quinta-feira, 6 de agosto de 2009

A Areté do Cristão

Texto: Por isso mesmo, vós, reunindo toda a vossa diligência, associai com a vossa fé a virtude; com a virtude, o conhecimento; com o conhecimento, o domínio próprio; com o domínio próprio, a perseverança; com a perseverança, a piedade; com a piedade, a fraternidade; com a fraternidade, o amor. 2 Pedro 1:5-7

A palavra traduzida como “virtude”, originou-se do termo grego “areté”. Designa o mérito ou qualidade pelo qual algo ou alguém se mostra excelente. Ou seja: a areté da semente é germinar e dar frutos, a areté do sal é dar sabor, a areté do médico é curar, a areté do Pastor é cuidar do rebanho; caso contrário seria o mesmo que dizer que um sal que não salga não é sal; semente que não germina não é semente de verdade; médico que não cura não é médico; Pastor que não arrebanha não é Pastor.

Surge-nos uma pergunta: Qual a areté do Cristão?

O apóstolo Paulo sugere uma lista de virtudes também conhecida como Fruto do Espírito:

Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio. Contra estas coisas não há lei. Gal 5:22 a 23


Note que a palavra fruto aparece no singular, embora muitos a citem no plural. Isso significa que a ação do verdadeiro Espírito Santo de Deus em nós, produz todas as características descritas, não apenas algumas. Quando o apóstolo Paulo menciona os Dons do Espírito e Ministérios de Liderança ele usa o plural, mas quando menciona o resultado da atuação do Espírito na vida do crente usa o singular – Fruto. Não se pode dizer de uma pessoa que está produzindo o fruto do Espírito, a menos que todas as nove qualidades sejam demonstradas juntas em sua vida.

Agora!

Pode uma pessoa produzir “Frutos” sem o auxílio do Espírito Santo? Sim. Nesse caso percebam que mencionei a palavra “Fruto” no plural. Há muitas pessoas que produzem frutos por diversas razões, tais como: Manter sua reputação diante da sociedade, por vanglória e até mesmo por motivos religiosos, para quem pensa que a salvação é pela obras e não pela fé. Por Quanto a isso o Apóstolo Paulo adverte: "Ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor (caridade), nada disso me aproveitaria.” 1 Coríntios 13:3. Esse verso ressalta a possibilidade de haver atos de amor, sem amor.

O verdadeiro fruto vem do Espírito e deve produzir sabor, satisfação, alegria na vida das pessoas que nos cercam. É preciso proclamar as “... virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz 1 Pedro 2:9”. Porém, aqueles que possuem uma religião de simples aparência, parecem um “fruto de plástico” como aqueles usados para enfeitar uma mesa – não possui sabor e não pode alimentar. Muitos Cristãos dentro da igreja produzem apenas “frutos de plástico”. Alguns cantam, oram, lideram e são membros regulares, mas quando chegam em casa batem nas esposa, dirigem-se ao filhos com palavrões, não pagam o que devem, vivem como pessoas que ainda não se entregaram completamente ao Espírito para receber o seu fruto. Esse é o pior exemplo que alguém pode oferecer em favor do Cristianismo.

Um dia, Mahatma Gandhi depois de estudar toda a doutrina cristã, disse assim: A doutrina é perfeita. Eu me tornaria Cristão senão fosse pelo exemplo dos Cristãos. Alguma pessoa ou um grupo de Cristãos frustrou o pensamento de Gandhi, impedindo, de certo modo, o desejo de sua conversão.

O importante do Cristianismo não é o que se prega e sim o que se vive. É assim que demonstramos a “areté” do Cristão.

Em Marcos 11:12 a 14, encontramos o relato da figueira sem fruto. Segundo a bíblia, Jesus tendo fome viu uma figueira de longe e foi ao seu encontro para saciá-la. Aproximando-se, encontrou apenas folhas e em seguida, amaldiçoou-a.

Pergunto: Jesus amaldiçoou a figueira pelo fato de não ter figos? Não. Jesus amaldiçoou a figueira por que ela “aparentava” ter frutos, mas não tinha.

Assim, nosso Pai Celeste se entristece com inúmeras pessoas que não possuem o Fruto do Espírito, mas que aparentam possuí-lo.

Quem se diz Cristão e não demonstra o caráter de Cristo em sua vida, não pode ser Cristão. Ser um Cristão implica muito mais que uma nomenclatura. Ellen White sugere que “Deus tem chamado Seu povo para glória e virtude, e isso deverá manifestar-se na vida de todo o que verdadeiramente se associa a Ele... DTN, 530
Que tipo de Cristão você é?

Perguntas para consideração:

1. Qual é a “areté” do Cristão?
2. Se o “Fruto do Espírito” não é uma característica natural do ser humano, como faço para obtê-lo?
3. Quando alguém não produz o “Fruto do Espírito”, mas simplesmente aparentam possuí-lo, quais são as conseqüências disso para o Cristianismo?
4. Complete a frase: “Deus tem chamado seu povo para glória e virtude, e isso deverá manifestar-se na vida de todo o que ________________________________________.

Minha Decisão:

Eu, ______________________, desejo que o Espírito Santo habite em minha vida e que eu possa testemunhar de minha fé através do verdadeiro Fruto do Espírito.


PR. FÁBIO DOS SANTOS
Teólogo, Pastor Local da Igreja Adventista em Osório - RS, casado com Margarete Elisia dos Santos, professora da Escola Adventista nesta cidade. Filho de Adventistas (Nildo F. dos Santos - "Obreiro da CPB" e Lucila G. dos Santos - "Colportora da APC").
Webmaster e Editor geral do Blog Nisto Cremos, COMIASD e Igreja Adventista de Osório

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...