segunda-feira, 26 de julho de 2010

O Valor do Tempo

Textos: Eclesiastes 3 : 1 - 8 ; Efésios 5 : 15,16

Introdução:

A – O descuido do tempo é o rochedo sobre o qual se tem despedaçado uma grande parte raça humana. Muitos deixam para amanhã o que deveria ser feito hoje, e assim são sempre atropelados na estrada da vida, que não tem retorno. Muitos gostariam de dar marcha-à-ré na estrada da vida para evitar oportunidades perdidas que não voltam nunca mais.

Ilustração – Comprando o tempo. É apenas uma alegoria. Um homem teve um sonho. Um estabelecimento: Banco do Tempo. Havia um letreiro: Vende-se tempo. Entrou para investigar. Havia uma longa fila. Viu várias pessoas tentando comprar o tempo. O primeiro da fila explicou no guichê que tivera uma doença maligna que podia ter sido curada um ano antes, e descobriu ser agora demasiado tarde. Ele desejava comprar apenas um ano de tempo. Na fila do Banco do Tempo também estava um casal de rosto triste que desejava comprar 20 anos. Seu filho havia sido condenado à morte, e eles concluíram que a culpa fora a sua negligência paterna. Desejavam começar tudo de novo para reparar o mal. Na fila estava também um homem andrajoso que desejava comprar 30 anos, a fim de obter uma educação que havia negligenciado, quando jovem. E história continua, porque a fila no Banco do Tempo era interminável...

I – TENTANDO COMPRAR O TEMPO PERDIDO

A – Imagine se a história fosse real. O que você gostaria de comprar ou quantos anos você gostaria de reaver para resolver o problema de sua vida, hoje?!

B – Desgraçadamente, esta é uma importante lição que poucos aprendem na juventude.

1 - Depois que se transpõe a infância, o tempo passa muito depressa. Na infância o tempo passa como passo de tartaruga, mas na juventude e velhice ele passa como passo de lebre.
2 – Alguém disse acertadamente: “Quem rasga dinheiro é louco; quem desperdiça o tempo é um insensato”.
3 – Todos recebem de Deus cada dia 24 horas, 1.440 minutos e 86.400 segundos. Necessitamos primeiro administrar os minutos, depois as horas, e só assim saberemos administrar os dias, os meses e os anos.
4 – Dinheiro perdido pode-se recuperar; tempo, não!

C – O valor do tempo.

1 – Para entender o valor de um ano, pergunte a um estudante que ficou reprovado por “roubar” o tempo que deveria ter usado estudando, sendo obrigado a repetir o ano letivo.
2 – Para entender o valor de um mês, pergunte a uma mãe que perdeu um filho prematuramente numa gravidez.
3 – Para entender o valor de uma hora, pergunte a alguém que teve uma parada cardíaca e necessitava chegar urgentemente a um hospital e ficou preso num congestionamento no trânsito de uma grande cidade.
4 – Para entender o valor de um minuto, pergunte a alguém que perdeu um transporte, porque chegou atrasado.
5 – Para entender o valor de 10 segundos, pergunte a um piloto de Fórmula 1, que seu carro quebrou, na última volta, quando faltava poucos metros para o fim da corrida.
6 – Para entender o valor de 1 segundo, pergunte a um nadador que ficou com a medalha de prata em uma Olimpíada, perdendo a medalha de ouro.

Ilustração: “É como se fosse ontem” Um senhor dirigia um carro na companhia de um idoso de 90 anos. Fez a seguinte observação:
- Creio que deve ter sido uma eternidade o tempo em que o senhor era jovem.
- Respondeu-lhe o ancião: “Filho, é como se fosse ontem”.

7 – O tempo só tem valor quando é gasto no interesse da eternidade.
8 – Muitas pessoas são como o exército do estouvado imperador romano Caio Calígula. Em vez de se preparar para a batalha, ficou colhendo conchas na praia.

II – VIVENDO O DIA DE HOJE.

A – Há um pensamento que diz: “Ontem já passou; o amanhã jamais chega; vivei hoje”.

1 – “O ontem passou”.
a) As palavras já foram ditas...
b) As obras já foram feitas...
c) Os momentos do dia de ontem são passados e somente os livros do céu mantém seus registros completos e irreversíveis.

(1) Nem o próprio céu pode desfazer o passado.
d) O sábio conselho de Paulo: “Irmãos, quanto a mim, não julgo havê-lo alcançado, mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que para trás ficam e avançando para as que diante de mim estão, prossigo para o alvo, para o prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus. (Filipenses 3:13,14).

2 – “O amanhã jamais chega”.

a) O amanhã é uma palavra que descreve algo que nada sabemos.
(1) O Ditado: “Fiado, só amanhã”... Na verdade, ele está dizendo: “fiado, nunca”.
b) O amanhã é como as miragens do deserto que parecem estar se aproximando e, contudo, está mais adiante.

3 – “Vivei o dia de hoje”.

a) É isto que Deus quer.
b) Viver no passado é estar morto.
c) Viver no futuro, na verdade, é não viver.
d) Precisamos viver hoje.
e) Apenas uma porção de tempo nos pertence: o dia de hoje.
(1) Não sabemos quanto tempo vamos viver.

Ilustração: “Coisa importante eu deixo para depois”. Conta-se que César Augusto, imperador romano, vivendo os seus últimos momentos políticos, sem saber que iria ser assassinado, recebeu em palácio um de seus amigos políticos que lhe entregou, às pressas, um bilhete e lhe disse: “Leia agora mesmo, é coisa urgente”. Zombando da pressa do amigo, César disse: “Coisa urgente eu sempre deixo para amanhã”. Colocou o bilhete no bolso e não leu. Naquele mesmo dia ele fora assassinado. Foi encontrado em seu bolso um bilhete que dizia: “Tente fugir, pois estão tramando lhe matar”. Se ele tivesse lido o bilhete, talvez tivesse escapado da morte naquele dia.

4 – Coisa importante não se deixa para depois. Resolve-se hoje e não amanhã. A isto se chama: Tomada de Decisão.

III – CONTEMOS OS NOSSOS DIAS – “Ensina-nos a contar os nossos dias, para que alcancemos coração sábio”. (Salmo 90:12)

A – “Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios, e sim como sábios, remindo o tempo, porque os dias são maus”. (Efésios 5:15 e 16).
1 – Você já teve a curiosidade de contar os seus dias vividos?
2 – Então, conte-os. Conte os dias que você já viveu. Eu já vivi 25.200 dias. Agora, conte os seus.

Conclusão:

A – Assim, quer tenhamos muitos anos para viver ou apenas breves anos diante de nós, vamos contar os nossos dias de maneira “que alcancemos coração sábio”.

B – Que os melhores dias de sua vida ainda estejam para frente e não para trás.

C – Que os nossos dias sejam bem aplicados em termo de eternidade.


ORAÇÃO: Senhor nosso Deus e Pai, ensina-nos a contar os nossos dias, para que alcancemos coração sábio. Em nome de Jesus Te pedimos. Amém!

Hinos sugeridos: H.A. > 282, 305, 299.


Pr. Emmanuel de Jesus Saraiva
Natural de São Luís – Ma. Formado em Teologia, Pedagogia e Letras. Autor de dois livros: “Memórias da África” e “A História do Adventismo no Maranhão”. Trabalhou como pastor em várias igrejas no Maranhão, dentre as quais a Igreja Central de São Luís. Foi departamental de Jovens e Educação nas Missões Costa Norte, Central Amazonas e Nordeste e diretor do Educandário Nordestino Adventista – ENA. Por seis anos foi missionário na África, como diretor do Seminário Adventista de Moçambique, onde lecionou várias disciplinas teológicas, dentre as quais Homilética e Oratória. Casado com a professora aposentada Nilde Fournier Saraiva. Tem duas filhas: Raquel e Léia. Trabalhou como pastor por 35 anos. Hoje, jubilado, mora em São Luís - MA e atua como Ancião da Igreja do Colégio Adventista de São Luís - CASL.   

1 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...