A Corrida do Cristão

A cada quatro anos, atletas de diversas nacionalidades se reúnem num país previamente escolhido para disputar um conjunto de modalidades esportivas nos famosos Jogos Olímpicos. A bandeira olímpica representa a união de povos e raças, pois é formada por cinco anéis entrelaçados que indicam os cinco continentes e suas cores. Os gregos foram os precursores dos Jogos Olímpicos. Por volta de 2500 a.C. já faziam homenagens aos deuses. Mas foi somente em 776 a.C. que ocorreram pela primeira vez os Jogos Olímpicos de forma organizada. Quando os romanos invadiram a Grécia no século II, muitas tradições gregas, entre elas as Olimpíadas, foram deixadas de lado. Em 392 d.C., os Jogos Olímpicos e todas as manifestações religiosas do politeísmo grego foram proibidos pelo imperador romano Teodósio I, após sua conversão ao cristianismo. Contudo, em 1896, os Jogos Olímpicos foram retomados em Atenas, por iniciativa do francês Pierre de Fredy, conhecido com o barão de Coubertin (veja mais 

A ordenança da humildade


Sermão para ocasião especial: Lava–pés

Título: A ordenança da humildade

Texto: S. João 13:12-17

Introdução:

A – O Senhor Jesus, ao fundar a Sua Igreja, deixou três ordenanças para seus seguidores:

1 – O Batismo: O portal de entrada da Igreja.
2 – A Cerimônia de Lava-Pés: Símbolo de Serviço.
3 – A Ceia: Símbolo do Sacrifício de Cristo.

B – Neste momento, teremos duas destas três ordenanças cristãs: O Lava–Pés e a Santa Ceia.

A – O Lava–Pés foi uma ordenança instituída pelo fundador do cristianismo: Jesus Cristo.

1 – “Levantou-se da ceia, tirou a vestimenta de cima e, tomando uma toalha, cingiu-se com ela. Depois, deitou água na bacia e passou a lavar os pés aos discípulos e a enxugar-lhos com a toalha com que estava cingido” (São João 13:4-5).
2 – A lição que é ensinada por este serviço. “Depois de lhes ter lavado os pés, tomou as vestes e, voltando à mesa, perguntou-lhes: Compreendeis o que vos fiz? Vós me chamais de Mestre e Senhor e dizeis bem porque Eu O sou. Ora, se Eu sendo o Senhor e Mestre vos lavei os pés, também vós deveis lavar os pés uns dos outros. Porque Eu vos dei o exemplo, para que, como Eu vos fiz, façais vós também. Em verdade, em verdade vos digo que o servo não é maior do que o seu senhor, nem o enviado maior do que o enviou. Ora, se sabeis estas coisas, bem-aventurado sois se as praticardes” (13:12-17).

B – Existem três motivos para praticarmos esta cerimônia:

I – Primeiro, uma ordem de Cristo: “Vós deveis lavar os pés uns dos outros” (V. 14).

A - Na vida, é muito fácil dar ordem: os pais dão ordem para seus filhos cumprirem; os professores dão ordens a seus alunos; os patrões dão ordem a seus empregados...
B - A coisa mais fácil deste mundo é dar ordens. O difícil é dar o exemplo. Jesus foi o nosso modelo perfeito. Ele podia dar a ordem porque já havia dado o exemplo, lavando os pés dos discípulos.

II – Segundo, Cristo nos deu o exemplo: “Porque eu vos dei o exemplo para que, como eu vos fiz, façais vós também” (V. 15).

A – Imagine você se Cristo não tivesse lavado os pés dos seus discípulos.

1-Mesmo sabendo que Cristo lavou os pés dos discípulos, dando-nos o exemplo, muitos cristãos modernos dizem: “Isto é coisa do passado. Não há necessidade de praticarmos hoje, por ser inconveniente”.

III – Terceiro e último – Uma Bem-Aventurança (Felicidade) para o praticante: “Ora, se sabeis estas coisas, bem-aventurados sois se as praticardes” (V. 17).

A – A palavra “bem-aventurados” no original grego, em que o Novo Testamento foi escrito, é “macarius”, que significa: felizes, altamente favorecidos.

1 – Muitas de nossas igrejas estão cheias de pessoas infelizes porque não querem se submeter à vontade de Cristo. Quando vêem o lava-pés e ceia eles fogem, perdendo a oportunidade de serem verdadeiramente felizes.

a)A felicidade não é para aquele que lê, nem para aquele que ouve ou vê, mas para aquele que pratica.

B – Infelizmente, a cristandade, de modo geral, tem se esquecido deste ensino do Mestre.

1 – Até mesmo muitos cristãos que se apegam somente ao Novo Testamento se esqueceram deste ensino de Jesus.

C – Mas você que veio para este culto não perca a oportunidade de ser feliz.

1 – Participe na cerimônia sem buscar evasivas nem desculpas. Lembre-se: Por maior que seja o seu problema ou o seu pecado, Jesus Cristo tem a solução.

Conclusão:

A - Fale com Jesus agora. Peça perdão a Deus. Esqueça o passado. Ele quer resolver o seu problema. Só assim você será verdadeiramente feliz, bem-aventurado.


Hinos Sugeridos: H.A. 395, 525, 536, 537.



Pr. Emmanuel de Jesus Saraiva
Natural de São Luís – Ma. Formado em Teologia, Pedagogia e Letras. Autor de dois livros: “Memórias da África” e “A História do Adventismo no Maranhão”. Trabalhou como pastor em várias igrejas no Maranhão, dentre as quais a Igreja Central de São Luís. Foi departamental de Jovens e Educação nas Missões Costa Norte, Central Amazonas e Nordeste e diretor do Educandário Nordestino Adventista – ENA. Por seis anos foi missionário na África, como diretor do Seminário Adventista de Moçambique, onde lecionou várias disciplinas teológicas, dentre as quais Homilética e Oratória. Casado com a professora aposentada Nilde Fournier Saraiva. Tem duas filhas: Raquel e Léia. Trabalhou como pastor por 35 anos. Hoje, jubilado, mora em São Luís - MA e atua como Ancião da Igreja do Colégio Adventista de São Luís - CASL.

Comentários