato a um cargo. Elegendo um diretor de departamento, peça para que ele indique seus associados, pois assim ele poderá formar sua equipe e terá mais chances de comprometê-los.

7- Não é errado se oferecer para uma função, isso pode gerar compromisso e envolvimento, desde que seja feito com humildade. Deve haver um espirito cordial nesta reunião, a ponto de mostrar que uma pessoa fará um melhor trabalho em determinado departamento. Pessoas amigas de contendas não devem ser indicadas para trabalhar nas nomeações.

8- Indicar somente quem estiver apto, fiel e com bom testemunho. Não se nomeia alguém como incentivo de frequência ou para melhorar a vida espiritual, mas para envolvê-la no corpo da igreja.

9- Vote para dois anos sempre que possível. Observe que os cargos eletivos no mundo político e até denominacional têm prazos de 4 a 5 anos. Um ano pode ser pouco para um membro aprender, ser capacitado e desenvolver um projeto mais arrojado.


10- Time que está ganhando não se mexe! Essa máxima tem sua verdade, e há muitos departamentos que o ideal é manter sempre que possível. Todavia, o bom líder é aquele que está sempre preparando um sucessor. Seu departamento visa envolver muitas pessoas, não sobrecarregando ninguém.

Pr. Yuri Ravem
Pastor do distrito de Sumaré - SP

Comentários