terça-feira, 28 de junho de 2011

Ide e Ensinai

Sermão para ocasião especial: Culto de Ação de Graças. (Formação de Professores).

Título: Ide e Ensinai

Texto: São João 13:13
Disse Jesus: “Vós me chamais o Mestre e o Senhor e dizeis bem; porque Eu o sou”.

Introdução:

A – Estamos reunidos neste lugar para celebrar este culto de ação de graças desta turma de formandos do curso de Pedagogia.

1-Durante o curso, vocês estudaram sobre muitas disciplinas diferentes: Metodologia do Estudo Científico, Português, Filosofia, Sociologia, Psicologia, Estudos Sociais, História da Educação, Ética e Educação, Pedagogia, Metodologia do Ensino-Aprendizagem, Didática, Holismo, Conscienciologia, Estatística Aplicada à Educação, Fundamentos Psicopedagógicos, Avaliação e Rendimento Escolar, Administração Escolar, Estágio Supervisionado e muitas outras disciplinas.

a) Quero neste culto de ação de graças dar a vocês a última aula.

B – Vocês escolheram um tema significativo: “Ide e Ensinai”. Bonito lema!

C - Vocês vieram a este lugar para ouvir a Palavra de Deus, para ouvir os conselhos do Livro Sagrado.

I – UMA VOCAÇÃO EXCELENTE.

A – Nos séculos passados cabia apenas ao homem o dever de ensinar as crianças. Só um homem poderia ser professor.

1 – Mas depois chegaram à conclusão de que as mulheres poderiam fazer este trabalho também com perfeição. O mundo mudou: hoje, existem mais professoras que professores.

B – Vivemos na era da corrida pela profissão mais rendosa.

1 – Hoje, os pais muitas vezes inculcam na mente dos filhos a escolher uma profissão mais rendosa. Que enriqueçam mais depressa.

a) Muitos pensam que a melhor profissão para seus filhos é aquela que lhe proporcionará mais dinheiro fácil. Hoje, muitos pais, vendo as coisas apenas em termo pecuniário, inculcam na mente de seus filhos a escolher uma profissão que lhe dê um retorno financeiro bem rápido. Muitos pais, desprezando a escolha que compete aos filhos, dizem:

(1) Seja médico, seja engenheiro, etc.

C – Escolher ser professor é escolher uma profissão pouco rendosa pecuniariamente.

D – No mundo hodierno em que vivemos, muitos correm em busca de uma profissão. Vocês, porém escolheram uma vocação.

1 - Não vá na onda daqueles que dizem zombeteiramente: “Hei de vencer, mesmo que seja como professor! Quem pensa assim, coloca o magistério na lista de última profissão.
2 – Alguém disse: “O educador é como uma ponte. Todo mundo passa e vai embora e ela fica inabalável no mesmo lugar”.

a) Quem sabe daqui a 20 anos vocês vão ter ex-alunos médicos, advogados, engenheiros, professores, diretores de escolas, políticos e, quem sabe, o Presidente da República.

(1) É nisto que consiste a glória e recompensa do educador.

Ilustração: Um velho professor falecera. No discurso fúnebre, um orador disse: “Este professor trabalhou tanto que não teve tempo para ganhar dinheiro. Morreu pobre”.

2 – Prezados formandos, vocês quem sabe, irão enfrentar esta tarefa. Trabalhar, trabalhar, não sobrando tempo para ganhar dinheiro e ficarem milionários.

a) Não obstante, uma coisa é certa: o trabalho de vocês não ficará sem recompensa.

E – Por que vocês escolheram tal profissão?

1 – Quem sabe, com o objetivo de imitar o Grande Mestre.

a) O mundo conheceu grandes mestres, tais como: Sócrates, Aristóteles, Immanuel Kant, Freud, Bloom, Roger, Piaget e outros, mas nenhum exerceu tanta influência na vida das pessoas como Jesus Cristo.

2 – Jesus é um exemplo de um magistério perfeito e profícuo.

a) Ele tinha amor pelas almas. Amava as crianças como ninguém.
b) “Deixai vir a mim os pequeninos”. – Sempre dizia.

II – JESUS, O GRANDE MESTRE.

A – Jesus ensinava porque gostava de ensinar.
- S. Mat. 9:35 (E percorria Jesus todas as cidades e povoados, ensinando nas sinagogas e pregando o evangelho do reino e curando toda sorte de doenças e enfermidades).
- S. João 13:13 (Vós me chamais o Mestre e o Senhor e dizeis bem porque Eu o sou).

1 – Importante: Jesus ensina com autoridade.
- S. Marcos 1:22 (Maravilhavam-se da sua doutrina, porque ensina como quem tem autoridade e não como os escribas).

a) Hoje, infelizmente, os professores estão perdendo a autoridade diante de uma classe e de seus alunos.

(1) Jesus, porém, tinha autoridade diante de todos, inclusive diante seus algozes.
(2) O contexto: Os soldados foram enviados para prender Jesus. Quiseram antes ouvi-lo para depois prendê-lo. Os soldados diziam entre si: “Quando ele cometer o primeiro erro, aí sim, é a hora de prender”.
(3) Ficaram ouvindo e aguardando o momento. Não conseguiram prendê-Lo... Ele tinha autoridade.

2 – Prezados formando, se você quiser ter poder em seu trabalho, imite o Mestre dos mestres – Jesus.
3 – Se deseja autoridade para vencer as agruras de sua profissão, você deve seguir os passos de Jesus, o Grande Mestre...
4 – Quer ter perfeição no seu mister, imite o modelo perfeito.

B – S. Marcos 10:1 (Levantando-se Jesus, foi dali para o território da Judeia, além do Jordão. E outra vez as multidões se reuniam junto a Ele, e, de novo, Ele as ensinava, segundo o seu costume).

1 – O texto está dizendo que Jesus ensinava porque tinha o costume de ensinar.
a) Era o Seu hábito: lecionar.

III – A RESPONSABILIDADE DO PROFESSOR.

A – Pensamento: “Ensinar não é preparar apenas uma mente, mas uma vida”.

1- Dizem que existem três tipos de educação:
a) A que prepara apenas a mente.
b) A que prepara apenas o corpo.
c) A que prepara também o espírito, e o ser todo.

B – “Ensinar é imprimir caracteres”.

1 – Muitas vezes o aluno molda a sua vida pela vida do seu educador.

a) Imita a letra, como o professor escreve, o andar, o falar, o vestir do professor...
b) Por esse e outros motivos, o educador precisa ser um modelo.
c) Já dizia o Prof. Orlando Ritter: “Num professor tudo ensina”.

C – Prezado formando, dedique todas as suas forças a este mister, e assim estará formando caracteres.

1 – E, sem nenhuma dúvida, você não ficará sem recompensa.

a) A recompensa do professor no fim da vida talvez não seja uma aposentadoria com muito dinheiro nos bancos e uma vida financeira tranquila.

(1) Mas a recompensa virá através de seus ex-alunos.

IV – A RECOMPENSA DO PROFESSOR.

Ilustração: O professor do aluno Grover Cleveland.

O professor emprestara um livro a um estudante muito pobre que não tinha condições de comprar. O tempo passou. Aquele estudante se tornou o presidente da sua nação. Chamava-se Grover Cleveland (1837 - 1908). Certa ocasião, ele foi a sua terra natal. Centenas de pessoas se acotovelavam para cumprimentar o presidente dos Estados Unidos da América. Na fila, estava o seu velho professor primário. Chegou finalmente a sua vez. Com o velho livro na mão, disse: “Presidente, o senhor conhece este livro? Eu o emprestei, quando o senhor foi meu aluno!
O presidente Cleveland abraçou o seu velho professor. Tomou o velho livro e autografou. Tempo depois aquele professor relatou: “Aquele foi o dia mais feliz de minha vida”.
Aplicação: Esta história pode acontecer com você. Ela se repetiu comigo. Eu também fui professor... Quantos alunos eu tive que hoje são formados e me realizo com eles.

Ilustração: Anos atrás, eu assistia a um grande evento evangelístico no Ginásio
Castelinho, em São Luís, lotado com cerca de dez mil pessoas. A atração era uma cantora de nome Viviane, vinda do Rio de Janeiro, que acompanhava o Pastor Bullon. Cantando, ela me reconheceu no meio da multidão, enquanto eu imaginava nunca ter visto aquela cantora com sua voz potente e melodiosa.
No final da reunião, ela se aproximou de mim, em meio à multidão, pois queria falar comigo, dizendo:
- O senhor se lembra de mim?
Usando de toda sinceridade, e imaginando que ela estivesse equivocada, disse-lhe:
- Não me lembro, sinceramente. Acredito ser a primeira vez que nos vemos.
Ela sorrindo disse:
- Qual nada; conhece, sim, eu sou Viviane. O senhor foi meu professor, quando era diretor do Instituto Adventista de Manaus. Eu era uma menina muito irrequieta e lhe dei muito trabalho na sala de aula...
Eu olhei firmemente em sua face, e me lembrei de sua família e dos detalhes de sua vida, quando era bem mocinha. Ela tinha razão: em meio a uma grande multidão, cantando, ela me reconheceu - eu fui o seu professor.


Ilustração: À procura do profissional mais importante do reinado.

Certo rei de outros tempos pensou em recompensar o cidadão mais importante do seu reino. Enviou seus Ministros de Estado que saíram pelo reinado à procura do cidadão mais digno. Marcou o dia da apresentação. Chegou o dia final. O rei estava em seu trono. Chegaram os seus ministros:
O primeiro Ministro – Trouxe um famoso advogado. (Palmas).
O segundo Ministro – Trouxe um grande financista. (Aplausos)
O terceiro Ministro – Trouxe um famoso médico. (Palmas).
O quarto Ministro – Aproximou-se do trono, segurando nos seus braços uma velhinha.
O rei perguntou: “Quem é esta mulher? O que fez de importante?
Disse o Ministro: “Ó rei, quando estes homens ilustres eram criança, ela foi a sua professora!”
Houve profundo silêncio. O rei, com lágrimas nos olhos, desceu do trono, e coroou aquela professora.

Aplicação: Prezados educadores, pode ser que estas histórias se apliquem em sua vida um dia.

Ilustração: Veja o caso do presidente Lula.
Na posse, ele homenageou a sua professora primária lá do interior de Pernambuco. Foi um dia feliz para ela.

Conclusão:

A – Dedique-se de coração a este trabalho.

1 – Porque fazendo assim você está imitando o Grande Mestre – Jesus Cristo.

B – Antes de subir ao céu, Jesus disse: “Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações ... ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dias até a consumação do século.” S. Mat. 28:19 e 20.

1 – Esta é a grande ordem do Mestre.

C – Que possam ter um magistério profícuo e cheio de recompensas.

1 – Que Deus abençoe a todos vocês!



Pr. Emmanuel de Jesus Saraiva
Natural de São Luís – Ma. Formado em Teologia, Pedagogia e Letras. Autor de quatro livros: "Memórias da África", "História do Adventismo no Maranhão". "História e Culura Africanas" e "A Influência Africana na Cultura Brasileira". Trabalhou como pastor em várias igrejas no Maranhão, dentre as quais a Igreja Central de São Luís. Foi departamental de Jovens e Educação nas Missões Costa Norte, Central Amazonas e Nordeste e diretor do Educandário Nordestino Adventista – ENA. Por seis anos foi missionário na África, como diretor do Seminário Adventista de Moçambique, onde lecionou várias disciplinas teológicas, dentre as quais Homilética e Oratória. Casado com a professora aposentada Nilde Fournier Saraiva. Tem duas filhas: Raquel e Léia. Trabalhou como pastor por 35 anos. Hoje, jubilado, mora em São Luís - MA e atua como Ancião da Igreja do Colégio Adventista de São Luís - CASL. 

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...