A Corrida do Cristão

A cada quatro anos, atletas de diversas nacionalidades se reúnem num país previamente escolhido para disputar um conjunto de modalidades esportivas nos famosos Jogos Olímpicos. A bandeira olímpica representa a união de povos e raças, pois é formada por cinco anéis entrelaçados que indicam os cinco continentes e suas cores. Os gregos foram os precursores dos Jogos Olímpicos. Por volta de 2500 a.C. já faziam homenagens aos deuses. Mas foi somente em 776 a.C. que ocorreram pela primeira vez os Jogos Olímpicos de forma organizada. Quando os romanos invadiram a Grécia no século II, muitas tradições gregas, entre elas as Olimpíadas, foram deixadas de lado. Em 392 d.C., os Jogos Olímpicos e todas as manifestações religiosas do politeísmo grego foram proibidos pelo imperador romano Teodósio I, após sua conversão ao cristianismo. Contudo, em 1896, os Jogos Olímpicos foram retomados em Atenas, por iniciativa do francês Pierre de Fredy, conhecido com o barão de Coubertin (veja mais 

Pessoas Espaçosas

Pessoas espaçosas são aquelas que invadem o espaço alheio. São aquelas para quem o seu próprio espaço não basta. São pessoas invasivas e invasoras da privacidade alheia. O mundo está cheio de pessoas assim.

Pessoas espaçosas são aquelas que fazem enorme propaganda de tudo o que fazem, sempre aumentando e valorizando as dificuldades, o trabalho, a própria eficiência. Pessoas espaçosas são aquelas que com seu mau humor invadem o bom humor alheio com seu olhar crítico, seu modo falsamente sisudo, condenando o comportamento dos outros.

Pessoas espaçosas são as que emprestam e não devolvem; as que falam alto demais atrapalhando o trabalho e a concentração alheios; são as que se trajam de forma inapropriada ao ambiente de trabalho com decotes abusados, saias curtas demais, excesso de adereços, etc.; são os piadistas de plantão que sempre têm uma anedota para contar durante o trabalho, desconcentrando as pessoas.

São espaçosos também os que vivem a contar vantagens sobre si próprios e que tudo o que possuem dizem ser melhor que o dos outros; os puxa-sacos; os que se metem na conversa alheia; os que vivem a dar conselhos a quem não os pediu e os que se acham bonitões, galãs, conquistadores. Você leitor poderá aumentar esta lista dos espaçosos o quanto quiser. A verdade é que não há mais quem suporte esses espaçosos que invadem nossa vida com sua xeretice, desrespeito, falta de educação. E os espaçosos estão em todos os lugares - supermercados, cinemas, empresas e até em nossas próprias casas.

A verdade é que temos que fazer um grande movimento de restauração da educação, da polidez, das boas maneiras, do respeito ao outro em nossa sociedade e em nossas empresas. Estamos perdendo qualidade de vida e muito dessa perda se dá por esses comportamentos antissociais que precisamos combater pela volta à educação, polidez e resgate da gentileza entre as pessoas.

Pense nisso. Sucesso!

PROF. LUIZ MARINS

Antropólogo. Estudou Antropologia na Austrália (Macquarie University/School of Behavioural Sciences) sob a orientação do renomado antropólogo indiano Prof. Dr. Chandra Jayawardena e na Universidade de São Paulo (USP), sob a orientação da Profa.Dra. Thekla Hartmann;

- Licenciado em História (Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Sorocaba); estudou Direito (Faculdade de Direito de Sorocaba); Ciência Política (Universidade de Brasília - UnB); Negociação (New York University, NY, USA); Planejamento e Marketing (Wharton School, Pennsylvannia, USA); Antropologia Econômica e Macroeconomia (Curso especial da London School of Economics em New South Wales) e outros cursos em universidades no Brasil e no exterior. 

Comentários