quarta-feira, 22 de abril de 2009

Ainda à espera do Messias...

Moshe Feiglin, líder do Manhigut Yehudit (Movimento Judaico de Liderança) disse que caso fosse eleito Primeiro-ministro de Israel, tentaria reconstruir o destruído Templo de Jerusalém.

'Não sei se terei o mérito de fazer algo que é a aspiração de todos os judeus. Mas se me tornar Primeiro-ministro, retirarei o controlo do Monte do Templo (n. d. r.: também conhecido como Esplanada das Mesquitas) do Waqf (n. d.r.: nome dado ao empreendedorismo islâmico, normalmente associado a lugares e motivos religiosos), e reinstalarei a soberania judaica em todo o espaço e, esperançosamente, reconstruirei o templo', afirmou Feiglin, que assume ainda ser este um desejo judaico desde 1967, ano da fundação do moderno estado de Israel.

Feiglin, sustentando que este propósito simboliza a essência de um estado judaico, fez esta declaração durante a Conferência de Ramle, patrocinada pela organização sionista Komemiyut e por um pequeno grupo de rabis. O tema deste encontro foi 'Entre Israel e as Nações do Mundo'.

Moshe Feiglin é membro do partido Likud (união, em hebraico; congrega a direita liberal, sionista, nacionalista e conservadora), liderado por Benjamin Netanyahu. Nas últimas eleições, ele era o 20º cabeça de lista e, por isso, tinha quase assegurado um lugar no Knesset, o parlamento israelita. No entanto, Netanyahu alterou a lista colocando-o no 36º lugar. Assim, Feiglin ficou fora do parlamento na presente legislatura.

Que relação podemos aqui encontrar com os ensinamentos da Bíblia?

O rabi Zalman Melamed, líder espiritual do Komemiyut, prevê para breve um despertamento religioso entre os judeus, dizendo que 'existe um firme processo de desenvolvimento no qual o estado está gradualmente se tornando mais religioso'.

Eventualmente mais significativa é a sua convicção de que 'há um número crescente de famílas religiosas e um forte sentimento de que as pessoas desejam que a redenção chegue já. E parte desse processo será a reconstrução do templo'.

A escatologia hebraica visiona a construção do terceiro templo em Jerusalém (após a destruição dos dois anteriores) juntamente com a vinda do Messias.

No entanto, este não será um processo simples (mesmo sob o ponto de vista político e social, já para não falar do biblico-profético que apresentarei de seguida...). Desde o século VII que o lugar do Templo é ocupado pela Cúpula da Rocha, um dos mais importantes monumentos islâmicos em todo o mundo, e pela Mesquita de Al-Aqsa, o terceiro lugar sagrado para os muçulmanos, depois de Meca e Medina.

A Bíblia é muito clara quanto ao Messias, ao futuro Rei de Israel e de como se estabelecerá o Seu reino.

De entre as dezenas de profecias do Antigo testamento que anunciam a Sua chegada, recupero a de Isaías 7:14 que diz 'portanto, o mesmo Senhor vos dará um sinal: eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho, e chamará o seu nome Emanuel'. Isaías 53 faz uma perfeita descrição do Messias e Seu ministério.

O Novo Testamento conta a bela história desse Rei.

Lucas 2:28-34 relata o momento em que Simeão, um líder judeu se encontrou com Jesus (ainda este era um bebé de oito dias), nestes termos: 'ele, então, o tomou em seus braços, e louvou a Deus, e disse: 'agora, Senhor, despedes em paz o teu servo, segundo a Tua palavra; pois já os meus olhos viram a Tua salvação, a qual tu preparaste perante a face de todos os povos; luz para iluminar as nações, e para glória de Teu povo Israel. E José, e sua mãe, se maravilharam das coisas que dele se diziam. E Simeão os abençoou, e disse a Maria, sua mãe: eis que Este é posto para queda e elevação de muitos em Israel, e para sinal que é contraditado'.

Pelo Espírito do Senhor (v. 26), Simeão anunciou que Aquele bebé seria para salvação, glória de Israel (ou povo escolhido) mas também para queda e elevação de muitos em Israel'.

João 1:40-41 relata quando Ele foi descoberto pelos judeus: (não era por não serem líderes que eles não eram judeus...) 'era André, irmão de Simão Pedro, um dos dois que ouviram aquilo de João, e o haviam seguido. Este achou primeiro a seu irmão Simão e disse-lhe: achamos o Messias (que traduzido é o Cristo).

Quando Jesus se encontra com a muher samaritana, dá-se o seguinte diálogo (João 4:25-26): 'a mulher disse-lhe: eu sei que o Messias (que se chama o Cristo) vem; quando ele vier, nos anunciará tudo. Jesus disse-lhe: Eu o sou, Eu que falo contigo'.

Por terem os judeus, o seu próprio povo, rejeitado o Messias, Jesus entregou as bênçãos da salvação a outra nação que O honrasse devidamente.

Mateus 21:42-43 conta: 'disse-lhes Jesus: nunca lestes nas Escrituras: a pedra, que os edificadores rejeitaram, essa foi posta por cabeça do ângulo. (...) Portanto, eu vos digo que o reino de Deus vos será tirado, e será dado a uma nação que dê os seus frutos'.

Finalmente, sim, a redenção irá chegar em breve. Mas não será com a reconstrução de qualquer edifício terreno, mas sim como disseram os anjos àqueles que viram Jesus ascender aos céus (Atos 1:11): 'os quais lhes disseram: homens galileus, por que estais olhando para o céu? Esse Jesus, que dentre vós foi recebido em cima no céu, há de vir assim como para o céu O vistes ir'.


FILIPE REIS
Nascido e educado na Igreja Adventista do Sétimo Dia e batizado em Março de 1989, aos 13 anos. Vive em Vila Nova de Gaia, Portugal. Serviu vários anos como Diretor da Escola Sabatina e Ancião na Igreja de Pedroso, Portugal, entre outras funções. Em breve iniciará a formação em Teologia no Colégio Adventista de Sagunto (Espanha), para servir como Pastor. Editor do Blog O Tempo Final. Casado com Sofia, aguardam para breve o primeiro bebé, que se chamará Caleb.

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...