terça-feira, 21 de abril de 2009

A corrida cristã

SERMÃO

Texto: Hebreus 12:1

Introdução:

A - As Olimpíadas, ou os Jogos Olímpicos, são sempre realizados, em algum lugar do mundo, de quatro em quatro anos.

1 – Embora sejam realizados de quatro em quatro anos, muitos atletas se preparam todos os dias.

B - A famosa Corrida de São Silvestre é realizada uma vez por ano, em São Paulo.

1 – Atualmente, comparecem corredores de toda a parte do mundo, especialmente os africanos que quase sempre ficaram nos primeiros lugares, nos últimos anos.

a) – Todos eles fazem um preparo especial.

2 – Todos têm um objetivo: Ganhar o Prêmio.

I – A CORRIDA CRISTÃ.

A – O texto da mensagem diz: “Desembaraçando-nos de todo peso e do pecado que tenazmente nos assedia, corramos com perseverança a carreira que nos está proposta”. (Hebreus 12:1 últ. parte).

1 - É uma corrida que todos nós temos de tomar parte.

2 - Haverá um prêmio como recompensa? Um troféu a ser levantado no final da corrida?

II – COISAS PECULIARES DE UMA CORRIDA PEDESTRE.

A – As Peculiaridades são:

1 – Há uma pista a trilhar.
2 – Há um alvo a alcançar.
3 – Existem regras a seguir.
4 – Existem outros corredores com quem competir.
5 – Há expectadores que estão a animar. Correr numa pista vazia não traz inspiração.
6 – Finalmente, há um prêmio a ganhar...

III – AS COISAS PECULIARES DA CORRIDA CRISTÃ.

A – As Peculiaridades são:

1 – Existem as Testemunhas – “Portanto também nós, visto que temos a rodearmos tão grande nuvem de testemunha, desembaraçando-nos de todo peso e do pecado que tenazmente nos assedia, corramos com perseverança a carreira que nos está proposta”. (Hebreus 12:1).

a) As testemunhas são os anjos. – “Não são todos eles espírito ministradores, enviados para o serviço a favor dos que hão de herdar a salvação?”. (Hebreus 1:14).

(1) Os anjos são espíritos ministradores para nos orientar na Corrida Cristã. Eles sempre estão prontos para nos ajudar na hora difícil.

Ilustração: Minha experiência viajando numa estrada na África.
Eu viajava de Moçambique ao país vizinho chamado Zimbábue. Embora a estrada fosse asfaltada, estava cheia de buracos. Viajando a uma velocidade de 80 km, entrei numa curva, e qual não foi a minha surpresa, quando vi um caminhão, vindo em grande velocidade, na contramão, em minha direção. Tive a intuição de correr para o outro lado da pista. O motorista do caminhão, vendo também o perigo, voltou para a sua mão, onde eu estava. Ia-me pegar de cheio, vindo em grande velocidade para cima de mim. Em fração de segundos a carreta ia-me esmagar. Então clamei: “Meu Deus”! Senti que uma força misteriosa puxou a direção do carro para o outro lado contrário, fazendo-o voltar para a mão certa. O caminhão passou veloz por mim, e eu por ele, sem nos batermos. Eu viajava com um nativo, funcionário da escola, de nome João Orlando. Perguntei-lhe: “Orlando, foi você que puxou a direção para o outro lado?” Ele me respondeu: “Eu, não, pastor. Apenas fechei os olhos para não ver a morte”. Lá adiante, paramos o carro para orar. A nossa vida tinha sido salva.

(2) Esse é o trabalho dos anjos. “O anjo do Senhor acampa ao redor dos que O temem e os livra”. (Salmo 34:7).

2 – A Corrida é instituída pelo próprio Deus.
3 – A linha de partida é a mesma para todos.
4 – A pista é reta. Na há atalhos.
5 – Não é algo que dure apenas alguns dias, meses ou anos. É uma Corrida de resistência que dura por toda a vida.
6 – É cheia de obstáculos. Satanás, inimigo de Deus e nosso inimigo, interpõe-se no caminho do cristão, colocando-nos obstáculos.
7 – Não obstante, esta corrida já foi feita antes. Cristo correu primeiro em nosso lugar este caminho, dando-nos o exemplo de como podemos vencer. “Olhando firmemente para o Autor e Consumador da fé, Jesus, o qual em troca da alegria que lhe estava proposta, suportou a cruz, não fazendo caso da ignomínia, e está assentado à destra do trono de Deus”. (Hebreus 12:2).

a) Na corrida cristã só vencem os que olham firmemente em Jesus. Não adianta olhar nas coisas desta vida: nos pecados dos outros ou nas deficiências da igreja e de seus membros.

(1) É mister correr, olhando firmemente em Jesus. Quem corre olhando em Jesus, chega ao final da meta, e vence todos os obstáculos do caminho.

Na corrida cristã os homens reagem de três maneiras:

I – OS QUE NUNCA INICIAM.

A – O Mancebo Rico: – “Eis que alguém, aproximando-se, lhe perguntou: Mestre, que farei eu de bom, para alcançar a vida eterna? Respondeu-lhe Jesus: Por que me perguntas acerca do que é bom? Bom só existe um. Se queres, porém, entrar na vida guarda os mandamentos. E ele lhe perguntou quais? Respondeu Jesus: Não matarás, não adulterarás, não furtarás, não dirás falso testemunho; honra a teu pai e a tua mãe e mamarás o teu próximo como a ti mesmo. Replicou-lhe o jovem: Tudo isto tenho observado; que me falta ainda? Disse-lhe Jesus: Se queres ser perfeito, vai, vende os teus bens, dá aos pobres e terás um tesouro no céu; depois, vem e segue-me. Tendo, porém, o jovem ouvido esta palavra, retirou-se triste por ser dono de muitas propriedades”. (Mateus 19:16-22)

1 – A Bíblia nem sequer cita o seu nome. Ficou na história como o jovem rico.
2 – Ele queria ir para o céu, levando nas costas um fardo muito pesado: a sua riqueza. O mancebo rico nunca iniciou a corrida cristã.

B – O Rei Agripa: – “Então, Agripa se dirigiu a Paulo e disse: Por pouco me persuades a me fazer cristão”. (Atos 26:28).

1 – Paulo pregou para o rei Agripa. Mostrou-lhe o caminho.

a) O rei Agripa esteve bem perto da linha de partida. Não obstante, sua posição de rei não lhe permitiu que ele desse o primeiro passo.

II – OS QUE COMEÇAM E NÃO TERMINAM

A – J u d a s: – “Porque ele era contado entre nós e teve parte neste ministério. (ora, este homem adquiriu um campo com o preço da iniqüidade; e precipitando-se, rompeu-se pelo meio, e todas as suas entranhas se derramaram”. Atos 1:17, 18.

1 – Judas seguia Jesus, visando às coisas materiais.
2 – Ele esperava que Jesus fosse se assentar no trono de Davi para reinar, tomando o poder que estava nas mãos dos romanos.

a) Pensava: “Seguindo este homem, estarei feito na vida”.

(1) Mas Jesus dizia abertamente: “Meu reino não é deste mundo”. “As raposas têm os seus covis, as aves dos céus, ninhos, mas o filho do homem não tem onde reclinar a cabeça”.

b) Judas concluiu que Jesus não iria para lugar nenhum.
c) Judas começou a se decepcionar com Jesus.

Aplicação homilética: Você já se decepcionou com Jesus?

3 – Judas vendeu o seu mestre. Era a indenização por três anos de trabalho. Eram os direitos trabalhistas que ele não tinha: Carteira assinada, FGTS, PIS, INSS...


a) Judas vendeu Jesus Cristo por trinta moedas de prata. Na verdade, Judas não vendeu Jesus. Judas vendeu-se a si mesmo. Judas valia trinta moedas de prata.

Aplicação homilética: Por quanto você venderia Jesus Cristo? Eu sei o que você respondeu: “Por dinheiro nenhum”.

4 – Mas existem muitas pessoas que estão vendendo Jesus Cristo, ou melhor, estão vendendo a si mesmos por um preço mais barato do que Judas O avaliou.

a) Vendem Jesus Cristo por um copo de bebida.
b) Vendem Jesus Cristo por um cigarro.
c) Vendem Jesus Cristo por uma tragada de maconha.
d) Vendem Jesus Cristo por uma picada na veia de qualquer droga.
e) Outros vendem Jesus Cristo por “Onze Minutos” de prazer, e uma vida inteira de sofrimento e decepção.

B – D e m a s: - “Porque Demas, tendo amado o presente século, me abandonou e se foi para Tessalônica...”. (II Timóteo 4:10)

1 – Demas era um colaborador de Paulo na evangelização. O que levou Demas à desgraça foi o “presente século”, que o fez abandonar Paulo e desprezar Jesus Cristo.

Aplicação homilética: Os Demas de hoje. Quantos hoje desprezam Jesus e passam amar o mundo e o presente século, e abandonam a igreja. “Não ameis o mundo nem as coisas que há no mundo. Se alguém amar o mundo, o amor do Pai não está nele; porque tudo que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não procede do Pai, mas procede do mundo. Ora o mundo passa, bem como a sua concupiscência; aquele, porém, que faz a vontade de Deus permanece eternamente. (I João 2:17-19). “Infiéis, não compreendeis que a amizade do mundo é inimiga de Deus? Aquele, pois, que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus”. (Tiago 4:4).

2 – Demas fez uma péssima escolha.

C – A Mulher de Ló – Gênesis 19: 16 - 26.

1 – Ela começou a sua jornada, mas não a terminou.
2 – Os anjos conseguiram tirar a mulher de Ló de Sodoma, mas não conseguiram tirar Sodoma de dentro dela. Ela deveria fazer isto, mas infelizmente não fez. “Olhou para trás e ficou convertida numa estátua de sal”.

Experiência: Luís Gonzaga.
Foi meu colega de igreja. Batizou-se no mesmo dia em que fui batizado. Era um jovem missionário e profundo conhecedor das Escrituras. Aos poucos foi esfriando na fé. Começou a fumar, depois a beber, e caiu na apostasia. Fazendo a Operação Resgate, os jovens muitas vezes visitamos Luís Gonzaga. Ele dizia: “Estou apenas de ‘férias’. Mas eu vou voltar para a igreja”. Os dias se passavam e cada vez mais ele se afastava de Deus. Agora, a amizade dele não era mais com os jovens da igreja, mas com pessoas do mundo. Certo domingo foi à praia e, na volta - todos embriagados, inclusive o motorista - houve um terrível acidente e aquele jovem sadio e forte morreu tragicamente. No dia seguinte, os jovens da igreja foram levar Luís Gonzaga até a sua última morada. Luís Gonzaga ficou entre aqueles que começam e não terminam.

III – OS QUE CORREM ATÉ O FIM

A – O Apóstolo Paulo

1 – A vida de Paulo conta a história de um corredor fiel.
2 – Ele estava na linha de partida, quando Deus o chamou na estrada de Damasco.
Saulo de Tarso era um perseguidor a Igreja. Ao se encontrar com Cristo, deixou de ser um perseguidor e passou a ser um perseguido.

a) A partir daí, não era mais Saulo. O seu nome foi mudado. Passou a ser Paulo.

3 – Analisando a vida dos cristãos, ninguém sofreu mais por Cristo do que o apóstolo Paulo. Se você tem dúvidas, então leia: II Coríntios 11:23-27. – “São ministro de Cristo? (Falo como fora de mim.) Eu ainda muito mais: em trabalhos muito mais; muito mais em prisões; em açoites sem medida; em perigo de morte, muitas vezes. Cinco vezes recebi dos judeus uma quarentena de açoites menos um; fui três vezes fustigado com varas; uma vez apedrejado; em naufrágio três vezes; uma noite e um dia passei na voragem do mar; em jornadas muitas vezes; em perigo de rios, em perigo de salteadores, em perigo entre patrícios, em perigo entre gentios, em perigo na cidade, em perigo no deserto, em perigo no , em perigo no mar, em perigo entre falsos irmãos; em trabalhos e fadigas, em vigia muitas vezes; em fome e sede, em jejuns, muitas vezes; em frio e nudez”. Basta!

– Quem aqui já passou por essas turbulências da vida?

B – E quantas vezes muitos cristãos fracos, por qualquer coisinha deixam a igreja!...

1 – Dizem: “Eu não posso mais ser um cristão. A vida está difícil!”...
2 – Se a vida está difícil ao lado de Cristo, muito mais difícil será longe dEle.

C – O incentivo de Paulo aos demais corredores: – “Irmãos, quanto a mim, não julgo havê-lo alcançado; mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que para trás ficam e avançando para as que diante de mim estão, prossigo para o alvo, para o prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus”. (Filipenses 3: 13, 14).

CONCLUSÃO:

A – Outras peculiaridades da corrida:

1 – Na corrida cristã não existe competidor.

2 – O único competidor que temos é o nosso próprio eu.

3 – Todos os que terminam ganham o prêmio. – “Não sabeis vós que os que correm no estádio, todos, na verdade, correm, mas um só leva o prêmio? Correi de tal maneira que o alcanceis. Todo atleta em tudo se domina; aqueles para alcançar uma coroa corruptível; nós, porém, a incorruptível”. (Coríntios 9: 24, 25).

B – A profunda convicção de Paulo – “Combati o bom combate, completei a carreira, guardei a fé. Já agora a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, reto juiz me dará naquele Dia; e não semente a mim, mas também a todos quantos amam a Sua vinda”. (II Timóteo 4: 7 e 8).

C – A que classe pertence você?

1 – Os que nunca iniciam a corrida cristã. Como o Mancebo Rico e o rei Agripa? Você já fez a sua decisão? Lembre-se: a indecisão pode ser uma decisão. Quem passa a vida inteira indeciso, tomou uma decisão: viver e morrer na indecisão.

2 – Os que começam e não terminam. Como Judas, Demas, a mulher de Ló e outros que hoje estão deixando a igreja e olhando para trás?

3 – Os que correm até o fim. Como o apóstolo São Paulo e todos os demais cristãos que, através dos séculos, morreram firmes na fé?

– A escolha e decisão é inteiramente sua.

Ilustração: Os gregos sempre gostaram de corrida. Li, algures, anos atrás – creio que foi numa “Meditação Matinal” - a lenda grega da princesa que casou com um corredor chamado Damão. Ela possuía muitos pretendentes, e não sabia com quem se casar. Promoveu uma corrida, alegando que o vencedor seria o escolhido. Centenas de jovens se candidataram e passaram a se preparar para o esperado dia. Damão era um dos pretendentes. Era um bom corredor, mas não tão ágil como os africanos de nossa atualidade que correm na São Silvestre. Ele conhecia a sua limitação e sabia que outros tinham mais chances que ele. Levou consigo uma medalha de ouro no bolso. Dizia: Se eu não ganhar de um jeito vou tentar de outro. A corrida começou e logo Damão tomou a dianteira. Ao final, começou a perder força. Um outro jovem corredor mais forte que ele, passou na frente. Faltavam poucos metros, e Damão em segundo lugar. O segundo lugar e o último era a mesma coisa. Damão tirou a medalha do bolso e jogou na frente, onde o corredor ainda ia passar. Vendo a medalha, correndo, foi tentar pegar, mas tropeçou e caiu. Damão passou na frente e como resultado foi a campeão. Casou com a princesa.

Aplicação homilética: Essa é apenas uma lenda. Mas que lição podemos tirar dela. É isso que o Diabo está fazendo em nosso caminho muitas vezes Ele coloca uma medalha, que pode ser o dinheiro, a fama, uma mulher bonita ou um homem bonito. Muitos tropeçam e caem, e ele vence. Mas o que correm, olhando em Jesus são vencedores.

D – Apelo à fidelidade – “Se fiel até a morte e dar-te-ei a coroa da vida”. (Apocalipse 2:10).

O Hino diz:

A Jesus eu serei sempre fiel.
A Jesus eu serei sempre fiel.
Há um alvo a alcançar
Uma vitória a conquistar
Por Jesus, pela cruz vencerei.

A Jesus meus talentos eu darei.
A Jesus meus talentos eu darei.
Há um alvo a alcançar,
Uma vitória a conquistar,
Por Jesus, pela cruz vencerei.


ORAÇÃO: Senhor nosso Deus e nosso Pai amado. Estudamos a Tua Palavra neste momento, que nos mostrou que necessitamos participar da Corrida Cristã. Ajuda àqueles que ainda não deram o primeiro passo. Ajuda àqueles que ainda não tomaram uma decisão de Te servir verdadeiramente. Que o exemplo deles não seja semelhante ao Mancebo Rico, que se afastou sem seguir as Tuas pisadas. Senhor, queiras abençoar àqueles que iniciaram um dia a corrida, mas abandonaram o caminho. Nosso Pai, dá-nos forca para vencer o pecado, que tenazmente nos assedia. Continua orientando-nos no caminho, a fim de que sejamos sempre fiéis a Ti todos os dias de nossa vida como foi a apóstolo Paulo. É em nome de Jesus que te pedimos. Amém!


Hinos sugeridos: H.A., 74, 474, 437



Pr. Emmanuel de Jesus Saraiva
Natural de São Luís – Ma. Formado em Teologia, Pedagogia e Letras. Autor de dois livros: “Memórias da África” e “A História do Adventismo no Maranhão”. Trabalhou como pastor em várias igrejas no Maranhão, dentre as quais a Igreja Central de São Luís. Foi departamental de Jovens e Educação nas Missões Costa Norte, Central Amazonas e Nordeste e diretor do Educandário Nordestino Adventista – ENA. Por seis anos foi missionário na África, como diretor do Seminário Adventista de Moçambique, onde lecionou várias disciplinas teológicas, dentre as quais Homilética e Oratória. Casado com a professora aposentada Nilde Fournier Saraiva. Tem duas filhas: Raquel e Léia. Trabalhou como pastor por 35 anos. Hoje, jubilado, mora em São Luís - MA e atua como Ancião da Igreja do Colégio Adventista de São Luís - CASL.

2 comentários:

  1. Mestre Saraiva,
    Correr visando Jesus. Maior dos objetivos! Esse propósito, tenho certeza, haverá de nortear nossos passos após a leitura de hoje, em que, mais uma vez, o nobre missionário, demonstra seu poder de comunicação. Parabéns!

    Helio Pires Veras

    ResponderExcluir
  2. Grande mestre, sermões inspiradores. Não pare de postar sermões desta natureza, creio que estão sendo e serão usados por muitos pregadores e com certeza converterão muitas pessoas a Jesus Cristo. Que Deus seja contigo Homem de Deus.

    Pr. Dário Jayme da Cunha, Central de São Luís, 10/2013

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...