CRESCER OU PERECER



Vimos ontem que podemos saber se estamos salvos agora. Observamos que não é errado estarmos certos de nossa salvação em termos de nosso relacionamento com Cristo hoje. A atitude contra a qual temos sido advertidos é a de sermos presunçosamente confiantes a respeito do futuro. Embora não haja base para a idéia de que "uma vez salvos, salvos para sempre", é importante que tenhamos certeza quanto ao nosso relacionamento com Deus e nossa salvação agora.

Estudamos oito pontos pelos quais podemos conhecer nossa situação.

Mas, dirá alguém, "eu não consigo alcançar os oito pontos". Esta incerteza pode levar a um problema. Quando falamos de conhecer com segurança que o nosso relacionamento com Deus é válido, corremos um risco. O risco de que aqueles que sentem não estar cumprindo os oito pontos possam ficar desencorajados ou busquem praticar os oito pontos . Ambos os caminhos podem ser desastrosos. Por outro lado há o risco de julgar-se alguém na certeza do relacionamento com Deus e acabar, não na incerteza mas em cegueira e engano de sua real condição.

Lembre-se, os frutos não surgem da noite para o dia. O mesmo ocorre com os frutos do Espírito. Lembre-se, também, que os frutos não crescem como resultado do trabalho. "As preciosas graças do Espírito não são desenvolvidas num momento". – Ellen G. White, Review and Herald, 28 de abril de 1910. Uma pessoa pode haver aceitado a Cristo e contudo não possuir muita evidência dos frutos do Espírito.

Estudemos cuidadosamente a importância do crescimento e o que o produz. Sabemos quão fútil é tentar crescer tentando crescer. Ao mesmo tempo temos um imperativo na Palavra de Deus de que devemos crescer. Desenvolvimento, progresso e aperfeiçoamento são esperados na vida cristã. Jesus deixou isto muito claro em Suas ilustrações da natureza: se você não crescer, perecerá. E Pedro reafirmou este princípio em sua familiar injunção: "Crescei na graça e no conhecimento do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo". 2 Pedro 3:18.

A germinação da semente representa o começo da vida espiritual, e o desenvolvimento da planta ilustra o crescimento cristão. "Como ocorre na Natureza, assim é na graça; não pode haver vida sem crescimento. A planta precisa crescer ou morrer". – Parábolas de Jesus, p. 65. É impossível dar nova vida à planta morta.

Minha esposa trouxe para casa duas roseiras. Nós as plantamos no melhor terreno. Procuramos regá-las abundantemente. Nenhuma delas cresceu. Finalmente, quando pareciam mortas, transplantamos uma delas para local possivelmente melhor. Ela começou então a crescer e ficamos animados! Transplantamos a outra também, mas já estava morta. Procuramos regá-la e fizemos tudo que sabíamos. Nada aconteceu. Foi impossível trazê-la à vida novamente.

Em Marcos, Jesus falou a respeito do crescimento da semente: "O reino de Deus é assim como se um homem lançasse a semente à terra, depois dormisse e se levantasse, de noite e de dia, e a semente germinasse e crescesse, não sabendo ele como". Marcos 4:26, 27.

Minha esposa e eu descobrimos cada manhã umas poucas novas folhas em nossa roseira ressuscitada. Emocionante! Poder miraculoso de Deus. Não sei como. Você sabe? "A terra por si mesma frutifica, primeiro a erva, depois a espiga, e, por fim, o grão cheio na espiga". Verso 28.

Jesus continuou: "É como um grão de mostarda". Verso 31. Pequena. Quando semeada na terra é a menor de todas as sementes, mas quando cresce torna-se a maior de todas as ervas e arremessa para cima grandes ramos para que as aves do céu possam abrigar-se a sua sombra. O mesmo ocorre na vida espiritual; não sabemos como, mas sabemos algo dos ingredientes pelos quais o crescimento tem lugar e da atmosfera, o ambiente natural, no qual ela espontaneamente ocorre.

Seria, na verdade, muito prejudicial uma pessoa dizer: Cumpro cinco desses oito pontos que provam que tenho um relacionamento salvador com Deus e estou me esforçando para cumprir os outros três. Lembre-se do que Jesus disse: "Considerai como crescem os lírios do campo". Mateus 6:28. Como crescem os lírios? Certamente não crescem pelo seu próprio cuidado, ansiedade ou esforço.

Você não poderá agir de modo diferente. A única maneira pela qual você e eu podemos crescer é pelo recebimento dos ministradores de vida – ar, luz solar, o solo e a água. (Ver Caminho a Cristo, p. 68.)
Mas, o que é o ar? O livro Caminho a Cristo descreve um estranho fenômeno. (Parece quase impossível você realmente pensar isso.)

"No dom incomparável de Seu Filho, Deus envolveu o mundo todo numa atmosfera de graça, tão real como o ar que circula ao redor do globo". (Pág. 68)

Você pode compreender isso? Eu não posso. Tudo que posso fazer é aceitar. O que esta declaração diz? Diz que Deus está tão interessado em ter-nos em Seu reino que até a atmosfera está pejada de Sua preocupação e desejo pela nossa salvação. "Todos os que respirarem esta atmosfera vivificante hão de viver e crescer até à estatura completa de homens e mulheres em Cristo Jesus". – Ibidem.

Eu aprecio a certeza dessa atmosfera. Você não aprecia? Mas eu devo escolher respirar a atmosfera vivificante do amor e graça de Deus.

Luz solar? Sim, necessitamos de luz solar; mas de que espécie? Malaquias refere-se ao "Sol da Justiça" (Ml 4:2). "Porque o Senhor Deus é sol e escudo; o Senhor dá graça e glória". Salmo 84:11. E Jesus disse isto claramente: "Eu sou a luz do mundo". João 8:11.

O solo? O que é isto? "Como a planta enraíza-se no solo, devemos também arraigar-nos profundamente em Cristo. Como a planta recebe o sol, o orvalho e a chuva, também devemos abrir o coração ao Espírito Santo". – Parábolas de Jesus, p. 67.
Desse modo, Cristo, através do Espírito Santo, faz mediação por nós. Cristo é o ar. Cristo é a luz solar. Cristo é o solo. Cristo é a água, ministrando através do Espírito Santo. Tudo termina no mesmo – Jesus. Essa é a razão porque é impossível a uma pessoa ser salva ou possuir qualquer espécie de certeza de sua salvação se Jesus Cristo não é o centro de sua vida.

O inimigo sabe disto. Ele sabe que a escada com a qual Jacó sonhou e que ligava a terra ao céu é Cristo e que tentar subir a escada, como Pedro sugeriu (2 Pedro 1:6), envolve a Cristo. Assim, uma desesperada tentativa de Satanás é manter nossa atenção desviada de Jesus. Ele não quer que O contemplemos. Essa é a razão porque ele fará tudo que puder para afastar-nos de uma vida devocional rica de significado, para reter-nos longe da Palavra de Deus.

O método preferido de Satanás é focalizar nossa atenção sobre nós mesmos. Uma pessoa egoísta é uma pessoa morta.
"Na vida que se centraliza no eu não pode haver crescimento nem frutificação. Se aceitastes a Cristo como Salvador pessoal, deveis olvidar-vos e procurar auxiliar a outros. Falai do amor de Cristo, contai de Sua bondade". – Idem, pp. 67, 68.

Deveríamos acautelar-nos do que quer que seja que possa distrair nossa atenção da fonte de nosso crescimento. Se estamos crescendo, se Cristo é o foco e o centro de nossa vida, então a nova natureza que nasceu deve prosperar. A velha natureza deve ser mantida em sujeição. A luz que vem à nossa senda brilha "mais e mais até ser dia perfeito". Prov. 4:18. Nova luz deve ser aceita. Desse modo a pessoa centralizada em Jesus cresce; ela aceita a verdade como lhe é revelada em vez de obstinadamente permanecer com o que tem sido bloqueado na infância. Continua a abrir-se à nova luz e verdade.

CRESCIMENTO ATRAVÉS DO TRABALHO

Há também um intimo relacionamento entre o crescimento cristão e o testemunho cristão. Aqui está um admirável comentário a respeito do testemunho cristão:

"A única maneira de crescer na graça é estar interessadamente fazendo a obra que Cristo nos incumbiu – interessadamente procurando expandir nossas habilidades para o auxilio e bênção daqueles que necessitam da ajuda que lhes podemos dar. [Estão vocês fazendo tanto quanto podem fazer?]" – Meditações 1953, p. 202.

"Muitos anseiam crescer na graça; oram sobre o assunto e ficam surpresos quando suas orações não são atendidas. O Mestre tem-lhes dado uma obra a fazer por meio da qual eles crescerão. De que vale orar quando há necessidade de trabalhar? A questão é: Estão eles buscando salvar almas por quem Cristo morreu? O crescimento espiritual depende de transmitirmos a outros a luz que Deus nos deu. (...) Falai do amor de Jesus; dizei de Sua bondade, Sua misericórdia, e Sua justiça; e cessai de lastimar quanto a se estais ou não crescendo". – Ibidem.

Não é interessante? Desse modo, mais cedo ou mais tarde, quando você falar sobre o crescimento cristão deverá encarar diretamente o testemunho cristão.

Finalmente, se Cristo é o centro de nosso crescimento e também a causa, começo e fim dele, qual é o próprio exemplo de Cristo concernente ao Seu crescimento? É muito interessante observar que Jesus veio de um mundo de glória onde era adorado pelos anjos e nasceu como uma desamparada criança em Belém. Sujeito às fraquezas humanas e exposto aos riscos de uma raça enfraquecida por quatro mil anos de pecado, em tudo semelhante a outros seres humanos, Ele teve de crescer da infância à adolescência, à juventude e à idade adulta, como todos nós.

QUESTÃO DE RAÍZES, NÃO DE SOLO

De que espécie de solo dependeu Jesus para Seu crescimento? Recordemos que o solo de Nazaré não era o tipo de terreno mais favorável ao crescimento de uma planta rara e bela. Era um tipo de solo que você pode encontrar em Las Vegas, Paris, Monte Carlo, Nova York ou Rio de Janeiro. Mas da lama e do pântano de Nazaré, conhecida proverbialmente naqueles dias por sua impiedade, veio o Lírio do vale em sua bela pureza e testemunho.

"Cristo (...) viveu (...) entre os ímpios habitantes de Nazaré. Este fato é uma repreensão aos que fazem depender de lugar, fortuna ou prosperidade o viver uma vida irrepreensível. Tentação, pobreza, adversidade, eis justamente a disciplina necessária para o desenvolvimento da pureza e firmeza". – O Desejado de Todas as Nações, pp. 50, 51.

Dessa maneira você não deve esperar um solo como o do Instituto Adventista de Ensino, ou de qualquer de nossas instituições para desenvolver a espécie de caráter que Deus designou para você. Não é necessariamente o meio no qual você vive e sim as raízes de sua alma que têm aceitado esta tremenda oportunidade de comunhão com Cristo Jesus. "Nosso crescimento na graça, nosso gozo, nossa utilidade tudo depende de nossa união com Cristo". – Caminho a Cristo, p. 68.

Jesus deixou claro que não faz diferença a cidade onde a pessoa viva, ou de que lugar do país ela venha, ou a sua origem familiar.

Você já tem observado os tremendos exemplos dos que se têm desenvolvido num meio pobre e desfavorável, e como esta atmosfera de graça que envolve o mundo pode penetrar tais mentes e eles correspondem? Algumas dessas maravilhosas experiências envolvem pessoas que tiveram um começo muito pobre. Do ponto de vista humano, você não poderia esperar muito deles. Contudo, eles ouviram a voz de Cristo e responderam.

Uma jovenzinha contou-me outro dia a história de seu passado. Este não parecia muito vantajoso. Repentinamente, porém, ela encontrou-se ansiando por Cristo, com um desejo de fé e confiança nEle. Eu disse: "Obrigado, Deus, isto é um milagre!"

É o mesmo milagre que faz crescer a grama e desabrochar as flores.

Assim se dá com nosso crescimento, nosso gozo, nossa utilidade. Tudo depende de nossa união com Cristo. "É pela comunhão com Ele, todo dia, toda hora – permanecendo nEle – que devemos crescer na graça". – Ibidem. Se assim não fizermos, morreremos.

Eu não desejo morrer. Não desejo ficar como aquela roseira morta no meu jardim. Quero ser como a outra, com sua folhagem e beleza; gostaria de saber o que significa, não tentar crescer, mas crescer pela participação nas tremendas oportunidades que Deus tem dado e através das quais isto acontece.

Você gostaria?

Comentários