quinta-feira, 16 de abril de 2009

Rick Warren pede perdão a líderes homossexuais

Warren arrepende-se de ter apoiado Proposta 8, medida que protege casamento na Califórnia contra investida da agenda gay.

Rick Warren, pastor de mega-igreja na Califórnia e autor do livro Uma Vida Com Propósitos, pediu perdão a seus amigos homossexuais por fazer comentários em apoio da Proposta 8 da Califórnia. Essa proposta, defendida por evangélicos, católicos e outros religiosos, tinha como objetivo proteger a instituição do casamento contra os ataques legais de ativistas homossexuais.

Warren agora afirma que ele “nunca deu nenhum apoio” a essa emenda defendendo o casamento.

Na segunda-feira de noite, no programa de TV Larry King Live, da CNN, o Pr. Rick Warren pediu perdão por seu apoio à Proposta 8, dizendo que ele “nunca foi e nunca sera” um “ativista contra o homossexualismo ou contra o casamento gay”.

No entanto, duas semanas antes da votação da Proposta 8 em 4 de novembro, o Pr. Warren distribuiu nota apoiando explicitamente a emenda de proteção ao casamento, ao se dirigir aos membros de sua igreja. “Apoiamos a Proposta 8. E se vocês acreditam no que a Bíblia diz sobre casamento, vocês precisam apoiar a Proposta 8 também”, disse ele.

A seguir a transcrição completa do comentário de Warren poucas semanas antes da votação da Proposta 8:

A hora da eleição está chegando, em apenas duas semanas, e espero que vocês estejam orando sobre seu voto. Uma das propostas que, evidentemente, quero mencionar é a Proposta 8. Essa proposta havia sido instituída porque os tribunais rejeitaram a vontade do povo. E um tribunal com quatro caras realmente votou para mudar a definição de casamento que exite há 5.000 anos.

Ora, permita-me dizer isto realmente com clareza: apoiamos a Proposta 8. E se vocês crêem no que a Bíblia diz sobre casamento, vocês precisam apoiar a Proposta 8. Nunca apóio um candidato, mas em questões morais eu me manifesto bem claramente.

Essa é uma questão, amigos, em que todos os políticos tendem a estar de acordo. Perguntei diretamente para Barack Obama e John McCain: qual é sua definição de casamento? E os dois disseram a mesma coisa: é a definição tradicional, histórica e universal do casamento — um homem e uma mulher, para a vida inteira. E todas as culturas durante 5.000 anos, e todas as religiões durante 5.000 anos, disseram a mesma definição: casamento é entre um homem e uma mulher.

Ora, eis algo interessante. Os gays e as lésbicas são apenas dois por cento da população americana. Não devemos deixar que dois por cento da população decidam mudar uma definição de casamento que tem o apoio de todas as culturas e todas as religiões há 5.000 anos.

Essa não é uma questão exclusivamente cristã. É uma questão humanitária e humana que Deus criou o casamento para o propósito de estabelecer a família, o amor e a procriação.

Por isso, incentivo vocês a apoiar a Proposta 8, e a repassar essa mensagem para outros. Vou distribuir uma nota aos pastores mostrando o que é que creio nessa questão. Mas todos sabem no que creio. Eles me ouviram no Fórum Civil quando perguntei a Obama e McCain sobre suas opiniões.

Entretanto, durante sua entrevista à CNN na segunda-feira, Warren expressou remorso por apoiar a Proposta 8. “Escrevi a todos os meus amigos gays — os líderes gays que eu conhecia — e realmente lhes pedi perdão”, confessou ele.

Além disso, o Pr. Warren disse que ele não queria comentar ou criticar a decisão da Suprema Corte de Iowa, EUA, da semana passada de legalizar o “casamento” homossexual porque “isso não é sua agenda”.

O Dr. Jim Garlow, pastor sênior da Igreja Wesleyana Skyline em San Diego, ajudou a liderar a campanha da Proposta 8 na Califórnia. Garlow admite que está confuso e preocupado com a decisão do Pr. Warren de pedir perdão por ter apoiado a Proposta 8.


“Historicamente, quando instituições e indivíduos recuam de convicções acerca das verdades da Bíblia, só um fator leva a isso: o medo de perder o respeito das outras pessoas. Em outras palavras, preocupar-se mais com o que as outras pessoas vão pensar do que com o que Deus pensa”, concluiu ele.

Nota:

A cada dia que passa, o cristianismo pós-moderno tenta de uma forma ou de outra adaptar os princípios bíblicos as preferências das pessoas. Me surpreende um líder religioso como Warren, de projeção iternacional, sentir remorso por defender a princípio uma doutrina bíblica relacionada ao casamento, mas que mediante a reação daqueles que Warren afirma serem seus "amigos", voltar atrás em sua posição.

Fico imaginando como Deus se sente quando o "casamento", deixa de ser valorizado por líderes religiosos. O que dizer dos seus seguidores?


Eu continuarei sempre defendendo o casamento como um princípio escriturístico, ainda que o mundo fique contra mim. Mesmo que o mundo vire de cabeça para baixo!

Sabe por quê?


Mais importa obedecer
a Deus do que aos homens. (At 5:29).


PR. FÁBIO DOS SANTOS
Teólogo, Pastor Local da Igreja Adventista em Osório - RS, casado com Margarete Elisia dos Santos, professora da Escola Adventista nesta cidade. Filho de Adventistas (Nildo F. dos Santos - "Obreiro da CPB" e Lucila G. dos Santos - "Colportora da APC").
Webmaster e Editor geral do Blog Nisto Cremos

7 comentários:

  1. Olá Pr. Fábio!
    Lendo seu artigo lembrei de um outro que já havia visto sobre Rick Warren:
    http://www.musicaeadoracao.com.br/crescimento/saddleback_iasd.htm
    Focando apenas nos argumentos, há de se considerar que vivemos tempos bicudos.

    Outra coisa: Não me parece ser despropositada a composição do palanque de posse de Obama...

    PS: Todo dia quando entre no meu blog lembro do Pastor, que fez a gentileza de me confeccionar o banner! Tks again!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa. Seu Blog está bonito, funcional e atualizado. Sucesso!

      Excluir
  2. Quando precisar, estamos a disposição.
    A propósito, você se apresenta como DDP, mas qual é o seu nome?

    ResponderExcluir
  3. Talvez o que ele queria expressar era meramente um pedido de perdão de pecador para pecador. Embora o homosexualismo seja antibíblico, não é por isso que precisamos nos isolar dessas pessoas e tratá-las como anátema. Todos temos nossos pecadinhos que ferem o caráter de Deus, seja o homosexualismo, pornografia ou o jeitinho brasileiro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente não precisamos nos isolar das pessoas. Elas continuam sendo objetos da atenção de Deus a fim de salvá-las. Como Cristãos, devemos reconhecer que Deus nos aceita a despeito de nossos pecados e que não temos o direito de julgar.
      Um abraço!

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...