terça-feira, 16 de outubro de 2012

JESUS, O VERBO DE DEUS

Exposição de João 1: 1-5,14

Quem é Jesus Cristo para você? Se eu lhe perguntasse, o que você diria? Você conhece mesmo a Cristo? Quanto você pode dizer que conhece a Jesus?

O texto que acabamos de ler apresenta a Jesus Cristo como Aquele que é o Verbo de Deus, é o Criador, é a Vida e é a Luz. Aqui temos o sermão para hoje.

I – JESUS É O VERBO

O que é Verbo? A palavra “Verbo” é tradução da palavra grega “logos”. Conhecemos essa palavra porque ela está em muitas palavras de nosso idioma. Todas as “logias” vêm de logos. Teologia, Fisiologia, farmacologia, Psicologia etc, todas contém a palavra grega “logos”. Logos significa Palavra, Verbo, Expressão, Estudo, Discurso, Ensino.

Uma palavra é uma expressão: por palavras nós articulamos nossa fala. O Verbo, a Palavra de Deus, é então, a Divindade expressando-Se a Si mesma em termos audíveis. 

Mas por que Jesus Cristo é chamado de Verbo, ou Palavra? Qual é a força e o significado desse título? Podemos começar a dizer que Jesus Cristo era o Porta-voz de Deus. Em Hebreus, nós lemos que antigamente Deus falou aos nossos pais, pelos profetas, mas nestes últimos dias nos falou pelo Filho (Hb 1:1,2). Isso porque Ele é o Porta-voz final de Deus.

Mas em Apocalipse, lemos que Jesus Cristo é o Alfa e o Ômega (Ap 1:8), que são a primeira e a última letras do alfabeto grego. Isso quer dizer que Jesus é o Alfabeto de Deus, o Único que soletra a Divindade, o Único que expressa tudo o que Deus tem a dizer. 

Mais claro ainda, talvez, sejam as palavras de João 1: 18: “Ninguém jamais viu a Deus; o Deus unigênito, que está no seio do Pai, é quem O revelou.” Portanto, Jesus Cristo é, não somente o Alfabeto, o Porta-voz como é também o Revelador de Deus.

Cristo então, é Aquele que faz inteligível o incompreensível Deus. A força do título “Verbo” pode ser descoberta no título que tem as Escrituras Sagradas. O que é a Bíblia? É a Palavra de Deus. O que isto significa? Significa que as Escrituras revelam a mente de Deus, expressam a Sua vontade, fazem conhecidas as Suas perfeições e relatam o Seu coração, bem como o Seu caráter. Isto é precisamente o que Jesus Cristo tem feito pelo Pai.      

Quais são os atributos do Verbo, de acordo com o nosso texto?


1. O Verbo é Eterno. “No princípio era o Verbo.” O que significam estas palavras? A que princípio se refere? Há outro princípio em Gn 1:1: “No princípio criou Deus os céus e a terra”. Moisés está falando da criação deste mundo. Mas João vai muito além, porque fala do princípio que existiu antes de todos os princípios. Ora, se Jesus estava lá antes de todos os princípios, Ele mesmo não tem princípio.

Vamos ilustrar isso. Certa vez um homem visitou a sua cidade natal, depois de muitos anos. E quando ele estava lá falando com alguém, essa pessoa lhe perguntou: “De onde você é?” Ele respondeu: “Eu sou daqui.””É mesmo? Então você conhece bem a cidade?” Ele respondeu: “Eu estava aqui desde o princípio!” O que isso quer dizer? Isto significa que antes da cidade nascer, ele já estava lá, e já existia. Assim também com respeito ao Verbo: Antes do princípio de todas as coisas, antes da criação de todo o universo, Ele já era, Ele já existia, Ele já estava lá. Por isso, João escreveu: “No princípio era o Verbo”, porque Ele é eterno. “As Suas origens são desde os dias da eternidade”, como disse o profeta Miqueias (5:2). Portanto, Ele é eterno, sem princípio e sem fim.

Quanto tempo dura a eternidade? Alguém ilustrou isso com a seguinte suposição: Vamos imaginar que há uma montanha de ferro, e que um pássaro vem a essa montanha afiar o bico de mil em mil anos. Então, o pássaro após cada mil anos volta para visitar a montanha de ferro a fim de afiar o seu bico. E assim, se passam muitos milênios, até que finalmente, a montanha se desgasta. E quando a montanha se desgastar toda, então, terá apenas iniciado a eternidade. Mas é apenas uma ilustração, porque a eternidade não tem começo e jamais terá fim. Assim é o Verbo: Jesus Cristo não teve começo, e jamais terá fim, porque é eterno.

2. O Verbo é Pessoal. “E o Verbo estava com Deus.” Estas palavras denotam uma personalidade separada. Indicam que o Verbo era uma Pessoa, e não uma coisa, ou um poder simplesmente.

No tempo de João os Gnósticos, um tipo de filósofos gregos, diziam que o “logos” era uma emanação de Deus, algo que se desprendia de Deus, como os raios se desprendem da luz para iluminar. Entretanto, João não diz, nesse texto, que o Verbo estava “em” Deus, mas “com” Deus. Isto indica o companheirismo, a comunhão na presença de Deus. Isto indica que o Verbo não era uma emanação de Deus, mas uma Pessoa que podia desfrutar de uma companhia com Deus.

3. O Verbo é Deus. A frase seguinte é esta: "E o Verbo era Deus." (v. 1). Não poderia ser mais clara a afirmação da divindade de Jesus Cristo como o Verbo que era e é Deus. Houve filósofos do tempo de João que duvidaram da divindade de Cristo, dizendo que Ele era apenas um anjo que fora originalmente criado por Deus. Mas João, inspirado pelo Espírito Santo, põe ao descrédito tal conceito, afirmando claramente que Jesus Cristo é Deus.

Alguém poderia perguntar: "Mas como pode o Verbo estar com Deus e ser Deus ao mesmo tempo?" Haveria uma contradição entre a 2ª e a 3ª cláusulas? De fato, apenas aparente, porque não há contradição nenhuma.

Em primeiro lugar, o Verbo sendo Jesus Cristo estava na companhia de Deus o Pai. E isto por toda a eternidade, como Ele mesmo disse em João 17:5: "... glorifica-me, ó Pai, contigo mesmo, com a glória que eu tive junto de ti, antes que houvesse mundo." Jesus Cristo desfrutava da glória do Pai antes da criação de qualquer mundo.

Em segundo lugar, Jesus estava na companhia de Deus, o Espírito Santo. A palavra "Deus" não inclui apenas o Pai, senão também o Espírito. Jesus Cristo também estava na glória do Espírito Santo como se percebe do profeta Isaías que escreveu sobre a glória de Jeová, e viu a glória de Cristo (Jo 12:41), mas lá também estava o próprio Espírito Santo (Isa 6:3,8 com Atos 28:25). Portanto, quando João diz que o "Verbo estava com Deus", na companhia de Deus, quer dizer não só o Pai mas também o Espírito Santo, porque Este também é Deus (Atos 5:3-4). Assim, o Verbo estava com Deus: com o Pai e com o Espírito Santo.

Em terceiro lugar, se "o Verbo estava com Deus", e "o Verbo era Deus", temos a confirmação da própria Trindade. Muitos estão dizendo que, pelo fato de Cristo ser o Filho de Deus, Ele necessariamente, tem de ter sido originado do Pai e do Espírito Santo. E dizem mais: o Espírito Santo não é uma Pessoa, é apenas uma parte de Deus, como nós também temos o nosso espírito. E assim, querem desfazer a doutrina da Trindade. Mas isso parte do fato de que não compreenderam a palavra "Deus" na Bíblia e na teologia que ela ensina.

Precisamos ampliar a nossa compreensão da palavra "Deus". "Deus" não é um nome, mas um título, assim como rei, presidente ou governador. Temos acostumado a nossa mente a pensar no Pai quando ouvimos a palavra "Deus". Mas, biblicamente, a palavra "Deus" é o título da nossa Divindade. É o título do Ser supremo a Quem adoramos, e que Se manifesta em Três Pessoas. Isto porque o Pai é Deus (Gl 1:1); o Espírito Santo é Deus (Atos 5:3-4); e agora, vemos que Jesus Cristo é Deus, afirmado não apenas aqui em João 1:1, mas em muitos outros lugares (Rm 9:5; Tt 2:13; 2Pe 1:1; 1Jo 5:20).

Portanto, ao dizer que Jesus Cristo estava na companhia de Deus, isto significa que o Verbo estava na companhia do Pai e do Espírito Santo. Ao dizer que o Verbo era Deus, João afirma a divindade de Jesus Cristo juntamente com o Pai e com o Espírito Santo, "porquanto, nEle [em Cristo Jesus], habita corporalmente toda a plenitude da Divindade"  (Cl 2:9).

II – JESUS É O CRIADOR

Os Panteístas afirmam que Deus está em toda a parte, que o universo e Deus se confundem, se mesclam, que Deus está imerso no universo, dentro e fora dele. O panteísmo tende a divinizar os elementos da natureza, referindo-se à própria Natureza como Deus.

Mas o livro de João começa dizendo que o Verbo “estava no princípio com Deus.” (V. 2). Ora, se Ele estava no princípio com Deus, Ele é antes das coisas criadas e já era um Companheiro de Deus e não pode ser confundido com as coisas. Hoje os homens seguindo essas filosofias adoram a Natureza como deus, e abandonam o Deus da natureza.

Mas o apóstolo João nos adverte sobre isso, e nos afirma que o Verbo é antes de todas as coisas e é o próprio Criador de todas as coisas. Se Cristo é o Criador, então, não existe matéria eterna, como dizem os cientistas; eterno é o Criador das coisas que surgiram pelo Seu poder, que criou tudo o que existe do nada.

João, então adiciona uma afirmação dupla, apresentando o lado positivo e negativo da mesma verdade: Verso 3: “Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e, sem Ele, nada do que foi feito se fez.” Jesus é o próprio Criador.  Esta é uma afirmação polêmica porque combate a ideia de que Jesus Cristo tenha sido criado.  Alguns diziam que o Verbo era uma mera criatura. Mas João afirma que Ele criou todas as coisas, positivamente, e repete: "sem Ele nada do que foi feito se fez", negativamente. Portanto, se nada existe sem Ele, Ele é antes de todas as coisas criadas e Ele mesmo não pode ser criado, porque não pde criar-se a Si mesmo.

O que foi que Ele criou?

1. Jesus criou o Cosmo: Cosmo [kosmos] é uma palavra grega que significa mundo. Jesus Cristo criou o nosso mundo. Quando vemos o nosso mundo em sua beleza, podemos saber quem foi o Seu Criador. Jesus Cristo criou a terra com a beleza das flores em seus variados matizes, com o seu perfume suave e delicado. Ele criou as montanhas, com as árvores em diferentes cores de verde. Ele criou o céu azul e os pássaros voando com seus alegres trinos. Ele criou o mar com os seus animais marinhos em sua beleza e perfeição.

2. Jesus criou o Macrocosmo: o infinitamente grande. Hoje a Ciência está desconfiando de suas descobertas e afirmações passadas e dizendo que existe não apenas um universo, mas outros universos dentro do Universo. Eles dizem que de nossa perspectiva, nós olhamos em uma direção, sem saber o que se esconde para além de nossa visão apoiada nos imensos telescópios. Eles dizem que há um infinito ainda para ser descoberto. 

Pense nas galáxias. Quantas galáxias existem no Universo? Dizem os cientistas que existem cerca de 250 bilhões de galáxias, com seus trilhões de estrelas, com muitos trilhões de planetas com suas vidas para nós ainda ignoradas. 

Jesus Cristo é o Todopoderoso Criador que criou o cosmo; Ele também criou o macrocosmo, o infinitamente grande. Mas Ele criou muito mais do que tudo isso.

3. Jesus criou o Microcosmo: o infinitamente pequeno. O que é pequeno para você? Uma vez eu perguntei a uma menina que se assentava na frente, no degrau da plataforma da igreja: "O que você entende de uma coisa muito pequena?" A menina foi inteligente e me surpreendeu e disse: "Uma formiguinha." Pense numa coisa muito pequena. Pense na cabeça de um alfinete. Quantos átomos você pensa que há na cabeça de um alfinete?

"Átomo" vem de uma palavra grega composta de a (= não) + tomo (= divisão). Átomo era a menor partícula da matéria, que não se divide. Até que Albert Einstein abriu o coração do átomo e agora os cientistas sabem que dentro de um átomo existem os prótons, os nêutrons, e os elétrons que estão girando em círculos, ao redor do núcleo, onde está o peso atômico. Mas ainda há outros elementos chamados de quarks, léptons, e bósons (glúons). Ainda afirmam os cientistas que há espaço entre tudo isso, dentro do átomo, que por nome, não se dividia. E dizem para completar, que o átomo que não se dividia, no seu conceito anterior, é agora visto como um pequeno, minúsculo, sistema solar.

Mas voltemos à pergunta: Quantos átomos você pensa que há em uma cabeça de alfinete? 500? 5000? 50.000? 500.000? Ou 1 milhão? A resposta é, você vai se surpreender: A cabeça de um alfinete possui 60 milhões de átomos. E foi Jesus Cristo quem criou o infinitamente pequeno, o microcosmo, que é a base de tudo o que existe no universo feito de átomos.

III – JESUS É A VIDA

O que significa vida? De que modo Jesus Cristo é a Vida?

1. Jesus é a Vida Inerentemente – "A vida estava nEle". É certo dizermos: "A vida está em nós?" Depende de um advérbio. Esta frase precisa ter um advérbio de modo. A vida está em Cristo inerentemente, mas em nós, a vida está dependentemente, porque nós dependemos dEle para viver. Mas Cristo não precisa de ninguém para viver, porque a vida está nEle inerentemente. Isto significa que a vida é algo próprio dEle, pertence a Ele. A nossa vida é emprestada, derivada, mas a vida de Cristo é original. A vida estava em Cristo inerentemente.

2. Jesus é a Vida Misteriosamente – A vida é algo misterioso. Você já tentou definir a vida? Alguém poderia sugerir que a vida é movimento. Mas eu tenho uma bicicleta em casa, já faz muito tempo, é uma "kaloi 10", uma bicicleta de corrida, anda muito bem, se movimenta, mas não é vida. É apenas um veículo que se move, mas não tem vida. Eu tenho um carro que também se movimenta a grandes velocidades, mas não tem vida. Alguém poderia dizer que vida é calor. Eu tenho um fogão que produz calor, mas isso não é vida.

Alguém disse que a vida surgiu por mero acaso há 2 bilhões de anos atrás, quando se reuniram todas as moléculas, átomos e aminoácidos e todos os elementos químicos, num só lugar. Mas isso não é verdade, porque quando uma pessoa morre, ali estão todas as partículas reunidas, todos os átomos e todas as moléculas, e todos os aminoácidos, mas no exato momento em que pessoa morre, num segundo após, quando perde o fôlego, a vida não está mais lá.

Mas então, a vida é o fôlego? Você pode fazer a experiência e soprar numa boneca e dizer "Vive!" Mas eu lhe garanto que você vai se decepcionar, porque o seu fôlego vivo, que tem calor, que se movimenta, que tem certo poder, não é vida e não a produz.

Finalmente, o que é a vida? Ainda não respondemos a esta pergunta. A vida é um mistério que não podemos compreender. Ninguém pode dizer o que é a vida, porque ela não tem algo a que pode ser comparada. Podemos definir a vida como fazem os Dicionários e as Enciclopédias que utilizam 200 páginas para identificar a vida, descrever a vida e explicar tudo o que acontece com um ser vivo, e utilizam mais 1000 páginas para explicar a origem da vida, sem chegar a uma conclusão palpável. Porque a vida é um mistério inexplicável que se origina em Jesus Cristo.

3. Jesus é a Vida Poderosamente – A vida de Cristo é um poder que se propaga infinitamente. Ele é o Autor da vida. Ele é a própria Fonte da vida. Nele converge toda a vida de todo o universo. A vida de Cristo estava nEle poderosamente, porque Ele dá origem à toda a vida que existe, que tem calor, que se movimenta, que reage, que sente, que pensa, raciocina e cria, pelo processo da procriação, como nos homens, ou como nos animais que seguem os seus  instintos previamente criados. Jesus é o Originador de tudo isso.

Michel Ângelo ficou famoso com a sua tentativa de fazer Moisés falar. Ele esculpiu a imagem de Moisés, e ficou tão entusiasmado, ficou tão embevecido, ao ver a imagem tão perfeita, tão bela, que de repente, Miguel Ângelo gritou, dizendo estas palavras: "Parla, Moisés, Parla!" "Fala, Moisés, fala!" Mas foi uma tentativa em vão. Somente Jesus Cristo pode dar vida.

IV – JESUS É A LUZ

Fisicamente, o que é a luz? Tão fácil de percebê-la, como difícil de descrevê-la. Desde os tempos dos filósofos gregos tratou-se de achar uma resposta, mas até agora, malgrado o enorme acervo de conhecimentos físicos e químicos, a luz continua sendo um mistério impenetrável. A luz física é algo maravilhoso para não dizer que é algo misterioso, incompreensível.

O apóstolo João disse que veio João Batista para testificar da Luz, porque ele não era a luz, mas que Jesus Cristo é a verdadeira Luz. De que maneira Jesus Cristo é a Luz?

1. Jesus é a Luz Universalmente – O Universo inteiro depende de Sua Luz. Como a luz se propaga em todas as direções, assim Jesus Cristo é o resplendor da glória de Deus em todo o Universo. Ao contemplarmos uma noite estrelada, ficamos embevecidos diante de tal espetáculo. Há luz em todos os recantos do vasto universo. Mas a verdade é que todo o Universo testifica que o Seu Criador é Luz. Pense na luz de todas as galáxias, com seus trilhões de estrelas brilhando incessantemente no Céu, um milhão de vezes maiores do que o nosso Sol. Jesus Cristo é Luz, é a própria Fonte da Luz, é Luz universalmente.

2. Jesus é a Luz Mundialmente – Disse Jesus Cristo: ''Eu sou a Luz do mundo'' (Jo 8:12). Ele estava Se declarando como o Messias para os líderes judaicos que pensavam que a luz era algo exclusivo dos judeus, o povo escolhido e privilegiado por Deus. Mas o Messias não era uma luz limitada apenas ao povo de Israel. Ele morreu fora dos muros de Jerusalém para que todos soubessem que Ele é a luz do mundo inteiro. Graças a isso, podemos ser incluídos na Sua salvação, porque luz também é um símbolo da salvação operada por nosso Senhor Jesus Cristo, e Ele é Luz mundialmente.

3. Jesus é a Luz Particularmente – Davi olhou para os céus e viu todo o encanto da luz das estrelas e disse: ''O Senhor é a minha Luz, e a minha salvação'' (Sal 27:1). O Senhor Jesus Cristo era a Luz particular do salmista, e ele olhava para os céus e via a luz como um símbolo da salvação que há em nosso Deus, o nosso Salvador. O Senhor Jesus Cristo é a Luz particular de minha vida e da sua vida. Luz e Salvação. Será que Ele está preocupado com a luz das galáxias que brilham nos céus siderais? Não, ele está preocupado em que você tenha mais luz na sua vida. 

Certa vez, dois amigos se encontraram numa das avenidas de sua cidade natal. Quase que as primeiras palavras de um deles foram: "Virgílio, quais são as perspectivas?" E a resposta veio pronta e sem dilação: "Olhando para a frente ou para os lados, vemos apenas trevas, sombras e escuridão. Mas quando olhando para o alto, vemos luz, muita luz, somente luz."

E então, você já aceitou essa Luz? Jesus Cristo é a Luz e você só pode ter muita luz ao receber a Fonte de luz, e ao estar em ligação com Ele. Você tem algumas trevas em sua vida? Então, Ele é a resposta para resolver isso. A Luz resplandece nas trevas e as trevas não têm poder para vencer a Luz (Jo 1:5). Quando você está ligado a Cristo, Sua vida é luminosa, e você tem luz, muita luz, somente luz para os seus semelhantes.

CONCLUSÃO

1 - Se Jesus é o Verbo, você O adora, porque Ele é o Deus eterno e só a Deus podemos e devemos adorar.

2 - Se Jesus é Criador, você agradece porque Ele o criou, e você faz parte dessa criação maravilhosa.

3 - Se Jesus é Vida, você tem segurança não só para esse tempo, mas por toda a eternidade.

4 - Se Jesus é Luz, você será sempre iluminado, e terá luz, muita luz, somente luz, agora e para todo o sempre.

Portanto, se Jesus Cristo é o Verbo de Deus e é o próprio Deus encarnado; se Jesus Cristo é o seu Criador, se Jesus é a sua vida e a sua luz, Você já aceitou a esse maravilhoso Salvador? Tem o seu coração ligado nEle? Você faz a Sua vontade? Quer vê-lO em breve, em Sua Segunda Vinda? Tem o desejo de vencer o pecado e se tornar um vitorioso? Então, é com Ele mesmo. Só Ele pode ajudar.

Pr. Roberto Biagini


PR. ROBERTO BIAGINI
Teólogo, Mestre em Teologia. Realizou vários cursos de Extensão Teológica da Andrews University e do Centro de Educação Contínua da DSA. Trabalhou como distrital de várias igrejas do centro, norte e sul do país. É casado com a Profª. Silvane Luckow Biagini, e tem dois filhos, Ângela e Roberto.

1 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...