quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Pessoas do "Sim" e do "Não"


Há pessoas do “sim” e há pessoas do “não”.

As pessoas do sim são aquelas que têm como pano de fundo da sua vida, o fazer, o permitir, o tentar, o abrir, o testar, o experimentar.

As pessoas do não são as que vivem para fechar, não-permitir, temer, desfazer, negar, enfim.

As pessoas do sim são alegres, joviais, ingênuas até. Passam por bobas, são frequentemente enganadas, pagam contas duas vezes, perdem no varejo e sentem-se ganhando no atacado.

As pessoas do não são tristes, rabugentas, preocupadas, “espertas”, levam vantagem em tudo, ganham no varejo e nunca admitem perder. São desconfiadas de tudo e de todos e não levam desaforo para casa.

As pessoas do sim são desarmadas, estão sempre prontas a ajudar as pessoas e não percebem se estão sendo exploradas por falsos amigos.

As pessoas do não querem ser servidas e acham-se sempre exploradas por verdadeiros amigos.

Sempre me pergunto o que faz alguém ser uma pessoa do sim ou do não. Será carga genética?

Serão condicionamentos operantes da própria vida? A verdade é que as pessoas estão inapelavelmente divididas entre o sim e o não.

As pessoas do não são tristes e covardes. Tem verdadeiro terror do desconhecido, para elas sempre portador do mal.

As pessoas do sim são alegres e corajosas. Enfrentam o desconhecido com serena tranqüilidade porque o vêem sempre trazendo mais um bem.

Sejam quais forem as razões a determinar essa condição vivencial das pessoas, a verdade é que nada é mais terrível do que conviver com pessoas do não. Elas não somente são sofredoras atrozes, como fazem sofrer aos outros que têm a desventura de com elas conviver. As pessoas do não infelicitam a própria vida e de quantos a elas se chegarem. A vida para elas é um peso insuportável e não conseguem viver a não ser negando a própria existência.

Platão quando falava das três partes da alma: filosofia, guerreira e lasciva e em suas ricas descrições nos “Diálogos” também se referia a pessoas negadoras, controladoras de outrem, policialescas, cuja única verdade (sic) é o “negar” e o “proibir”.

O mundo de hoje já não é muito hospitaleiro para a vida. Torná-los, o mundo e a vida, ainda piores pela negatividade, pela descrença como lei, pela desconfiança, pela desavença, é um crime de lesa humanidade.

Às pessoas que têm essa veia negativa e negadora muito forte, aconselho que procurem auxílio, até médico se necessário. O excesso de negatividade chega a ser patológico. A vida fica muito mais difícil e dura de ser vivida e convivida com pessoas assim e esse perene masoquismo faz mal.

E o pior é que essas pessoas é que essas pessoas denominam-se “realistas”, pois só vêem a negra realidade em sua frente. É uma maneira doentia de ver o mundo e encarar a vida.

É claro que não estou advogando em favor das pessoas que são verdadeiras “Alice no pais das Maravilhas” e que não conseguem ver a gravidade dos momentos graves, nem a seriedade das ocasiões sérias.

O que defendo é a saúde mental plena, a pessoa alegre, bem-humorada, sem urgências, sem histerias, sem excessos perenes como forma escolhida de viver. É claro que todos temos momentos e fases negadoras, mas fazer da própria vida uma negação do viver é simplesmente loucura a que muitos se dedicam. E essas, são as pessoas do “não”. Deus nos livre delas todas.


PROF. LUIZ MARINS

Antropólogo. Estudou Antropologia na Austrália (Macquarie University/School of Behavioural Sciences) sob a orientação do renomado antropólogo indiano Prof. Dr. Chandra Jayawardena e na Universidade de São Paulo (USP), sob a orientação da Profa.Dra. Thekla Hartmann;

- Licenciado em História (Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Sorocaba); estudou Direito (Faculdade de Direito de Sorocaba); Ciência Política (Universidade de Brasília - UnB); Negociação (New York University, NY, USA); Planejamento e Marketing (Wharton School, Pennsylvannia, USA); Antropologia Econômica e Macroeconomia (Curso especial da London School of Economics em New South Wales) e outros cursos em universidades no Brasil e no exterior.

Site: www.anthropos.com.br

11 comentários:

  1. Há pessoas do “sim” e há pessoas do “não”.
    ...
    As pessoas do não são as que vivem para fechar, não-permitir, temer, desfazer, negar, enfim.
    ...
    As pessoas do não são tristes, rabugentas, preocupadas, “espertas”, levam vantagem em tudo, ganham no varejo e nunca admitem perder. São desconfiadas de tudo e de todos e não levam desaforo para casa.
    ...
    As pessoas do não querem ser servidas e acham-se sempre exploradas por verdadeiros amigos.
    ...
    As pessoas do não são tristes e covardes. Tem verdadeiro terror do desconhecido, para elas sempre portador do mal.
    ...
    pessoas negadoras, controladoras de outrem, policialescas, cuja única verdade (sic) é o “negar” e o “proibir”.
    ...
    Às pessoas que têm essa veia negativa e negadora muito forte, aconselho que procurem auxílio, até médico se necessário. O excesso de negatividade chega a ser patológico. A vida fica muito mais difícil e dura de ser vivida e convivida com pessoas assim e esse perene masoquismo faz mal.

    E o pior é que essas pessoas é que essas pessoas denominam-se “realistas”, pois só vêem a negra realidade em sua frente. É uma maneira doentia de ver o mundo e encarar a vida.
    ...
    É claro que todos temos momentos e fases negadoras, mas fazer da própria vida uma negação do viver é simplesmente loucura a que muitos se dedicam. E essas, são as pessoas do “não”. Deus nos livre delas todas.
    ________________________________________________

    Ex 20
    3 NÃO terás outros deuses diante de mim...
    4 NÃO farás para ti imagem de escultura...
    5 NÃO te encurvarás a elas nem as servirás...
    7 NÃO tomarás o nome do SENHOR teu Deus em vão...
    10 ...; NÃO farás nenhuma obra...
    13 NÃO matarás.
    14 NÃO adulterarás.
    15 NÃO furtarás.
    16 NÃO dirás falso testemunho contra o teu próximo.
    17 NÃO cobiçarás a casa do teu próximo...
    ________________________________________________

    Mt 5:37
    Seja, porém, o vosso falar: Sim, sim; Não, não; porque o que passa disto é de procedência maligna.

    ResponderExcluir
  2. Aos que tomam a Lei de Deus como "Prescritiva" ao invés de "descritiva" há uma forte razão para acomodarem-se no "não" e começarem a orbitar em torno de um nihilismo religioso que parece piedade, mas nega os efeitos benéficos da mesma... para tais pessoas, "Piedade" é estar estritamente dentro de um código Legal arbitrário ditado por Alguém que pode jogá-los a qualquer momento no "Fogo Eterno"... portanto, todo cuidado para agradá-Lo é pouco ainda...

    Mas as pessoas que vêem a Lei como uma descrição do Caráter maravilhoso do Pai perceberão que trata-se de uma Declaração divina sobre a certeza da restauração de um caráter arruinado pela separação de Si mesmo e do resultado final que Ele espera alcançar...

    Ora ora, afinal de contas, destruir é muito, mas MUITO fácil mesmo! Eu, que não sou Deus, posso fazer isto!

    Agora, restaurar, vivificar, amar incondicionalmente, curar, eis aí coisas que muitas pessoas de hoje precisam saber que Deus opera EM REALIDADE, e isso está descrito em Sua Lei!

    Talvez por isso mesmo Satanás odeie tanto essa Lei: porque ela declara que Deus pode livrar e restaurar a ponto de as pessoas não mais matarem, roubarem, adulterarem, e sobretudo, passarem a amar a Deus e, consequentemente, aos seus semelhantes... isto é a Lei e ao mesmo tempo, o fim das falácias de Satanás!

    Ajude-nos Deus a atingir um ponto de maturidade espiritual no qual possamos enfocar mais o Doador que o Dom, a Pessoa que Vem mais que a Vinda, o Juiz mais que o Juízo, o Relacionamento com uma Pessoa mais que o assentimento a regras que não motivam a nos aproximar de Deus, mas a temê-Lo ainda mais devido à nossa incapacidade para guardá-las...

    Mas Deus acredita em nós! Ele crê em nossa capacidade de responder positivamente aos Seus apelos de Amor, por que Ele nos criou... se duvidasse de nós, estaria duvidando de Si mesmo... e de maneira interessante, é isto que muitos de nós temos pregado: que Deus duvida de Si mesmo!

    "A Minha Ira se acendeu contra ti... porque não falaste de mim o que é reto...o Meu Servo Jó orará por vós, para que Eu não vos trate segundo a vossa loucura..."

    Pensem nisto, vocês que amam ditar regras autofágicas... e que imaginam um Deus que tem prazer no "Eterno Não"...

    Já que Deus não muda, quem deve mudar somos nós... isto é lógico!!!

    Gil

    ResponderExcluir
  3. Sempre o mesmo defeito argumentativo: Pessoas ao revés das idéias. Daí para as costumeiras ofensas é o espaço entre os imprescindíveis "compassos ternários".

    Como já deve ter reparado, faz algum tempo que resolvi não perder tempo com esse tipo de proposta, não me importando com insuflados egos, que buscam "terminar" assuntos.

    Sobre meu comentário, é apenas um contraponto ao enfoque excludente do artigo. Tão excludente quanto pensar que Deus é apenas amor e perigosamente se esquecer que Ele é justo e santo ou, que longânimo e tardio em irar-se, não tenha uma medida que está prestes a se encher.

    Autofágico é compactuar com esta perda de identidade. Deus mandou esta Igreja, o último Elias, pregar: Arrependam-se! Alguns estão preocupados em justificar o homem por desculpas, substituindo a Graça, que está se tornando cada vez mais barata, infelizmente.

    Satanás agradece.

    ResponderExcluir
  4. Caro DDP:

    Já estou acostumado a esse tipo de discurso como o seu.

    Você afirma que Deus é amor, MAS (sic) também é santo e justo...sua idéia principal é colocar o amor de Deus em oposição à Sua justiça, como se o maior ato de justiça não fosse exatamente o Amor!

    Você fixa-se na teoria do Holocausto e do Sacrifício e esquece-se do que eles ensinam: "misericórdia quero, e não sacrifícios, E O CONHECIMENTO DE DEUS MAIS DO QUE HOLOCAUSTOS";

    E sua anti-bíblica teoria de que a medida da paciência divina está a se esgotar lembra-nos muito a antiga teoria da "porta fechada": algo calculado para amedrontar e para afastar mais ainda o mundo do Único que pode curá-lo de sua rebelião!

    O objetivo de Deus são as pessoas, não o que elas fazem! As regras não devem devorar a si mesmas, mas preservar e aperfeiçoar; toda vez que prego que Deus está a ponto de perder a paciência, presto um grande desserviço à causa do Evangelho, que é justamente a Verdade sobre o Deus Eterno!

    Infelizmente, caro DDP, suas palavras duras e faltas de misericórdia não se parecem muito com o Espírito de Cristo...

    A Graça de Deus não pode ser medida e Suas misericórdias "renovam-se a cada manhã"... percebemos que o Rei Davi acertou quando preferiu cair nas mãos de Deus ao invés de nas mãos dos homens: a diferença entre ambos é exatamente "as muitas misericórdias de Deus" em contraste com as poucas reveladas pelo Homem.

    Não seja o caso de estarmos sendo motivo de queda e afastamento de Deus aos nossos irmãos, ao invés do contrário.

    Mas se pintamos a Deus com cores tão sombrias, é porque nossa concepção dEle não foi transformada por Cristo, mas foi ditada por qualquer coisa que se assemelhe a medo ou legalismo.

    A Lei não é o nosso Deus; o Autor da Lei sim!!!

    Isto também é lógico. Se temos a Deus, temos a Lei; se não temos o Autor da Lei, tampouco temos a Lei.

    Sequer temos vida.


    Gil

    ResponderExcluir
  5. E um detalhe muito importante: "ARREPENDIMENTO" significa "tornar atrás" em nossa próprias concepções sobre Deus e aceitar o Testemunho de Jesus sobre Ele;

    Arrepender-se não é viver perigosamente por causa da ira e da falta de paciência de um deus caprichoso e imprevisível, que precisa ser aplacado por "procedimentos" legais; tudo o que Ele pede é que O aceitemos como Ele é; que Lhe entreguemos nosso coração; então, Ele transformará nosso caráter.Não há nada que possamos fazer para nos transformar a nós mesmos ou para mudar a maneira como Deus nos vê.

    Isso não é graça barata. Isso é o Evangelho Eterno.

    Por isto, é mistér que sejamos pessoas do SIM, do SIM para o Testemunho de Jesus sobre o Pai, do SIM para a vontade de Deus em relação a nós...

    Evitar palavras como "perigosamente", "mão pesada", Julgamento das obras, "tende mêdo do Senhor", ou mesmo colocar características e princípios de Seu Santo caráter em oposição um ao outro, como se Deus fosse contraditório como o Homem, isto sim é um serviço ao qual Satanás agradece.

    Foi assim que este anjo enganou a terça parte dos seus companheiros e também o Homem: insinuando o que não era verdade sobre Deus.

    Pense nisto e acalme-se.



    Gil

    ResponderExcluir
  6. Meu caro Gilson,

    Vc torceu tudo que escrevi e, como este espaço não é chat, resigno-me a afirmar, que em nenhum momento coloquei o caráter de Deus em oposição, uma vez que este adversativo "mas" foi utilizado por vc, já q ele não existe no meu texto, onde destaco claramente o aditivo "e".

    Outra coisa, não falei em "medida da paciência", falei em "uma medida" e, Deus a estabelece pela iniquidade, que Lhe é ofensiva.

    No que se refere ao arrependimento, também o considerei dentro da cosmovisão precípua desta Igreja, no contexto de Ap 14, as demais inferências são somente suas e rebater algo que não se afirmou é correr atrás do vento.

    Experimente ler o que o interlocutor escreve, quem sabe assim seja capaz de parar de produzir monólogos.

    No mais seu texto padece do mesmo vício que implicitamente se abstrai daquele transcrito no post que ensejou meu comentário, o da exclusão, como se um pertinente "não" tivesse o poder de anular um necessário "sim", ou vice-versa.

    E tudo isso decorre da fuga do transcendente para o imanente, reflexo do desequilíbrio humano e de seu eterno desafio em habitar os extremos, paradigma este que só pode ser vencido com Cristo ao leme, não subjetivamente, mas pelo Está Escrito, até que possamos não mais vislumbrá-Lo como por espelhos, mas face a face.

    Finalizando, por gentileza, não tente adivinhar o que penso ou o que sou, muito menos o que sinto, vc não tem subsídios para isso.

    ResponderExcluir
  7. Olá Gilson!

    Ultimamente tenho percebido em seus comentários, pitadas de ironia e sarcasmo referindo-se aos comentários de colegas que publicam nesse Blog.

    Falo isso em referência a outros artigos deste Blog também.

    De repente, tente comentar o artigo e não procurar atacar divergências pessoais. Com todo o respeito, não quero que o meu Blog seja um "adventistas.com" que tem como objetivo ATACAR ao invés de EDIFICAR.

    Tenho usado de muita paciência ao publicar tais comentários e sei que todos são provas disso.

    Mas muitos já estão reclamando por que o foco do blog está sendo diluído a cada dia com ataques pessoais. Fico imaginando que pessoas de outras denominações não teriam interesse em conhecer a igreja adventista baseado em relacionamentos tão agressivos encontrados neste blog.

    Espero a sua compreensão, somente assim poderei continuar publicando seus comentários.

    Vamos usar esse espaço para somar uns com os outros e não prejudicar os relacionamentos e o testemunho de nossa igreja.

    Agradeço a sua compreensão!!!

    ResponderExcluir
  8. Pr. Fábio:


    Perdoe-nos pela maneira um tanto veemente em afirmar as coisas que cremos; procuraremos, dentro do espírito cristão e da decência, moderar esse defeito de caráter para o qual temos orado muito solicitando de Deus uma solução; creio que Ele tem ouvido...

    Mas o que eu gostaria de afirmar é que não escrevo desejando agredir ou usar de sarcasmo; não me agrada em absoluto usar esse método; mas sempre que o fizer, peço encarecidamente que a repreensão venha, para que eu aprenda e cultive o que tanto prezo: o SIM SIM e o NÃO NÃO, justamente o contrário do sarcasmo!

    Se meus comentários pareceram ao sr. excessicamente veementes, eu peço perdão publicamente e também declaro minha vontade ardente em contribuir para o aperfeiçoamento em unidade de toda nossa amada Igreja; mas se o sr. prefere ignorar meus comentários, não lhe tiro a razão, afinal, sendo o dono do blog e também moderador, lhe assiste todo o direito!

    Enfim, julgue o sr. se deve ou não publicar meus comentários... mas lembre-se que meu nome não é Gilson; por favor, trate-me apenas como Gil, para que eu não imagine que se está tratando de outra pessoa e não de mim... obrigado!

    O sr. conta com toda minha compreensão!

    Dando palavras finais ao que aprendi de Deus, Ele é o que é; não removerá uma única pilastra do edifício que já ergueu, porque é Perfeito; mas falará a cada geração de maneira que Se faça entender claramente!
    O que quero dizer é que Ele Se utiliza de novas maneiras para falar sobre coisas antigas!

    Fugindo da pessoalidade, o que desejo que nossos irmãos compreendam é que nenhuma mensagem nos foi dada além da que já foi estabelecida por Deus, a fim de desencorajar qualquer indício de separatismo; oro todas as noites a Deus para que Sua Igreja cresça em Unidade e em conhecimento dAquele a quem conhecer significa Vida Eterna!

    Se estiver errado, com muita humildade submeter-me-ei à correção, pois sou parte dessa igreja e acredito na disciplina; mas se não for este o caso, não seria o momento de começar a falar de Deus ao invés de enfatizar normas que nunca poderemos cumprir por nós mesmos?


    Não nos é necessário defender a Verdade, caro Pastor! Ambos cremos que ela sustém-se por si própria!

    Aceito a correção e humildemente coloco-me à sua disposição!


    Gil

    ResponderExcluir
  9. Ao caro DDP:

    Apenas cito ao caro irmão a passagem maravilhosa do livro de Provérbios:

    "Até o tolo, quando se cala, é tido por sábio.";

    Portanto, para que não tenham a mim como tolo, acho que chegou a hora de calar-me...

    O assunto do Blogo é muito interessante; trata de coisas edificantes e muito proveitosas ao nosso dia-a-dia; creio que focar este assunto seja melhor do que o ataque pessoal; se alguma vez o fiz em relação a você, peço-lhe perdão e prometo não repetir o feito; proponho que procuremos viver nossas vidas em harmonia e procurando o bem comum ao invés de assumir partidarismos que só causam ódio.

    Em conclusão, é conveniente a ambos lembrar que a medida que usamos para medir nossos semelhantes é a mesma que está a nos medir...

    Nunca nos esqueçamos disto.

    Um bom Sábado e boa semana!

    GIL

    ResponderExcluir
  10. Gilson
    Sou uma ex adventista, é a primeira vez que entro neste blog. E fico muito triste ao ler seus comentários, por favor, não atrapalhe a missão desses pastores que são homens que escolheram dedicar suas vidas inteiramente a Deus. Eu ainda vou voltar para Jesus, tenho meus motivos pessoais. Me perdi na fé porque fui fraca mas acredito e defendo de todo o meu coração a Palavra de Deus e os preceitos da Igreja Adventista. Mas eu conheço a verdade, outras pessoas que ainda não conhecem e que entram neste blog sedentas da Palavra de Deus, ao invés de encontrarem um pouco de paz acabam encontrando discussões desnecessárias. A internet é um meio de comunicação muito eficaz, você como cristão, use-a para evangelizar e não atacar a Deus. Dedique seu tempo para edificar e não criticar, até mesmo porque Jesus está voltando e ainda temos muito trabalho pela frente.
    Permita que os pastores cumpra a missão deles enviada por Deus.
    Obrigada

    ResponderExcluir
  11. Pastores
    Uma coisa muito linda aconteceu esta semana. Estou afastada da igreja já faz um tempo, mas sempre falo para as pessoas que já fui Adventista e tenho muita vontade de voltar porque ela prega a verdade.
    E esta semana, uma amiga que trabalha comigo me disse que já é a segunda vez que ela sonha com a igreja Adventista.Ela é de outra religião. E sem eu falar nada sobre tudo o que sei a respeito da verdade ela pediu para que eu desse a ela o endereço da igreja que eu frequentava. Fiquei super feliz por ela porque sei que Deus a está chamando. E mesmo eu não sendo um bom exemplo sinto que Deus me usou de alguma maneira. Gostaria que orassem pela minha amiga para que ela seja tocada pela palavra de Deus e alcance a salvação.
    Uma boa semana

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...