terça-feira, 25 de novembro de 2008

O Membro Itinerante

Em cidades com mais de uma igreja, existe uma forte tendência a existir um grupo de membros itinerantes, que a cada culto buscam uma congregação diferente. Num artigo interessante da Adventist Review, foram apresentados os problemas daqueles que não tem o hábito de freqüentar sempre a mesma igreja, com uma pitada de imaginação:



1. Relacionamentos não são desenvolvidos: Já que a pessoa nem sempre está ali para conhecer e ser conhecida, poucos relacionamentos são desenvolvidos.


2. Falta de responsabilidade: Não dão satisfação da sua vida espiritual para ninguém. Essa é uma parte importante do desenvolvimento espiritual. Os membros itinerantes não criam vínculo com nenhuma igreja. Não fazem parte de um grupo e nem conhecem o nome das pessoas. Por mais que muitas pessoas não entendam a significância disso, é importante que os demais membros da família espiritual "monitorem" o crescimento e desenvolvimento espiritual uns dos outros.

3. Dons espirituais não desenvolvidos: Nessas circunstâncias raramente o membro coloca os seus dons à disposição da igreja. Na verdade, alguns dons ficam escondidos. Dons que poderiam ser ferramentas poderosas nas mãos de Deus.

4. Dificuldade em encontrar um parceiro: Acredite ou não, o membro itinerante tem mais dificuldade de encontrar um parceiro ou parceira. Os itinerantes não chegam a conhecer todos os membros da igreja porque estão se movendo muito rapidamente.

5. Jesus deu o exemplo: Jerusalém provavelmente dava a oportunidade de visitar sinagogas, mas Jesus deu o exemplo. Ele provavelmente chegava para os cultos um pouco antes do início, juntamente com amigos, e se prontificava a ajudar. Ele conhecia as outras pessoas da congregação e participava com eles a cada sábado. Após o culto, eles comiam juntos e conversavam.

Conselho final: Tente permanecer na igreja de sua preferência, sábado após sábado, durante todo o ano. Em vez de buscar uma bênção, seja uma!



Leia o artigo inteiro de Benjamin J. Baker.



PR. MARCELO DIAS

Professor no Seminário Adventista Latino-Americano de Teologia. Pastor do distrito do Parque dos Trabalhadores da Igreja Adventista do Sétimo Dia. Estudou teologia no Brasil e Administração nos EUA. Completou o MBA na Califórnia e cursa o Mestrado em Teologia em São Paulo. É casado com Ana Cláudia V. Mainer.

1 comentários:

  1. Seria interessante elucidar de onde vem a conclusão sobre a relação de Jesus com os cultos. Já que está sendo usado o comportamento dEle para defender uma idéia, o "provavelmente" não é suficiente.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...