A Corrida do Cristão

A cada quatro anos, atletas de diversas nacionalidades se reúnem num país previamente escolhido para disputar um conjunto de modalidades esportivas nos famosos Jogos Olímpicos. A bandeira olímpica representa a união de povos e raças, pois é formada por cinco anéis entrelaçados que indicam os cinco continentes e suas cores. Os gregos foram os precursores dos Jogos Olímpicos. Por volta de 2500 a.C. já faziam homenagens aos deuses. Mas foi somente em 776 a.C. que ocorreram pela primeira vez os Jogos Olímpicos de forma organizada. Quando os romanos invadiram a Grécia no século II, muitas tradições gregas, entre elas as Olimpíadas, foram deixadas de lado. Em 392 d.C., os Jogos Olímpicos e todas as manifestações religiosas do politeísmo grego foram proibidos pelo imperador romano Teodósio I, após sua conversão ao cristianismo. Contudo, em 1896, os Jogos Olímpicos foram retomados em Atenas, por iniciativa do francês Pierre de Fredy, conhecido com o barão de Coubertin (veja mais 

As Bem Aventuranças do Pregador



Bem aventurado o pregador que sabe como pregar.
Bem aventurado o pregador que encurta suas introduções.
Bem aventurado o pregador que modela a sua voz, e nunca grita.
Bem aventurado o pregador que sabe como e quando terminar.
Bem aventurado o pregador que se inclui entre os ouvintes
Bem aventurado o pregador cujos sermões são articulados e lógicos.
Bem aventurado o pregador cujos sermões constituem uma unidade, tem propósito definido, sendo cada palavra bem pensada e meditada.
Bem aventurado o pregador que permite sua congregação cantar um hino sem cortar uma só estrofe.
Bem aventurado o pregador que raramente emprega o pronome eu.
Bem aventurado o pregador que conhece e prega a palavra.
Bem aventurado o pregador que vive a mensagem que prega
Bem aventurado o pregador que é Cristocentrico.
Bem aventurado o pregador que sabe da sua necessidade do Espírito Santo.

Comentários

Postar um comentário