A Corrida do Cristão

A cada quatro anos, atletas de diversas nacionalidades se reúnem num país previamente escolhido para disputar um conjunto de modalidades esportivas nos famosos Jogos Olímpicos. A bandeira olímpica representa a união de povos e raças, pois é formada por cinco anéis entrelaçados que indicam os cinco continentes e suas cores. Os gregos foram os precursores dos Jogos Olímpicos. Por volta de 2500 a.C. já faziam homenagens aos deuses. Mas foi somente em 776 a.C. que ocorreram pela primeira vez os Jogos Olímpicos de forma organizada. Quando os romanos invadiram a Grécia no século II, muitas tradições gregas, entre elas as Olimpíadas, foram deixadas de lado. Em 392 d.C., os Jogos Olímpicos e todas as manifestações religiosas do politeísmo grego foram proibidos pelo imperador romano Teodósio I, após sua conversão ao cristianismo. Contudo, em 1896, os Jogos Olímpicos foram retomados em Atenas, por iniciativa do francês Pierre de Fredy, conhecido com o barão de Coubertin (veja mais 

O DIA DO SENHOR


INTRODUÇÃO

Nesta oportunidade consideraremos mais detidamente a origem, a natureza e o significado do 4º mandamento da Lei divina, que ordena observância do sábado do 7º dia da semana: – Êxodo 20:8-11

I – A  ORIGEM  DO  SÁBADO

A – O Sábado Originou-se na Criação
a)Muitos têm procurado ver na observância do Sábado uma instituição de origem judaica, babilônica, ou até mesmo cananita...
b)Mas o próprio mandamento do sábado, em Êxodo 20, estabelece que o sábado é de origem divina, e que a razão para a sua observância está no fato de que "em seis dias fez o Senhor os céus e a terra, o mar e tudo o que neles há, e ao sétimo dia descansou: por isso o Senhor abençoou o dia de sábado, e o santificou" (verso 11). Portanto o sábado originou-se na Criação, ainda num mundo perfeito, antes da entrada do pecado.

B – A Natureza Espiritual do Sábado – Gên. 2:1-3
a)Ao inaugurar o sábado, após os seis dias da criação, Deus concedeu-lhe virtude de salvação ("santificou"), graça ("abençoou") e paz ("descansou")
b)Deus "descansou, não como alguém que estivesse cansado, mas satisfeito com os frutos de Sua sabedoria e bondade, e com as manifestações de Sua glória.
"Depois de repousar no sétimo dia, Deus o santificou, ou pô-lo à parte, como dia de repouso para o homem." (Patriarcas e Profetas, p. 47)
c)E Cristo confirma o propósito do sábado ao declarar que "o sábado foi estabelecido por causa do homem" (Mar. 2:27); isto é, para o seu bem, como um canal de bênçãos ao homem.
d)"Deus viu que um repouso era essencial para o homem, mesmo no Paraíso. Ele necessitava pôr de lado seus próprios interesses e ocupações durante um dia dos sete, para que pudesse de maneira mais ampla contemplar as obras de Deus, e meditar em Seu poder e bonda- de. Necessitava de um sábado para, de maneira mais vivida, o fazer lembrar de Deus, e para despertar-lhe gratidão, visto que tudo quanto gozava e possuía viera das benignas mãos do Criador." (Patriarcas e Profetas, p. 48)
e)Portanto, o sábado é "o repouso divino para a inquietude humana"!

II – O  SÁBADO  NO  VELHO  TESTAMENTO

A – Durante o Período Patriarcal
a)Muito embora a Bíblia não apresente referências diretas ao sábado durante o período patriarcal, os patriarcas conheceram uma semana de sete dias:
– Gên. 7:4; 8:10, etc.; Jó 2:13; Gên. 29:27 e 28
b)Foi a observância do sábado que preservou o ciclo semanal inalterado desde a Criação do mundo.
c)"Santificado pelo descanso e bênção do Criador, o sábado foi guardado por Adão em sua inocência no santo Éden; por Adão, depois de caído mas arrependido, quando expulso de sua feliz morada. Foi guardado por todos os patriarcas, desde Abel até o justo Noé, até Abraão, Jacó." (O Grande Conflito, p. 453).
– Gên.26: 5

B – O Sábado Durante o Êxodo
a)"Em seu cativeiro tinham os israelitas até certo ponto Perdido o conhecimento da lei de Deus, e haviam-se afastado de seus preceitos. O sábado tinha sido geralmente desrespeitado. . ." (Patriarcas e Profetas, p. 258)
b)Um dos objetivos do êxodo, isto é, da saída dos israelitas do cativeiro egípcio, era o prover melhores condições para a observância do sábado:
–Sal. 105:43-45; Deut. 5:15
–A própria palavra "ociosos" em Êxodo 5:8 subentende uma cessação de trabalho físico num determinado período de tempo.
c)O sábado foi observado pelos israelitas antes da proclamação da Lei dos 10 Mandamentos do Sinai:
–Êxodo 16: 23
d)"O milagre do maná durou do 2º mês do êxodo (Êxo.16:1, 14, 15) até ao 1º mês da 40º ano, (Jos. 5:10-12; Êxo. 12:2-11; 16:35). O milagre repetiu-se por 2.000 sábados sucessivos. " (Modesto Marques de Oliveira, História do Sábado e Domingo, p. 22)

C – A Lei Dada no Sinai – Êxo. 20:8-11
a)A expressão "lembra-te" pressupõe familiaridade com o sábado.
b)"Êxo. 20:11 traça a obrigatoriedade do sábado não à experiência no deserto de Sim" (quando da instituição da dádiva do maná), "mas diretamente à Criação – prova decisiva de que o sábado não se originara no deserto de Sim. (. . .) A obrigatoriedade moral do 4º mandamento, tão freqüentemente negada, pode ser claramente mostrada pela referência à origem de todas as coisas." (Modesto M. de Oliveira, História do Sábado e Domingo, p. 22)

D – A Obrigatoriedade Universal da Observância do Sábado
a)A lei moral dos 10 mandamentos, que inclui a observância do sábado, é de obrigatoriedade universal a todos os homens: 
– Ecl. 12:13
b)E por esta razão a observância do sábado abrange não apenas os judeus, mas também os gentios:
– Isa. 56:.1-7

E – O Sábado como Sinal de Santificação
a)A Bíblia declara que, após a semana da criação, Deus "santificou" o sétimo dia (Gên. 2:3). Santificar significa separar para uso sagrado.
b)E a Bíblia acrescenta que o sábado é um sinal divino de santificação:
– Ezeq. 20:12 e 20
c)Como a Palavra de Deus afirma que sem a santificação "ninguém verá o Senhor" (Heb. 12:14), a observância do sábado, como sinal de santificação. é indispensável à salvação.
OBS.: A Bíblia não menciona a idéia da observância de um dia entre sete apenas; o mandamento divino é específico em declarar que "o Sétimo dia é o sábado do Senhor teu Deus" Êxo. 20:10 .

III – O  SÁBADO  NO  NOVO  TESTAMENTO

A – O Sábado antes da Cruz
a)A falsa acusação de que Jesus aboliu o sábado originou-se com os fariseus (João 9:16); porém eles nunca puderam apresentar uma acusação contra Jesus, a respeito do sábado, que fosse verdadeira (Mar. 3:1-6; Luc. 14:6). (M. M. de Oliveira, op. cit., p. 34)
b)Jesus atacou somente a fanática roupagem humana com a qual os fariseus vestiam o sábado (Mar. 7:2, 3 e 8), para torná-lo uma instituição mais benevolente (Mat. 12:12, etc.)
c)Jesus confirmou a observância do sábado indo à sinagoga aos sábados, conforme o Seu costume:
– Mar. 1:21; Luc. 4:16 e 31; 13:10
d)Na verdade Jesus nunca transgrediu qualquer porção da Lei de Deus:
– João 15:10; 8:46; Mat. 5:17 e 18
e)E o próprio Cristo declarou que o sábado é o Dia do Senhor (Mar. 2:28).

B – O Sábado Depois da Cruz
a) Jesus faz menção ao sábado vigorando após a cruz:
– Mat. 24: 20 (A destruição de Jerusalém foi no ano 70 AD)
c)Jesus morreu na 6ª feira da páscoa, na "hora nona", aproximadamente ás 15:00 hs. (Mat. 27:46-50). E no sábado, enquanto Jesus descansava no túmulo, os Seus discípulos também descansavam, "segundo o mandamento":
–Luc. 23:54-56; 24:1
–Isto indica claramente que a morte de Cristo na cruz do Calvário não aboliu a observância do sábado, antes a confirmou, como um memorial de Sua redenção.

C – Os Apóstolos Observavam o Sábado
–Atos 13:13, 14, 27, 42 e 44; Atos 15:21; 16:12 e 13; 18:4 e 11
a) Há referências bíblicas pata 84 sábados observados após a cruz, pelos cristãos da Igreja Primitiva.

D – A Prova Real de que Paulo Observava o Sábado, encontra-se nas suas próprias declarações, quando do seu julgamento em Jerusalém: – Atos25:8; 26:4-6
– "Quando Paulo esteve em Jerusalém pela última vez, os judeus levaram-no a julgamento perante o governador romano. Neste julgamento, os judeus procuraram tudo que puderam encontrar contra Paulo – suas doutrinas bem como sua conduta: (Atos 26:4-6) Eram os mesmos líderes que acusaram a Cristo e a Seus discípulos de transgressores do sábado. Se pudessem encontrar em Paulo qualquer coisa de que acusá-lo como transgressor do sábado, tê-lo-iam feito. Nada encontraram que dizer contra ele neste particular. Antes ouvimos Paulo dizer: Atos 26:4-6; 25:8; 26:7. Paulo jamais poderia haver afirmado isto, houvesse ele abandonado uma das mais sagradas observâncias dos judeus – o sábado." (W. E. Straw, citado por M. M. de Oliveira, História do Sábado e Domingo, p. 39).

Portanto o sábado continuou a ser observado pelos verdadeiros cristãos, mesmo após a cruz, da mesma forma como antes; porém, com um duplo significado – como um memorial, não apenas da Criação mas também da Redenção divina.

IV – A  PERPETUIDADE  DO  SÁBADO

A – O Sábado na Nova Terra
–Porém a observância do sábado não limita-se apenas ao período apostólico. Cristo disse que "o sábado foi estabelecido por causa do homem" (Mar. 2:27); portanto, enquanto existir a raça humana sobre a face da Terra, também o sábado estará em vigor.
–E mais do que isto a Bíblia afirma que nos "novos céus" e na "nova terra" o sábado continuará a ser observado:
–Isa. 66:22 e 23
B – De Eternidade à Eternidade
– Portanto o sábado transcende ao tempo. Ele originou-se no Éden, quando ainda era perfeito, e ele caminha para o Éden restaurado. O sábado é o santuário de Deus no tempo, ligando as duas eternidades.

CONCLUSÃO

A Bíblia estabelece a observância do sábado. Ele foi bom para Cristo, e o será também para nós.
O descanso do sábado é a provisão divina para o homem moderno volver o seu pensamento das inquietudes e perturbações da vida, para o seu Criador-Redentor, que é Cristo.
Na observância do sábado bíblico, encontramos uma provisão divina de salvação, graça e paz. A promessa divina é: Isaías 58:13 e 14
Que possamos ser santificados na observância do sábado, no verdadeiro espírito do sábado, que é o descanso na justificação pela fé, nos méritos de Cristo, que é o "Senhor do sábado"!

(Alberto Ronald Timm)

Comentários