terça-feira, 2 de agosto de 2011

Símbolos do Batismo

Sermão para ocasião especial: Batismo

Título: Símbolos do Batismo

Texto: Rom. 6:3-5:
“Ou porventura ignorais que todos nós que fomos batizados em Cristo Jesus fomos batizados na Sua morte? Fomos, pois, sepultados com Ele na Sua morte pelo batismo; para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos pela glória do Pai, assim também andemos nós em novidade de vida. Porque se fomos unidos com Ele na semelhança da Sua morte, certamente, o seremos também na semelhança da Sua ressurreição”.

Introdução:

A – No mundo em que vivemos existem muitas religiões. Só o cristianismo está dividido e subdivido em centenas de ramos.

1 – Além das muitas religiões cristãs, bilhões de pessoas são profundamente religiosas, seguindo crenças, que nós chamamos de religiões pagãs ou – O Paganismo.

a)Com sinceridade e devoção eles seguem as suas religiões.

B – Ninguém pode dizer que um pagão é menos sincero que um cristão.

1 – Não é a sinceridade que distingue um cristão de um pagão.
2 – Eles fazem os maiores sacrifícios para seguir a sua religião.

a) Muitos deles estão dispostos a andar descalços sobre brasas.
b) Muitos estão dispostos a deitar-se numa cama de madeira, cheia de pregos com ponta para cima.
c) Outros sacrificam seus filhos ou jogam no rio Ganges.

(1) Eles fazem isto com toda sinceridade e devoção, com o propósito de obter paz com Deus.
(2) Eles são sinceros!

C – Então, qual a diferença entre o PAGANISMO e o CRISTIANISMO?

1 – Será a sinceridade? Não. A diferença não está na sinceridade.
2 – Mesmo vivendo na ignorância religiosa o pagão é tão sincero quanto o cristão!

D – Como foi que alguns pescadores simples e incultos revolucionaram o mundo de seus dias?

1 – Não foi com falsos argumentos! Eles simplesmente testificaram do que viram sobre três acontecimentos.

a) Falando destas coisas, o cristianismo triunfou e venceu, chegando até nós.

E – OS TRÊS ACONTECIMENTOS QUE TORNARAM A RELIGIÃO CRISTÃ DIFERENTE DAS OUTRAS.

1 – Bem podemos chamar o triângulo da verdadeira religião:
– A MORTE
– O SEPULTAMENTO
– A RESSURREIÇÃO de um homem - O Filho de Deus – Jesus Cristo.
2 – Para não nos esquecermos destes acontecimentos, Deus nos deu uma cerimônia muito importante e significativa. Rom. 6:3-6.
3– O Batismo simboliza:

a) A morte, Sepultamento e a Ressurreição de Jesus Cristo.

I – O SÍMBOLO DA MORTE

A – Primeiro: O símbolo da morte de Jesus Cristo.
“Ou por ventura ignorais que todos nós que fomos batizados em Cristo Jesus fomos batizados na sua morte? Rom. 6:3

1 – A importância da morte de Jesus para nossa vida.

B – Segundo: O símbolo da morte do batizando.

1 – Antes que alguém seja batizado precisa morrer.

a) Sim, precisa morrer para os vícios; morrer para os prazeres; morrer para o pecado. “Como viveremos ainda no pecado, nós os que para ele morremos?”. Rom. 6:2 (Últ. Parte)

2 – Prezados batizandos, já vos considerastes mortos para o pecado?
3 – O apóstolo S. Paulo nos legou um grande exemplo. Ele se considerava morto para o mundo, morto para o pecado, embora estivesse sempre viajando, pregando e falando do amor de Deus.
“Porque eu, mediante a própria lei, morri para a lei, a fim de viver para Deus. Estou crucificado com Cristo; logo já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim; e esse viver que, agora, tenho na carne, vivo pela fé no Filho de Deus, que me amou e a si mesmo se entregou por mim”. (Gal. 2:19 e 20)

C – Antes que alguém seja batizado é mister saber se a pessoa está realmente morta.

1 – É por isso que existe a exigência do Atestado Médico (Óbito).
2 – O que seria de alguém que fosse sepultado vivo?

Experiência do famoso cantor Zé da Zilda.
Ao abrir o caixão, algum tempo depois, descobriram que ele estava debruço. Há quem diga que ele morreu depois de sepultado.

Experiência: “Caveira”- Catalepsia.
Tive um amigo de infância de nome Antônio, mas todos o chamavam de “Caveira”. Um dia, perguntei para ele o motivo do apelido e fiquei sabendo de sua história.
Quando era criança, costumava dar alguns ataques e perder o sentido. Numa dessas ocasiões o ataque foi prolongado. Começou à tarde e virou a noite, e ele não acordava mais.
Todos pensavam que ele estivesse morto. Passou a noite no caixão. Houve sentinela. De manhã, um pouco antes de ir para o cemitério, acordou: o coração começou a bater lenta e normalmente; o sangue começou a circular sem problemas por suas veias; os pulmões começaram a se encher de ar; os olhos se abriram. Ele, dentro do caixão, espantado, ao ver tanta gente ao seu redor, levantou-se. De repente, ninguém ficou na sala. Todos correram velozmente à procura da porta de saída para a rua. Todos não. Todos menos uma pessoa: a sua mãe. Ela correu para junto do filho, exclamando: “Antônio, você está vivo!” Que sorte! Ele tivera apenas um ataque que a medicina chama de Catalepsia. Quase que ele fora sepultado vivo.
Por isso, no bairro, apelidaram-no de Caveira.

D – O batismo é símbolo de sepultamento.

1 – A pergunta que eu lhe faço agora para é: você ainda se encontra vivo para o pecado?
2 – Infelizmente, é triste dizer, que hoje muitas pessoas se batizam e muitas vezes abandonam logo a igreja, porque foram sepultadas vivas.

a) Foram sepultadas sem conhecer Jesus Cristo.
b) Foram sepultadas sem conhecer as doutrinas da Igreja.
c) Foram sepultadas sem abandonar o mundo, e não permanecem na igreja.
- É triste ser sepultado vivo!

II – O SÍMBOLO DO SEPULTAMENTO.

A – A Bíblia diz: “Se dissermos que não temos pecados a nós mesmos nos enganamos e a verdade não está em nós”.

1 – Os que vão se batizar hoje vão ter a oportunidade de, simbolicamente, sepultar os pecados nas águas batismais.
2 – Simbolicamente, vocês vão deixar aqui as sujeiras da vida passada.

III – O SIMBOLO DA RESSURREIÇÃO

“Porque se fomos unidos com Ele na semelhança de Sua morte, certamente, o seremos também na semelhança da Sua ressurreição.” (Rom. 6:5).

A – O batismo é também um símbolo da ressurreição de Cristo.

1- Aqui consiste a esperança da fé cristã: Cristo ressuscitou!
2 – São Paulo diz: “Se Cristo não ressuscitou, então é vã a nossa fé”.
3 – Nós, porém, sabemos que Ele saiu do túmulo.

a) Jesus não ficou no túmulo. Hoje Ele está no céu, intercedendo por nós.

(1) A religião cristã é a religião do túmulo vazio.

4 – Ele diz: “Eu vivo e vós também vivereis” (S. João 14:19).

Ilustração: A sua religião é igual a minha.
Um cristão viajava num avião ao lado de um maometano. Começaram a conversar sobre religião.
O maometano perguntou: “Em que vocês cristãos crêem?”
- Nós cremos que Cristo viveu para salvar homem do pecado - respondeu o seguidor de Cristo.
- Nós também cremos que Maomé viveu para salvar o seu povo - observou a maometano.
- Nós cristãos cremos que Jesus morreu pelo seu povo - disse o cristão.
- Nós também cremos que Maomé morreu pelo seu povo - afirmou o islamita.
O cristão concluiu: “Mas nós cremos que Jesus morreu e ressuscitou”.
O maometano pensativo disse: “Sendo assim, a sua religião é diferente da minha. Nada sabemos a respeito de Maomé, após a sua morte”.

B – O batismo simboliza a ressurreição de Jesus. Hoje, Ele está no céu, intercedendo pelos homens.

Conclusão:

1 – Além de simbolizar ressurreição de Jesus, esta cerimônia simboliza também a ressurreição do crente.
2 – Tenham a certeza que vocês vão ressuscitar para uma nova vida em Cristo.
3 – Jesus estará ao lado de vocês para proteger e livrar de pecar.
4 – E assim vocês vão ser, a partir de hoje, uma nova criatura.
5 – Vocês serão, a partir de agora, um novo homem e uma nova mulher em Cristo.
6 – Que Deus abençoe a todos os batizandos.

Hinos Sugeridos: H. A. 510, 511, 512, 513, 514, 515, 516, 517, 518.


Pr. Emmanuel de Jesus Saraiva
Natural de São Luís – Ma. Formado em Teologia, Pedagogia e Letras. Autor de dois livros: “Memórias da África” e “A História do Adventismo no Maranhão”. Trabalhou como pastor em várias igrejas no Maranhão, dentre as quais a Igreja Central de São Luís. Foi departamental de Jovens e Educação nas Missões Costa Norte, Central Amazonas e Nordeste e diretor do Educandário Nordestino Adventista – ENA. Por seis anos foi missionário na África, como diretor do Seminário Adventista de Moçambique, onde lecionou várias disciplinas teológicas, dentre as quais Homilética e Oratória. Casado com a professora aposentada Nilde Fournier Saraiva. Tem duas filhas: Raquel e Léia. Trabalhou como pastor por 35 anos. Hoje, jubilado, mora em São Luís - MA e atua como Ancião da Igreja do Colégio Adventista de São Luís - CASL.

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...