quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

SALMO 16 – ONDE ESTÁ A SUA SEGURANÇA?


Vivemos em um mundo de insegurança. Há insegurança política, social e econômica. Não estamos seguros moralmente [a nova moral é imoral]; não estamos seguros fisicamente [os assaltantes à mão armada proliferam em um governo de impunidade]. Não estamos seguros politicamente. Não estamos seguros economicamente: o que hoje temos podemos perder a qualquer momento. Com efeito, não há segurança em nosso mundo moderno.

Entretanto, num mundo de tanta insegurança, podemos ter segurança, que é um dos grandes anelos de nosso coração, elemento indispensável para a preservação da vida. Mas como podemos encontrar a tão almejada segurança? Onde estaremos seguros?

O salmista Davi responde a pergunta no Salmo 16:1 e 2. Este é o salmo que nos fala de segurança. Temos aqui as maravilhas da inspiração que nos confortam num mundo tão inseguro como é o nosso. Este é o salmo da segurança, que nos conta qual é o segredo da segurança. Vamos conhecê-lo mais de perto. Aproximemo-nos da Palavra de Deus.

I – O SEGREDO DA SEGURANÇA [v. 1-2]

V. 1: “Guarda-me, ó Deus, porque em ti me refugio.”

Davi se refugiava nos buracos das rochas da Palestina quando em perigo, e agora escreve poeticamente para dizer que só há segurança em Deus. Deus é o nosso único refúgio, é a nossa maior segurança. Não há segurança fora de Deus. Os ateus não têm segurança. Os agnósticos não têm segurança. Os evolucionistas não têm segurança. Os incrédulos não têm segurança.

Mas eles buscam segurança em muitas coisas. Eles se asseguram nas suas riquezas, mas elas são efêmeras. Muitos se asseguram na sua posição; mas esta também é uma falsa segurança. Pode-se perder facilmente. Outros ainda põe a sua confiança no poder humano – mas igualmente falha a Tecnologia, a Ciência, a Filosofia.  Sócrates, Aristóteles e Platão - todos são contraditórios. Só há segurança em nosso Deus.

Que tipo de Refúgio é Deus? O verso 2 diz: ''Digo ao SENHOR: Tu és o meu Senhor; outro bem não possuo, senão a ti somente.''

1- Davi escreveu o que ele dizia a Deus. Assim ele se expressa: “'Digo ao SENHOR: Tu és o meu Senhor”. O que é que você diz a Deus? Na oração, devemos nos expressar, dizendo o que sentimos ou pensamos acerca dEle e dos Seus atributos. O que temos em Deus é estabilidade, segurança e firmeza. Você já disse isso a Ele? Já disse ao seu Senhor que você já O escolheu como o Senhor de sua vida? Muitos amam a Jesus como o Salvador, mas se esquecem de amá-lO como o Senhor, a Quem devem a obediência.
2- Davi escreveu que Deus é um Refúgio eterno. A palavra SENHOR está em garrafais, e isso indica que no original hebraico a palavra é JEOVÁ que significa Eterno. Portanto, poderíamos ler assim: "Digo ao Eterno: Tu és o meu Senhor". Com efeito, dizemos com reverência, que se Deus não fosse eterno, não poderia ser o nosso Refúgio, porque chegaria o tempo em que nós não teríamos mais refúgio.
3- Davi escreveu que Deus é o Único Refúgio. Se Deus é eterno, Ele é realmente um refúgio e é o único Refúgio. E isso é confirmado nas palavras seguintes: ''outro bem não possuo''. Davi não confiava nas suas riquezas. Davi confiava em Deus como o seu Salvador, como o seu Senhor. “Não tenho outro Refúgio senão a Deus, porque Ele é um Refúgio eterno”, o Único Refúgio confiável, hoje e sempre.

II - QUAL A CAUSA DA INSEGURANÇA? [v. 4]

V. 4: ''Muitas serão as penas dos que trocam o SENHOR por outros deuses; não oferecerei as suas libações de sangue, e os meus lábios não pronunciarão os seus nomes.'' ''Os que trocam o Senhor por outros deuses.'' Este verso nos fala de 3 coisas: 1º, a causa da insegurança, e 2º, os resultados disso e 3º, a resolução do salmista que deve ser também a nossa.

A causa da insegurança é abandonar o verdadeiro Deus e trocá-lo por falsos deuses. Por que o mundo está em uma grande crise de segurança? Por que há tanta insegurança em nossos dias? Alguns dizem que é porque não temos bons políticos, outros dizem que a nossa economia é problemática, outros dizem que falta mais educação, e que precisamos ensinar mais nas escolas sobre os bons modos dos cidadãos; outros colocam a culpa no alcoolismo e nas drogas que têm degradado o ser humano. Entretanto, a causa real da insegurança está no fato de que os homens trocaram de Deus.  

Todo aquele que não buscar ao Deus verdadeiro, e buscar falsos deuses, sofrerão a angústia da insegurança, e consequentemente muitas provas virão. Muito sofrimento terão de curtir os ímpios que não querem reconhecer o verdadeiro Deus, e O trocam por falsos deuses.

1 – Quais são as penas e os sofrimentos dos ímpios? Haverá tristeza, melancolia, abatimento do espírito. Haverá angústia, remorso, desespero. Haverá solidão e vazio de alma. Haverá fome e sede espiritual que não serão satisfeitos. Haverá misérias até à morte. Muitas serão as penas, os sofrimentos e castigos do ímpio, neste mundo e no porvir. O homem que adora a falsos deuses não pode ser feliz; ele vive sem paz, sem luz, sem razão.

2 – E quais são os deuses que os homens buscam hoje? Antigamente, os pagãos buscavam falsos ídolos feitos pelas mãos humanas, e os chamavam de deuses, deuses que tinham olhos mas não enxergavam, tinham nariz mas não cheiravam, tinham mãos que não apalpavam e ouvidos moucos que não podiam ouvir.

Eles eram chamados Baal, Astarote, Zeus e outros milhares de deuses como o deus do Sol, o deus da Lua, o deus das Estrelas, o deus do ventre, da fertilidade, o deus do mar e o deus do fogo, etc. Eram deuses de pau e pedra, deuses mortos, iguais aos seus adoradores.

Mas hoje, os homens adoram a outros deuses: o deus da carne, o sexo, o carnaval; o dinheiro, a riqueza, a fortuna fácil; a Tecnologia, a Ciência, o conhecimento experimental; o saber, a Filosofia, a opinião própria; a TV, os astros do cinema e da televisão; os artistas das novelas e dos filmes; o rock, o samba, as músicas populares e extravagantes, e por aí se perde uma multidão de pessoas que adoram a falsos deuses, e falsos ídolos, trocando o Deus verdadeiro por esses deuses falsos e medíocres.

Ninguém pode viver sem algum tipo de deus. Ou adora o verdadeiro Deus, ou vai trocá-lO por falsos deuses. E nós vivemos em um tempo em que estas coisas estão sendo banalizadas. A palavra “adorar” é usada para qualquer coisa. As pessoas dizem: “Eu adoro você!” “Eu adoro esse gato!” “Eu adoro manteiga!” O nosso grande inimigo sabe que esta banalização confunde as pessoas sobre a verdadeira adoração ao nosso Deus e ele sabe que só se adora a Deus. Você sabe que adorar é um ato exclusivo e santo só para Deus? Sabia que adorar qualquer coisa é pecar contra o segundo mandamento da Lei de Deus?

Portanto, qual é a determinação do salmista?
(1) “Não oferecerei as suas libações de sangue”. O que são libações? Libações são bebidas, que eram usadas no início do ritual de um culto pagão. De que eram essas libações? Eram bebidas de sangue. Os pagãos bebiam parte do sangue dos seus sacrifícios e o restante, derramavam no altar, em oferta aos seus deuses.

E hoje, será que isso existe? Não nos admiramos de que exista no mundo pagão; mas, e em nosso país considerado “cristão”? O pior é que isso existe ainda em nosso tempo e em todos os países. Em Rio Branco do Acre, eu tive a oportunidade de estudar a Bíblia com o jovem Leorne, casado, que me contou uma história horripilante. Ele foi convidado por uma médica para se encontrar com ela em um cemitério nas horas caladas da noite. Depois de lá se encontrarem, se dirigiram a um local marcado, onde se daria a cerimônia. Em um dado momento, a médica que havia levado algumas coisas estranhas que usaria, pegou uma galinha e começou a comê-la, ainda viva, rasgando o animal indefeso com os dentes e bebendo o seu sangue ainda quente, a escorrer pelo seu corpo, para espanto do seu amigo.

(2) Mas, diante de tudo isso, conhecendo a inclinação dos pagãos que praticavam essas coisas, o que mais Davi promete? Disse mais o salmista: “os meus lábios não pronunciarão os seus nomes.” Davi estava tão convicto da verdade e de um Deus tão real e verdadeiro que ele não queria nem conhecer a outros deuses, nem falar os seus nomes, porque isso não lhe interessava.

O que ensina a Psicologia sobre a memória? Qual é a maior descoberta sobre como você pode memorizar alguma coisa qualquer? Você pode navegar na Internet e procurar um bom programa de desenvolvimento da memória e você pode achar o “SuperMemo”. E qual é a regra mais importante que você vai encontrar? Depois de muita leitura de muitos princípios, eles vão lhe dizer que a regra número 1 é a repetição concentrada. Diga um nome, repita o nome, torne a dizê-lo, repita-o de novo, fale mais uma vez. Pronto: está gravado.

Satanás conhece esta regra. E através dos seus agentes, ele propaga o nome dos falsos deuses e falsos ídolos. Ele põe isso no rádio, nas manchetes, na televisão, nos painéis, nos jornais, nas revistas, nas cantigas de carnaval, e milhões ficam repetindo o nome de falsos deuses. E isso tudo é tão repetido, colocado em pequenas estrofes, que mesmo muitos cristãos estão caindo no seus ardis e repetindo esses nomes.

Qual é o método cristão para se livrar dessa avalanche, dessa enxurrada de poluição sonora e visual? Disse Ellen White que a solução divina para isso é evitar “ver, ler e ouvir tudo o que sugira maus pensamentos.” Se você não se concentrar nessas coisas, você terá ouvidos moucos e insensíveis para as coisas mundanas e o nome dos seus deuses serão esquecidos, apesar da repetição satânica. Disse Davi: “Os meus lábios não pronunciarão os seus nomes!”

III – OS ELEMENTOS DA SEGURANÇA

V. 5-6: “O SENHOR é a porção da minha herança e o meu cálice; tu és o arrimo da minha sorte. Caem-me as divisas em lugares amenos, é mui linda a minha herança.” Enquanto os apóstatas estão inseguros, sem uma certeza, Deus é a minha herança, diz o salmista. Deus mesmo era a sua herança. O que é uma herança? É uma riqueza que recebemos e que nos deixa seguros. Você caminha mais tranquilo. O seu futuro está garantido. Com efeito, herança é algo que fala de segurança.

“É mui linda a minha herança.” A beleza da nossa herança está na beleza dos atributos, poder e riquezas infinitas de Deus. Davi enaltecia os atributos e feitos poderosos de Deus como a sua herança. Ele confiava a sua segurança na herança que ele tinha em Deus que é o Dono do universo. Como disse alguém: “Não sou o dono do mundo, mas sou filho do Dono.”

1º Atributo: V. 7: "Bendigo o Senhor que me aconselha". Deus é um Ser pessoal, é um Pai, que Se relaciona com os Seus filhos, e nos aconselha a respeito dos nossos interesses humanos. Deus não é um ser impessoal como diz o Panteísmo. Deus é uma Pessoa que tem conhecimento completo, para aconselhar: Quem aconselha deve ter conhecimento da pessoa e das circunstâncias. Pois Deus tem um conhecimento completo de todas as pessoas e de todas as coisas, de todos os tempos. Isso é onisciência: Ele sabe de tudo. Conhece o fim desde o princípio, e pode ajudá-lo em todos os assuntos que lhe compete. Você pode ter esse conselho seguro e eterno em um Deus onisciente.

2º Atributo: V. 8: ''O SENHOR, tenho-o sempre à minha presença''. Ele agora está presente, e não só presente, mas Ele está ''sempre'' presente. Segurança depende da presença contínua e sem interrupção de Deus. Isto só pode ocorrer porque Deus é onipresente, e, portanto, está presente em todos os lugares ao mesmo tempo, e com todas as pessoas do mundo e do universo.

Você não pode fugir da presença de Deus. Porque se formos ao mais profundo abismo, lá Ele estará; se formos às mais altas nuvens, ele estará lá; se formos para dentro do oceano num poderoso submarino, lá Ele também estará. Isto é onipresença. Deus está presente, sempre, e em todos os lugares ao mesmo tempo.

Entretanto, qual é o segredo para manter a segurança? Note como diz o salmista: “o Senhor, tenho-O sempre à minha presença.” Ele está dizendo que ele tem a Deus, ao seu lado. Isso indica uma ação de sua vontade, que ele tem certeza de ter a Deus consigo e aprecia a Sua presença. Você gosta de estar à luz da presença de Deus? Então, você escorrega os joelhos nas primeiras horas do dia, e logo em seguida vai ler a Sua Palavra, e meditar nas páginas sagradas do Livro de Deus, antecipando o alvorecer? Davi fazia isso (Sl 119:147).

E você, qual é a sua prioridade? Você coloca a Deus em primeiro lugar? Para mantermos a segurança, precisamos colocá-lO sempre à nossa presença e fazer isso como o primeiro ato do dia. Tenha sempre a presença de Deus com você. Se nós tivermos sempre a Deus conosco, estaremos seguros.

3º Atributo: O v. 8, 2ª parte, ainda exalta outro aspecto de Deus como o único Refúgio eterno: ''não serei abalado!''. Isso nos lembra o poder e a onipotência divina: Com Deus não seremos abalados, pois Deus é Todo-poderoso. Ele tem poder para nos proteger de qualquer perigo.

As tempestades, os maremotos, os ciclones, os terremotos, os abalos sísmicos, as convulsões da terra e dos céus que serão abalados - tudo isso não poderá nos abalar se fizermos de Deus o nosso Refúgio, se nós confiarmos nEle como a nossa defesa; nós não seremos abalados, nós teremos segurança, a nossa única segurança, porque Deus é um Deus onipotente.

Portanto, não temos nada a temer. Certa vez, um menino loquaz e falador, caminhava junto ao seu pai, em um lugar solitário, e quando se aproximava a noite, as sombras se adensavam, e o menino começou a temer, mas logo se achegou ao pai, tomou a mão forte e calosa do pai e perguntou: “Papai, o senhor não está com medo, não é?” Não seremos abalados, se o Senhor está ao nosso lado, e temos consciência de Sua presença conosco.

IV - QUAIS SÃO OS RESULTADOS DA SEGURANÇA?

Qual foi a conclusão a que o Salmista Davi chegou?

1- Alegria: v. 9: "Alegra-se, pois, o meu coração, e o meu espírito exulta"; aqui temos um paralelismo sinônimo. A pessoa que está segura, é alegre, porque nada tem a temer. Alegria é um dom de Deus; é o resultado de Sua segurança pelo poder e fruto do Espírito Santo. Se estamos com medo e inseguros, não podemos ter alegria. Portanto, Deus primeiro nos dá a segurança, e logo vem a alegria.
Deus é um Deus maravilhoso, um Deus de alegria. Seria possível não amar um Deus onisciente, onipotente, onipresente e eterno, que é um Deus pessoal e amante, que quer nos dar refúgio e segurança, e alegria da salvação?

2- Repouso: v. 9, seg. parte: ''até o meu corpo repousará seguro.'' Ele está completamente estabilizado, porque até o seu corpo está seguro. Por quê? V.10. ''Pois não deixarás a minha alma na morte, nem permitirás que o teu Santo veja corrupção.'' - Aqui está a certeza da ressurreição. Davi crê que Deus não deixaria seu corpo no sepulcro, para sempre. Ele o libertaria das trevas e corrupção da sepultura, dando-lhe a imortalidade.

Este verso nos ensina algumas coisas importantes.
1) A alma pode morrer. Disse Davi que Deus não deixaria a sua alma na morte; isso indica que o destino da alma é a morte, no momento em que morre o homem. Isso indica que a alma é mortal. Não se engane com os defensores da imortalidade da alma. Este não é o ensino da Bíblia. Ela ensina que nada existe em nós que seja eterno ou imortal. Que somos mortais e nada sobrevive à morte. Nossa esperança está em Deus ao nos chamar na primeira ressurreição (1Ts 4:16).

2) Deus jamais esquece dos Seus filhos. Mesmo na morte. Esta é a nossa grande segurança que temos em nosso Pai amorável e bondoso, que sempre está atento aos nossos interesses. Ele não se esquece de nós quando estamos vivos e atende a todas as nossas necessidades. Mas também promete se lembrar de nós na morte, e ao estarmos em um profundo sono, no qual não há sonhos nem pesadelos, “o sono da morte” (Sl 13:3). Cristo se lembrará de nós, ao vir em Seu reino para levar-nos ao Céu. Crente nessa segurança, foi que orou o ladrão na cruz: “Senhor, lembra-Te de mim, quando vieres no Teu reino!” (Lc 23:42)

3) Este verso é messiânico e, portanto, também se refere a Jesus. Os escritores do Novo Testamento aplicaram estas palavras à ressurreição de Jesus Cristo. Sua ressurreição é a máxima certeza de nossa ressurreição; é a indicação de nossa eterna segurança. Sendo que temos um Deus que nos assegura a eternidade, qual é o futuro dos filhos de Deus?

3 – Vida. Este é o outro resultado da segurança em Deus. V. 11: “Tu me farás ver os caminhos da vida.” Por aí, vemos que aquele que não troca ao Deus verdadeiro por falsos deuses, tem o grande privilégio da vida eterna, porque anda nos "caminhos de vida", os caminhos que levam à vida. Os caminhos da morte estão nas drogas, na imoralidade, no adultério, no vício, na transgressão e no pecado. Os caminhos da vida estão na verdade e na Lei de Deus; na justiça e no amor.

4 – Felicidade. V.11, 2p: “na tua presença há plenitude de alegria, na tua destra, delícias perpetuamente.” Haverá também felicidade completa, um estado de satisfação indizível, jamais sentida no coração humano, que é descrita pelo salmista como a "plenitude de alegria". Haverá felicidade completa e incomparável, jamais experimentada neste mundo: haverá “delícias perpetuamente”; portanto, isso também indica felicidade eterna e imortal.

Será que você gostaria de possuir tanta segurança e tamanha felicidade? Não nos esqueçamos de que isso tudo recebemos apenas de Deus. Busquemos ao Senhor mais confiantemente. Aproximemo-nos dAquele que está tão perto de nós. Entreguemo-nos inteiramente a Jesus Cristo, o nosso grande Deus e Salvador. E nós estaremos seguros e felizes.

Pr. Roberto Biagini
Mestrado em Teologia
prbiagini@gmail.com

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...