A Corrida do Cristão

A cada quatro anos, atletas de diversas nacionalidades se reúnem num país previamente escolhido para disputar um conjunto de modalidades esportivas nos famosos Jogos Olímpicos. A bandeira olímpica representa a união de povos e raças, pois é formada por cinco anéis entrelaçados que indicam os cinco continentes e suas cores. Os gregos foram os precursores dos Jogos Olímpicos. Por volta de 2500 a.C. já faziam homenagens aos deuses. Mas foi somente em 776 a.C. que ocorreram pela primeira vez os Jogos Olímpicos de forma organizada. Quando os romanos invadiram a Grécia no século II, muitas tradições gregas, entre elas as Olimpíadas, foram deixadas de lado. Em 392 d.C., os Jogos Olímpicos e todas as manifestações religiosas do politeísmo grego foram proibidos pelo imperador romano Teodósio I, após sua conversão ao cristianismo. Contudo, em 1896, os Jogos Olímpicos foram retomados em Atenas, por iniciativa do francês Pierre de Fredy, conhecido com o barão de Coubertin (veja mais 

Ide e Ensinai

Sermão para ocasião especial: Culto de Ação de Graças. (Formação de Professores).

Título: Ide e Ensinai

Texto: São João 13:13
Disse Jesus: “Vós me chamais o Mestre e o Senhor e dizeis bem; porque Eu o sou”.

Introdução:

A – Estamos reunidos neste lugar para celebrar este culto de ação de graças desta turma de formandos do curso de Pedagogia.

1-Durante o curso, vocês estudaram sobre muitas disciplinas diferentes: Metodologia do Estudo Científico, Português, Filosofia, Sociologia, Psicologia, Estudos Sociais, História da Educação, Ética e Educação, Pedagogia, Metodologia do Ensino-Aprendizagem, Didática, Holismo, Conscienciologia, Estatística Aplicada à Educação, Fundamentos Psicopedagógicos, Avaliação e Rendimento Escolar, Administração Escolar, Estágio Supervisionado e muitas outras disciplinas.

a) Quero neste culto de ação de graças dar a vocês a última aula.

B – Vocês escolheram um tema significativo: “Ide e Ensinai”. Bonito lema!

C - Vocês vieram a este lugar para ouvir a Palavra de Deus, para ouvir os conselhos do Livro Sagrado.

I – UMA VOCAÇÃO EXCELENTE.

A – Nos séculos passados cabia apenas ao homem o dever de ensinar as crianças. Só um homem poderia ser professor.

1 – Mas depois chegaram à conclusão de que as mulheres poderiam fazer este trabalho também com perfeição. O mundo mudou: hoje, existem mais professoras que professores.

B – Vivemos na era da corrida pela profissão mais rendosa.

1 – Hoje, os pais muitas vezes inculcam na mente dos filhos a escolher uma profissão mais rendosa. Que enriqueçam mais depressa.

a) Muitos pensam que a melhor profissão para seus filhos é aquela que lhe proporcionará mais dinheiro fácil. Hoje, muitos pais, vendo as coisas apenas em termo pecuniário, inculcam na mente de seus filhos a escolher uma profissão que lhe dê um retorno financeiro bem rápido. Muitos pais, desprezando a escolha que compete aos filhos, dizem:

(1) Seja médico, seja engenheiro, etc.

C – Escolher ser professor é escolher uma profissão pouco rendosa pecuniariamente.

D – No mundo hodierno em que vivemos, muitos correm em busca de uma profissão. Vocês, porém escolheram uma vocação.

1 - Não vá na onda daqueles que dizem zombeteiramente: “Hei de vencer, mesmo que seja como professor! Quem pensa assim, coloca o magistério na lista de última profissão.
2 – Alguém disse: “O educador é como uma ponte. Todo mundo passa e vai embora e ela fica inabalável no mesmo lugar”.

a) Quem sabe daqui a 20 anos vocês vão ter ex-alunos médicos, advogados, engenheiros, professores, diretores de escolas, políticos e, quem sabe, o Presidente da República.

(1) É nisto que consiste a glória e recompensa do educador.

Ilustração: Um velho professor falecera. No discurso fúnebre, um orador disse: “Este professor trabalhou tanto que não teve tempo para ganhar dinheiro. Morreu pobre”.

2 – Prezados formandos, vocês quem sabe, irão enfrentar esta tarefa. Trabalhar, trabalhar, não sobrando tempo para ganhar dinheiro e ficarem milionários.

a) Não obstante, uma coisa é certa: o trabalho de vocês não ficará sem recompensa.

E – Por que vocês escolheram tal profissão?

1 – Quem sabe, com o objetivo de imitar o Grande Mestre.

a) O mundo conheceu grandes mestres, tais como: Sócrates, Aristóteles, Immanuel Kant, Freud, Bloom, Roger, Piaget e outros, mas nenhum exerceu tanta influência na vida das pessoas como Jesus Cristo.

2 – Jesus é um exemplo de um magistério perfeito e profícuo.

a) Ele tinha amor pelas almas. Amava as crianças como ninguém.
b) “Deixai vir a mim os pequeninos”. – Sempre dizia.

II – JESUS, O GRANDE MESTRE.

A – Jesus ensinava porque gostava de ensinar.
- S. Mat. 9:35 (E percorria Jesus todas as cidades e povoados, ensinando nas sinagogas e pregando o evangelho do reino e curando toda sorte de doenças e enfermidades).
- S. João 13:13 (Vós me chamais o Mestre e o Senhor e dizeis bem porque Eu o sou).

1 – Importante: Jesus ensina com autoridade.
- S. Marcos 1:22 (Maravilhavam-se da sua doutrina, porque ensina como quem tem autoridade e não como os escribas).

a) Hoje, infelizmente, os professores estão perdendo a autoridade diante de uma classe e de seus alunos.

(1) Jesus, porém, tinha autoridade diante de todos, inclusive diante seus algozes.
(2) O contexto: Os soldados foram enviados para prender Jesus. Quiseram antes ouvi-lo para depois prendê-lo. Os soldados diziam entre si: “Quando ele cometer o primeiro erro, aí sim, é a hora de prender”.
(3) Ficaram ouvindo e aguardando o momento. Não conseguiram prendê-Lo... Ele tinha autoridade.

2 – Prezados formando, se você quiser ter poder em seu trabalho, imite o Mestre dos mestres – Jesus.
3 – Se deseja autoridade para vencer as agruras de sua profissão, você deve seguir os passos de Jesus, o Grande Mestre...
4 – Quer ter perfeição no seu mister, imite o modelo perfeito.

B – S. Marcos 10:1 (Levantando-se Jesus, foi dali para o território da Judeia, além do Jordão. E outra vez as multidões se reuniam junto a Ele, e, de novo, Ele as ensinava, segundo o seu costume).

1 – O texto está dizendo que Jesus ensinava porque tinha o costume de ensinar.
a) Era o Seu hábito: lecionar.

III – A RESPONSABILIDADE DO PROFESSOR.

A – Pensamento: “Ensinar não é preparar apenas uma mente, mas uma vida”.

1- Dizem que existem três tipos de educação:
a) A que prepara apenas a mente.
b) A que prepara apenas o corpo.
c) A que prepara também o espírito, e o ser todo.

B – “Ensinar é imprimir caracteres”.

1 – Muitas vezes o aluno molda a sua vida pela vida do seu educador.

a) Imita a letra, como o professor escreve, o andar, o falar, o vestir do professor...
b) Por esse e outros motivos, o educador precisa ser um modelo.
c) Já dizia o Prof. Orlando Ritter: “Num professor tudo ensina”.

C – Prezado formando, dedique todas as suas forças a este mister, e assim estará formando caracteres.

1 – E, sem nenhuma dúvida, você não ficará sem recompensa.

a) A recompensa do professor no fim da vida talvez não seja uma aposentadoria com muito dinheiro nos bancos e uma vida financeira tranquila.

(1) Mas a recompensa virá através de seus ex-alunos.

IV – A RECOMPENSA DO PROFESSOR.

Ilustração: O professor do aluno Grover Cleveland.

O professor emprestara um livro a um estudante muito pobre que não tinha condições de comprar. O tempo passou. Aquele estudante se tornou o presidente da sua nação. Chamava-se Grover Cleveland (1837 - 1908). Certa ocasião, ele foi a sua terra natal. Centenas de pessoas se acotovelavam para cumprimentar o presidente dos Estados Unidos da América. Na fila, estava o seu velho professor primário. Chegou finalmente a sua vez. Com o velho livro na mão, disse: “Presidente, o senhor conhece este livro? Eu o emprestei, quando o senhor foi meu aluno!
O presidente Cleveland abraçou o seu velho professor. Tomou o velho livro e autografou. Tempo depois aquele professor relatou: “Aquele foi o dia mais feliz de minha vida”.
Aplicação: Esta história pode acontecer com você. Ela se repetiu comigo. Eu também fui professor... Quantos alunos eu tive que hoje são formados e me realizo com eles.

Ilustração: Anos atrás, eu assistia a um grande evento evangelístico no Ginásio
Castelinho, em São Luís, lotado com cerca de dez mil pessoas. A atração era uma cantora de nome Viviane, vinda do Rio de Janeiro, que acompanhava o Pastor Bullon. Cantando, ela me reconheceu no meio da multidão, enquanto eu imaginava nunca ter visto aquela cantora com sua voz potente e melodiosa.
No final da reunião, ela se aproximou de mim, em meio à multidão, pois queria falar comigo, dizendo:
- O senhor se lembra de mim?
Usando de toda sinceridade, e imaginando que ela estivesse equivocada, disse-lhe:
- Não me lembro, sinceramente. Acredito ser a primeira vez que nos vemos.
Ela sorrindo disse:
- Qual nada; conhece, sim, eu sou Viviane. O senhor foi meu professor, quando era diretor do Instituto Adventista de Manaus. Eu era uma menina muito irrequieta e lhe dei muito trabalho na sala de aula...
Eu olhei firmemente em sua face, e me lembrei de sua família e dos detalhes de sua vida, quando era bem mocinha. Ela tinha razão: em meio a uma grande multidão, cantando, ela me reconheceu - eu fui o seu professor.


Ilustração: À procura do profissional mais importante do reinado.

Certo rei de outros tempos pensou em recompensar o cidadão mais importante do seu reino. Enviou seus Ministros de Estado que saíram pelo reinado à procura do cidadão mais digno. Marcou o dia da apresentação. Chegou o dia final. O rei estava em seu trono. Chegaram os seus ministros:
O primeiro Ministro – Trouxe um famoso advogado. (Palmas).
O segundo Ministro – Trouxe um grande financista. (Aplausos)
O terceiro Ministro – Trouxe um famoso médico. (Palmas).
O quarto Ministro – Aproximou-se do trono, segurando nos seus braços uma velhinha.
O rei perguntou: “Quem é esta mulher? O que fez de importante?
Disse o Ministro: “Ó rei, quando estes homens ilustres eram criança, ela foi a sua professora!”
Houve profundo silêncio. O rei, com lágrimas nos olhos, desceu do trono, e coroou aquela professora.

Aplicação: Prezados educadores, pode ser que estas histórias se apliquem em sua vida um dia.

Ilustração: Veja o caso do presidente Lula.
Na posse, ele homenageou a sua professora primária lá do interior de Pernambuco. Foi um dia feliz para ela.

Conclusão:

A – Dedique-se de coração a este trabalho.

1 – Porque fazendo assim você está imitando o Grande Mestre – Jesus Cristo.

B – Antes de subir ao céu, Jesus disse: “Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações ... ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dias até a consumação do século.” S. Mat. 28:19 e 20.

1 – Esta é a grande ordem do Mestre.

C – Que possam ter um magistério profícuo e cheio de recompensas.

1 – Que Deus abençoe a todos vocês!



Pr. Emmanuel de Jesus Saraiva
Natural de São Luís – Ma. Formado em Teologia, Pedagogia e Letras. Autor de quatro livros: "Memórias da África", "História do Adventismo no Maranhão". "História e Culura Africanas" e "A Influência Africana na Cultura Brasileira". Trabalhou como pastor em várias igrejas no Maranhão, dentre as quais a Igreja Central de São Luís. Foi departamental de Jovens e Educação nas Missões Costa Norte, Central Amazonas e Nordeste e diretor do Educandário Nordestino Adventista – ENA. Por seis anos foi missionário na África, como diretor do Seminário Adventista de Moçambique, onde lecionou várias disciplinas teológicas, dentre as quais Homilética e Oratória. Casado com a professora aposentada Nilde Fournier Saraiva. Tem duas filhas: Raquel e Léia. Trabalhou como pastor por 35 anos. Hoje, jubilado, mora em São Luís - MA e atua como Ancião da Igreja do Colégio Adventista de São Luís - CASL. 

Comentários