quinta-feira, 21 de maio de 2009

Cinto de Segurança

SERMÃO

Textos:
I Tessalonicenses 5:16,17;
João 15:4,5.

Introdução:

A – Hoje vamos estudar a metáfora do cinto de segurança.

B – O Departamento de Trânsito está cada vez mais exigente: obriga que todos os carros tenham e todos os motoristas usem, peremptoriamente, o cinto de segurança. Ou você usa ou paga a multa. A escolha é sua.

1 – Não devemos apenas culpar o Detran. Culpemos a nós mesmos, quando deixamos de cumprir a lei.
2 – A lei do cinto de segurança, hoje, é internacional.

a) Em Moçambique – África, onde morei seis anos: Dura lex sed lex. A lei é dura, mas é a lei. Certo dia, fui pego sem o cinto de segurança. Eu saí de casa, apressado e atrasado, e lá no próximo quarteirão estava o guarda esperando-me. Foi multa certa: quinhentos mil meticais. Se você acha que aqui no Brasil as multas são caras, então, vá para lá...

C - Mas cinto de segurança para quê? - pergunta o motorista incauto.

1 - A resposta é óbvia: para evitar acidentes.

2 – Muitos acidentes têm sido fatais por não se usar o cinto de segurança.

Ilustração: Dois acidentes fatais na Missão Maranhense: Pastor e esposa se envolveram num acidente de carro, que se desviou da estrada e caiu dentro de uma profunda lagoa. Ambos morreram. Não se sabe se estavam usando o cinto de segurança.

Outro pastor e esposa também se envolveram num acidente automobilístico. A porta abriu. Ela voou, quebrou a coluna vertebral e morreu. Não estava com o cinto de segurança.

a) Você ainda teria coragem de procurar: para que serve o cinto de segurança?

D – Ao viajarmos de avião encontramos o aviso:

1 – “Ponha o cinto de segurança”.
2 – “Vamos subir: aperte o cinto”.

a) Se há turbulência na rota que seguimos: “Aperte o cinto”.

3 – “Vamos aterrissar: aperte o cinto”.
4 – É bom não desobedecer, pois uma queda inesperada e abrupta no vácuo pode levar o imprudente para fora do banco.

(1) Isso pode ser desastroso!

E – Irmãos, as recomendações que recebemos nos aviões levam-nos a pensar muito seriamente nas subidas e descidas das turbulências da vida.

1 - Muitos, nos jornadear da vida, se julgam tão seguros de si mesmos que desprezam os cintos de segurança de Deus.

a) Quantos dizem: Que nada, eu estou seguro! Eu conheço tudo. Já sou crente faz muitos anos. Já tenho experiência espiritual suficiente.

(1) Duvidam de uma possibilidade de uma queda espiritual.
(2) Sentem os seus passos firmes.
(3) Acham-se conhecedores de tudo.
(4) Confiam na sua bagagem de experiência.
(5) Não se julgam calouros, nem marinheiros de primeira viagem, na jornada da vida; por isso podem dispensar certas medidas de segurança.

F – Para esses vem o conselho do experiente apóstolo São Paulo: “Aquele, pois, que pensa estar em pé, veja que não caia”. (I Coríntios 10:12).

1 – Isto é, para mim, como se o comissário de bordo dissesse: “Ponha o cinto de segurança”.

G – Analisemos os cinco cintos de segurança de Deus:

I - JESUS CRISTO - O MAIS IMPORTANTE E INDISPENSÁVEL CINTO DE SEGURAÇA.

A – Jesus é o mais poderoso cinto de segurança para sua vida.

1 - João 15: 4 e 5: - Permanecei em mim, e Eu permanecerei em vós. Como não pode o ramo produzir fruto de si mesmo, se não permanecer na videira, assim, vós o podeis dar, se não permanecerdes em Mim. Eu sou a videira, vós, os ramos. Quem permanece em mim, e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer.

a) Assim como os galhos não podem viver nem produzir frutos se não estiverem ligados à árvore, não permaneceremos em Cristo se não estivermos ligados a Este poderoso cinto de segurança.
b) Conhece-se uma árvore pelos seus frutos. “Portanto cada árvore é conhecida pelo próprio fruto. Porque não se colhe figos de espinheiro, nem de abrolhos se vindimam uvas”. (Mateus 7:16).
(1) A bananeira produz bananas.
(2) A mangueira produz manga.
(3) A jaqueira produz jaca.

B – E a videira produz o quê?
1 – Você sabe a resposta ou tem dúvidas!

Ilustração: A professora, o aluno e o fruto da videira.
A professora procurou para um aluno qual era o fruto que produzia a videira. Ele não sabia. Pensou, pensou – e nada. Teve um insight. Respondeu: “Professora, se a jaqueira produz jacas; a bananeira, bananas; a mangueira, mangas, então, a videira deve produzir vida”. A professora consertou: “Meu filho, a videira produz uvas”.

Aplicação homilética: Você acha que ele errou? A professora, que era uma cristã, passou o dia inteiro pensando na resposta daquele menino e concluiu que, do ponto de vista espiritual, ele tinha razão.
2 – Jesus disse: “Eu sou a videira”. Essa videira – que é Jesus – produz vida.
a) “Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância”. (João 10:10).
b) Você precisa estar ligado à videira.

C – O crente que não usa esse cinto de segurança está em perigo.
1 – Sem Cristo, no primeiro acidente você pode morrer espiritualmente.
2 – Apegue-se a Este cinto de segurança, e viva bem a vida cristã.

II – A IGREJA – É O SEGUNDO CINTO DE SEGURANÇA DE DEUS PARA NÓS.

A – Para chegarmos mais facilmente ao céu, precisamos da igreja.

1 – Na epístola aos Hebreus, Paulo diz: “Não deixando a congregação como é o costume de alguns”. (Hebreus 10:25).

a) Nos dias de Paulo já havia quem gostava de ficar em casa e não ia mais à igreja.

2 – Talvez alguém diga: “A igreja não salva ninguém. Se a igreja não me salva, eu não preciso dela”. Ledo engano!
3 – É bem verdade que a igreja não nos salva, mas nos mostra o caminho e nos aponta o Salvador.

Ilustração: Certa vez um homem disse: “Para chegar ao céu eu não preciso da ajuda da igreja”.
Disseram-lhe: “Quando o senhor vai atravessar a um rio bem largo, prefere entrar na canoa ou nadar?”

(1) Imagine alguém que quer passear em Alcântara, do outro lado da ilha de São Luís, no continente. Diz: “Para chegar a Alcântara eu não preciso de navio, e se lança ao mar e vai nadando”...

a) Vai chegar ou não vai chegar? É impossível ou é possível? É possível, sim, mas é difícil. Existem muitos tubarões na travessia!...

Ilustração: Certamente você já ouviu falar da saudosa nadadora brasileira Dailza Damas, que atravessou o Canal da Mancha que separa a França da Inglaterra. Levou 19 horas nadando, Depois atravessou outras vezes.

(b) Portanto, chegar também a Alcântara nadando é possível, sim, mas é difícil.

(3) É possível chegar ao céu sem a igreja, mas é difícil como também é difícil e perigoso atravessar o Canal da Mancha nadando. Viajar no ferry boat é mais seguro.
(4) A igreja é a embarcação que nos ajuda nessa travessia para o céu...

Ilustração: Um homem à procura da igreja perfeita. Um homem dizia para certo pastor: “No dia em que eu encontrar a igreja perfeita, aí, sim, vou ser membro dela”. O pastor lhe respondeu: “Quando o senhor encontrar a igreja perfeita, por favor, não se torne membro dela”. Mas por quê? – Perguntou. O pastor lhe respondeu: “Porque no momento em que o senhor se tornar membro da igreja perfeita, ela deixará de ser perfeita”. O problema está com o homem, e não com a igreja de Cristo.

a) A igreja é um hospital? Quem procura os hospitais? Os doentes...

(1) A igreja é o lugar dos doentes espirituais... A igreja é um lugar para pecadores.

6 – Portanto a igreja é um cinto de segurança e de proteção para o cristão que quer chegar ao céu.

III – A ORAÇÃO - O TERCEIRO CINTO DE SEGURANÇA:

A – Este cinto de segurança é poderoso. A oração não é um privilégio exclusivo da velhice.

1 – Todos podem usar. As crianças e os jovens podem orar, utilizando este cinto de segurança.
2 – A oração é uma audiência que você pode ter regularmente com Deus.

B – A oração é uma chave à sua disposição, com a qual você pode abrir os celeiros do céu.

C – É uma válvula de segurança para você.

1 – É uma válvula de escape. Quando você está quase a estourar e não aguenta mais, a oração pode ser uma válvula de escape na sua vida.

Ilustração: É como as válvulas das panelas de pressão. Não sei se a sua panela de pressão é daquelas que têm uma válvula em cima que fica chiando... Essa válvula é colocada para a panela não explodir.

(1) A oração é esta válvula de escape, que não permite você estourar, quando os problemas estão acima de sua cabeça...

D – A oração é um privilégio universal, mas também é um privilégio individual.
1 – É, em suma, um cinto de segurança para a vida espiritual.

2 – Sem orar você pode cair depressa.
3 – Orando você está seguro em Deus, e as turbulências da vida, as descidas, as subidas não farão você cair.
4 – I Tessalonicenses 5:16 e 17- “Regozijai-vos sempre. Orai sem cessar”.
5 – O que é orar? Orar é conversar com Deus como você conversa com um amigo.
6 - Como orar? Ajoelhado, em pé, trabalhando, viajando, estudando...

a) Orar e abrir o coração a Deus como a um amigo.
b) Evitar as orações estereotipadas.
c) Contar a Deus seus problemas.

Ilustração: Uma pessoa que trabalhou o dia inteiro e chega a sua casa cansada. Ditou-se e não tem disposição para se levantar. Conte isto a Deus... Até dormir. No dia seguinte, ao acordar, continue conversando com Deus e lhe pergunte: Onde paramos ontem à noite? E passe o dia conversando com Ele. Isso é orar.

IV – A PALAVRA DE DEUS - O QUARTO CINTO DE SEGURANÇA.

A - Na Bíblia você se encontra sistematicamente com Cristo. A Bíblia dá testemunho de Jesus.

B - Ela é viva e você precisa de uma palavra viva, da verdade viva para estes dias tremendos em que vivemos.

C – Ela é a Palavra eficaz.
1 – Você pode aplicar os seus ensinos.
2 – Você pode confiar nas suas garantias e promessas.
3 – Você pode viver como a Palavra de Deus recomenda.
4 – Você pode usá-la.
5 – Ela é proveitosa. Há lucros para a vida no conhecimento da Palavra. “Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra”. (II Timóteo 3:16).

D – Portanto, a Palavra de Deus é um cinto de segurança para a vida do cristão.


V – O ÚLTIMO CINTO DE SEGURANÇA: O TRABALHO CRISTÃO.

A – Devemos utilizar os nossos dons nos interresses do reino de Deus.

1 – As ocupações cristãs santificam a vida.
2 – Trabalhar no serviço de Deus é crédito para a eternidade.
3 – Precisamos usar os nossos talentos, tempo e energia no serviço de Deus.
4 – Em suma, o trabalho cristão é um cinto de segurança.
5 – Ninguém esfria na fé, enquanto estiver ativo no trabalho de Deus.

a) O primeiro sintoma da queda espiritual é não trabalhar para Deus.

(1) Quando estamos ativos trabalhando para Deus é mais fácil vencer os problemas.
(2) Dizem que mais da metade dos jovens que se batizam na igreja abandonam a fé.
(3) Muitos são os motivos que levam uma pessoa a deixar a igreja, mas o principal deles é não trabalhar em favor da Causa e de si mesmo, porque quando aquecemos aos outros espiritualmente, somos aquecidos também.

Ilustração: O jovem que queria ser eliminado da igreja porque não fazia nada por ela. O pastor pediu que ele fizesse, sábado à tarde, duas visitas: visitar uma irmã doente e também dar um estudo bíblico para um jovem interessado na verdade. Achava que não sabia dar um estudo bíblico. Deu o primeiro e aprendeu a trabalhar. Sua vida foi mudada. Nunca mais pensou em abandonar a igreja.

CONCLUSÃO:

A – Assim como necessitamos do cinto de segurança para a vida, necessitamos cada dia dos cintos de segurança de Deus para evitar os acidentes espirituais. Nunca se esqueça de usar os cintos de segurança de Deus:

1 – A Igreja
2 – A Oração.
3 – A Palavra de Deus.
4 – Jesus Cristo.
5 – O Trabalho Cristão.

B – Assim você estará seguro em sua viagem em direção à Cidade Santa.

C – E lá você se encontrará com Cristo e estará para sempre ao Seu lado, onde todos gozaremos uma vida feliz.

1 – Porém, antes que isto aconteça, aperte bem os cintos.


ORAÇÃO: Senhor nosso Deus, vivemos em um mundo de constantes perigos. Por este motivo, necessitamos de Tua presença cada momento de nossa vida. Senhor, assim como os galhos devem estar ligados á árvore, nós necessitamos sempre estar ligados a Ti. Nosso Pai, Ajuda-nos a nos manter sempre ligados aos cintos de segurança que nos dás para atravessar os caminhos difíceis desta vida. Necessitamos estar unidos com a Tua Igreja na proclamação da mensagem. Carecemos cada dia da Tua Palavra que nos fortifica espiritualmente. Precisamos falar contigo sempre através da oração. Dá-nos sabedoria, a fim de que possamos ganhar outros para o Teu reino. Sobretudo, Senhor, necessitamos estar inteiramente ligados à videira, a fim de que possamos produzir bons frutos para o Teu reino. É em nome de Jesus que te pedimos. Amém!

Hinos Sugeridos: H.A., 16, 240


Pr. Emmanuel de Jesus Saraiva
Natural de São Luís – Ma. Formado em Teologia, Pedagogia e Letras. Autor de dois livros: “Memórias da África” e “A História do Adventismo no Maranhão”. Trabalhou como pastor em várias igrejas no Maranhão, dentre as quais a Igreja Central de São Luís. Foi departamental de Jovens e Educação nas Missões Costa Norte, Central Amazonas e Nordeste e diretor do Educandário Nordestino Adventista – ENA. Por seis anos foi missionário na África, como diretor do Seminário Adventista de Moçambique, onde lecionou várias disciplinas teológicas, dentre as quais Homilética e Oratória. Casado com a professora aposentada Nilde Fournier Saraiva. Tem duas filhas: Raquel e Léia. Trabalhou como pastor por 35 anos. Hoje, jubilado, mora em São Luís - MA e atua como Ancião da Igreja do Colégio Adventista de São Luís - CASL.

1 comentários:

  1. Parabéns pelo sermão, ótima metáfora.
    Que possamos enteder que não podemos estar sem Jesus Cristo, temos que andar com ele para que estejamos seguro.

    Que Deus te abençoe.

    Feliz semana.

    -----------------------------------
    Marcos Nascimento de Lima
    http://www.adventistado7dia.com
    marcos@adventistado7dia.com

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...