A Corrida do Cristão

A cada quatro anos, atletas de diversas nacionalidades se reúnem num país previamente escolhido para disputar um conjunto de modalidades esportivas nos famosos Jogos Olímpicos. A bandeira olímpica representa a união de povos e raças, pois é formada por cinco anéis entrelaçados que indicam os cinco continentes e suas cores. Os gregos foram os precursores dos Jogos Olímpicos. Por volta de 2500 a.C. já faziam homenagens aos deuses. Mas foi somente em 776 a.C. que ocorreram pela primeira vez os Jogos Olímpicos de forma organizada. Quando os romanos invadiram a Grécia no século II, muitas tradições gregas, entre elas as Olimpíadas, foram deixadas de lado. Em 392 d.C., os Jogos Olímpicos e todas as manifestações religiosas do politeísmo grego foram proibidos pelo imperador romano Teodósio I, após sua conversão ao cristianismo. Contudo, em 1896, os Jogos Olímpicos foram retomados em Atenas, por iniciativa do francês Pierre de Fredy, conhecido com o barão de Coubertin (veja mais 

UMA MELHOR TRADUÇÃO DE ROM. 1:17B - JUSTIFICAÇÃO

A tradução de Almeida – Edição Revista e Corrigida – apresenta: "Mas o justo viverá da fé"; enquanto na Revista e Atualizada no Brasil aparece "O justo viverá por fé".

Estudos recentes, feitos por ilustres exegetas, baseados na Teologia Paulina e em considerações específicas sobre a epístola aos Romanos têm sugerido que uma melhor tradução seria: “O justificado pela fé, viverá.”

O problema com o texto grego é o seguinte: ele pode ser lido de duas maneiras:

1ª) O justo / viverá pela fé.

2ª) O justo pela fé / viverá, ou o que for justificado pela fé, viverá,

Em outras palavras: a expressão – ek pisteos (pela fé) pode ligar-se ao verbo dzesetai (viverá) ou com o dikaios (o justo) apresentando em cada caso um sentido diferente.

É bastante conhecido o fato de que os primitivos manuscritos não possuíam pontuação alguma, e ao ser esta colocada a passagem poderia ser lida com sentido bem diferente ao ser alterada a sua pontuação. Esta afirmação pode ser comprovada com estes exemplos e com muitos outros que poderiam ser alistados.

Ressuscitou, não está aqui.

Ressuscitou? não, está aqui.

A voz daquele que clama no deserto: preparai o caminho do Senhor.

A voz daquele que clama: no deserto preparai o caminho do Senhor.

Em verdade te digo: hoje estarás comigo no paraíso.

Em verdade te digo hoje: estarás comigo no paraíso.

Em última análise, o problema de Rom. 1:17 segunda parte, é também um problema de pontuação como é facilmente deduzível.


Sabemos que a citação de Rom. 1:17 é tirada de Habacuque 2:4, mas que aparece na versão da Bíblia Septuaginta da seguinte maneira:

- O justo pela minha fé viverá.

A teologia de Paulo nos afiança de que o homem justificado pela fé é o único que possui vida. Ele insiste na tecla de que a lei não pode dar vida, porque esta vem unicamente de Cristo, recebida através da fé. O grande tema da epístola aos Romanos pode ser sintetizado nesta frase: O pecado conduz à morte; a justificação conduz à vida (Rom. 5:17, 21; 8:10).

Os escritores do Velho Testamento criam que a justificação vinha através da observância da lei: Lev. 18:5; Hab. 2:4, mas Paulo nos ensinou que a justificação vem através da fé em Cristo. A lei só poderia doar vida se o homem pudesse por si mesmo cumprir todos os seus requisitos, porém, isto não é possível.

O estudioso Anders Nygren em seu Commentary on Romans, página 86, afirma que a ênfase na primeira parte da epístola aos Romanos está na palavra fé, através da qual vem a justificação. Nos primeiros 4 capítulos – pistis ou o verbo pisteuo aparecem pelo menos 25 vezes, enquanto vida – dzoê, é usada 2 vezes. Em oposição nos 4 capítulos seguintes pistis (fé) é usada 2 vezes e dzoê – 25. Assim sendo nos primeiros quatro capítulos predomina a justificação pela fé, mas nos capítulos cinco a oito Paulo enfatiza a vida vitoriosa em Cristo ou a santificação.

Estudiosos sustentam que Paulo ao citar Habacuque, ele não queria dizer "viver pela fé", mas "ser justificado pela fé" ou sendo "justificação pela fé" é a condição necessária para alcançar vida.

Rudolf Bultmann, Theology of the New Testament, pág. 270 diz: "Se o homem, antes da fé, é um homem caído no poder da morte, o homem sob a fé é o homem que recebe vida. A passagem paralela de Rom. 5:1 – dikaiothentes ek písteos – justificados pela fé, nos confirma que esta será uma melhor tradução em Rom. 1:17.

Estudiosos profundos dos problemas exegéticos e de tradução, como Lange, Beza, Meyer e Dr. Benedito de Paula Bittencourt ligam "pisteos" com "dikaios" dando-lhe a seguinte tradução: "O homem que é justificado pela fé – viverá."

A prova de que estas afirmações são procedentes se encontra nas abalizadas traduções: Nygren, Beza, RSV, NEB, O Novo Testamento na Linguagem de Hoje.

Adaptado: Pr. Pedro Apolinário (Apostila de Textos Difíceis)

Comentários

Postar um comentário