domingo, 9 de maio de 2010

Qual é a sua religião?

Texto: Tiago 1:27


Introdução:

A – Outro dia, um amigo perguntou a um cavalheiro: “O senhor é religioso? Qual é a sua religião?”
Ele pensou um pouco e respondeu: “Não, eu não sou religioso. Não tenho religião”. O outro continuou perguntando:
– O senhor é batizado?
– Sim, respondeu.
– O senhor é crismado?
– Acho que sim – respondeu sem ter muita certeza, nem entender o que significa.
– O senhor se casou na igreja?
– Sim, me casei.
– Sendo assim, o senhor é religioso!

1 – Veja só. Ele era religioso e não sabia.

2 – Assim, são muitos os religiosos que não sabem que têm uma religião.

B – Definição: A palavra religião vem do latim “religare” que significa religar o homem a Deus, o seu Criador.

1 – Do ponto de vista didático, as religiões se dividem em muitos grupos. Estudemos alguns deles:

I – A RELIGIÃO TRADICIONAL

A – Consiste em seguir o caminho que já encontrou, quando nasceu.

1 – É a religião daqueles que seguem a religiosidade da família, dos pais e dos avós.

a) É a religião dos que dizem: “Eu sei que minha religião não é muito certa, mas nessa eu nasci, nessa morrerei”. Gostam de cantar: “Daqui não saio, daqui ninguém me tira”.
b) Dizem: “Essa sempre foi a religião de meus pais, de meus avós. Todos pertenciam a essa religião, e não posso decepcioná-los”.
c) Podemos realmente herdar a religião dos nossos antepassados, mas não herdar a salvação por causa de nossos pais. Salvação é algo individual e pessoal.

Ilustração: Os que seguem a estrada do bezerro.
Na minha terra, existe uma estrada de uns 40 quilômetros que tem quase cem curvas. Dizem que quem abriu a estrada foi um bezerro, que fugiu da fazenda e saiu rasgando mato e formou a vereda. Todos passaram a andar por ela. Hoje, é uma estrada asfaltada, mas segue a estrada do bezerro: sinuosa, com muitas curvas.

II – A RELIGIÃO CONVENCIONAL

A – Adotam uma religião que lhe é conveniente. Adotam uma religião fácil que não lhe traga nenhum problema, nem dificuldades.

1 – O mancebo rico é um bom exemplo da religião convencional. - “E eis que alguém, aproximando-se lhe perguntou: Mestre, que farei eu de bom para alcançar a vida eterna? Respondeu-lhe Jesus: Por que me perguntas acerca do que é bom? Bom só existe um. Se queres, porém, entrar na vida, guará os mandamentos. Ele lhe perguntou: Quais? Respondeu-lhe Jesus: Não matarás, não adulterarás, não furtarás, não dirás falso testemunho; honra ateu pai e tua mãe e amarás a teu próximo como a ti mesmo. Respondeu o jovem: Tudo isso tenho observado; que me falta ainda? Disse-lhe Jesus: Se queres ser perfeito, vai, vende os teus bens, dá aos pobres e terás um tesouro no céu; depois vem e segue-me. Tendo, porém, o jovem ouvido esta palavra, retirou-se triste, por ser dono de muitas propriedades”. (Mateus 19:16-22).

a) O jovem rico, que não sabemos o nome, era religioso desde a sua infância. Mas a sua religião era pautada pelas conveniências e convenções. Além do mais, ele era adepto de uma religião cultural.

Ilustração: Outro dia eu conversava com um comerciante. Ele me confessou: “Eu sei que devo guardar o Sábado, pois a Bíblia manda guardar esse dia. Mas se eu for guardar o Sábado, vou perder o melhor dia do meu comércio”.

III – A RELIGIÃO TEÓRICA

A – É o tipo de religião que se baseia apenas na teoria e despreza a prática.
1 – Quer um exemplo? A religião dos escribas e fariseus dos dias de Jesus. Era a religião daqueles que levaram a Jesus uma mulher adúltera para ser apedrejada. João 8: 2 – 11.

a)A teoria deles era: “Mestre, esta mulher fora apanhada em flagrante, no próprio ato de delito e na lei nos mandou Moisés que tais mulheres sejam apedrejadas. E tu que dizes?”
(1) Jesus não disse nada acerca de apedrejar ou não apedrejar. Simplesmente começou a escrever na areia... (Quem sabe os pecados dos acusadores). Acusados na própria consciência, um a um a começar dos mais “santos” e mais velhos, todos se retiraram.
(2) Então, Jesus disse à mulher: “Ninguém te condenou? Nem eu tampouco te condeno. Vai e não peques mais”.

B – Todos eram pecadores e mais sujos que a própria mulher adúltera.

1 – Eles conheciam muito a teoria da religião, mas nada de prática.
2 – Essa é a religião dos que dizem: “Faça o que eu mando, mas não faça o que eu faço”.
3 – Essa é a religião dos legalistas.
a) Religião sem graça, sem misericórdia e sem perdão. Paulo diz: “A lei mata, mas o Espírito vivifica”.

IV – A RELIGIÃO PURA

A – O apóstolo Tiago define assim a religião pura: – “A religião pura e sem mácula, para com nosso Deus e Pai é esta: visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações e a si mesmo guardar-se incontaminado do mundo”. (Tiago 1:27).

1 – É a religião do amor ao próximo. – “Ouvistes que foi dito: Amarás o teu próximo e odiarás o teu inimigo. Eu, porém, vos digo: amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem; para que vos torneis filhos do vosso Pai celeste, porque Ele faz nascer o sol sobre maus e bons e vir chuva sobre justos e injustos. Porque, se amardes os que vos amam, que recompensa tendes? Não fazem os publicanos também o mesmo?” (Mateus 5:43-46).

2– O cristianismo resume-se na palavra: amor. Amor a Deus e amor ao próximo.
a)Cristo nos diz que devemos amar até os que nos odeiam e nos perseguem. Cristo é o supremo exemplo de amor.

(1) Jesus amou este mundo de tal maneira que deixou sua posição no céu e veio a este mundo salvar o pecador.
(2) Quando esteve sobre esta terra em pessoa amou a todos. Misturava-se com publicanos e pecadores. Amava o pobre tanto quanto o rico. Para Ele nunca existiu preconceito, nem discriminação racial, nem separação de castas. Todos os homens eram iguais. Esta é a religião do amor pregada pelo humilde Nazareno.

Ilustração: Quando termina a noite e chega o dia.
Nos Contos Orientais encontra-se a história de três árabes que discutiam quanto ao fim da noite e a chegada do dia. Perguntou um deles:
– Você sabe quando é passada a noite e já chegou o dia e as trevas não voltam mais?
Respondeu um deles:
– Eu sei: “Quando não preciso mais de nenhum tipo de luz artificial para mostrar o caminho. Então, eu sei que passou a noite e chegou o dia”.
– “E você?” – perguntaram ao segundo, que respondeu:
– Oh. Quando sou capaz de enviar uma agulha sem o uso de luz artificial, então sei que passou a noite e chegou o dia.
Disse o terceiro árabe:
– Ambos vocês estão enganados: É quando olhamos o rosto de nosso irmão e reconhecemos nele a imagem de nosso Deus, não importa a cor de sua pele, nem o aspecto de seus cabelos ou a língua que ele fale.

V – A RELIGIÃO PRÁTICA

A – A religião prática é também uma religião de amor. Esta era a religião do samaritano da parábola contada por Jesus. Lucas 10: 25-37.

1 – Quem é meu próximo? Jesus conta-lhe a parábola.
2 – Você já descobriu quem é o seu próximo?
a) Seu próximo não é o que tem a mesma cor de sua pele.
b) Seu próximo não é o que goza dos mesmos prestígios sociais que você tem.
c) Nosso próximo é todo aquele que necessita de nosso auxílio, independente de sua situação social.

(1) É o pobre, o desamparado, o mendigo...

3 – O verdadeiro cristianismo é sempre visto com roupas de trabalho.
4 – Religião prática: Esta era a religião de Dorcas da igreja cristã primitiva.

CONCLUSÃO:

A – Você tem uma religião?

1 – Qual é a sua religião?

B – A sua religião é tradicional, convencional, teórica, social ou prática?

C – Se você é um cristão, então pratique a religião de Cristo, e assim terá ao seu lado a pura e verdadeira religião.

ORACÃO: Senhor Deus e Pai, ajuda-nos a sermos bons cristãos. Cristãos não apenas de nome, mas de verdade. Que sempre possamos Te adorar em espírito e em verdade. Que a nossa maneira de ser possa demonstrar a todas as pessoas que entrarmos em contato que temos andado Contigo. Que a nossa religião não seja aquela que herdamos dos outros, mas seja uma religião do coração. Que sejamos sempre sinceros em Te servir e Te adorar. Em nós não existe mérito algum, mas Te pedimos tudo em nome de Jesus Cristo. Amém!


Hinos sugeridos: H.A., 304, 308, 315

1 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...