domingo, 7 de setembro de 2008

Mau exemplo de cima: Lula diz que defende o uso do fumo em qualquer lugar

Na contramão das campanhas do Ministério da Saúde e das decisões de diversas prefeituras e governos estaduais restringindo o fumo em lugares públicos, o presidente Luiz Inácio da Silva fez ontem apologia do tabagismo. "Eu defendo, na verdade, o uso do fumo em qualquer lugar”, declarou Lula, durante uma entrevista a jornalistas no Palácio do Planalto. Alguns repórteres presentes à conversa, que não teve registro fotográfico, disseram que o presidente fumava uma cigarrilha enquanto respondia às perguntas. Uma delas questionava sua opinião acerca do projeto federal que proíbe o fumo em lugares fechados. O projeto do Ministério da Saúde tramita na Casa Civil, desde fevereiro, e propõe a extinção dos fumódromos em recintos fechados, liberando o cigarro, com algumas exceções, apenas em casa ou na rua.

Lula, no entanto, não quis se manifestar acerca do mérito da proposta. “Eu não vou propor. A idéia do ministério é a proibição do fumo em todos os lugares fechados. Eu mando o projeto para o Congresso e não voto”, declarou. Ao ser questionado sobre outro decreto, que proíbe o fumo no Palácio do Planalto, o presidente respondeu: “Menos na minha sala. Eu, se for na sala dos outros, certamente não fumarei porque respeito o dono da sala. Mas, na minha, sou eu que mando".

A Casa Civil afirmou que o projeto federal “está em análise, sem previsão de ser enviado ao Congresso”, mas garantiu que o Palácio do Planalto observa a lei 9.294, de 15 de julho de 1996, e o decreto nº 2.018, de 1996. A lei proíbe o uso de cigarro ou qualquer outro produto do gênero em recinto coletivo, privado ou público, salvo em área destinada exclusivamente a esse fim, "devidamente isolada ou com arejamento conveniente". Pelo visto, a regra não é cumprida em todo o Palácio – ao menos, no gabinete de Lula, que fica no terceiro andar.

A assessoria do ministro da Saúde, José Gomes Temporão, informou que a pasta está priorizando seus esforços na aprovação da emenda 29, que destina mais recursos ao setor. Depois, a prioridade será a lei contra o tabagismo. Segundo a economista Márcia Pinto, o fumo traz prejuízo anual de R$ 338,6 milhões ao SUS, em internações para tratamento de enfermidades relacionadas ao hábito de fumar – inclusive quimioterapia em pacientes com câncer de pulmão.

Especialistas criticam Lula

Médicos e especialistas em tabagismo consideram “infeliz e irresponsável” declaração do presidente Luiz Inácio Lula da Silva a favor do fumo.

O coordenador do ambulatório de tabagismo do Hospital das Clínicas de São Paulo, Montezuma Pereira identificou dois equívocos na declaração de Lula. O médico disse que é uma desconsideração do perigo do fumo passivo e o outro a desobediência à lei.

Por sua vez, o ex-ministro da Saúde, Jamil Haddad mostrou-se atônito com as declarações do presidente. Na sua opinião, é uma vergonha um chefe de estado defender o hábito de fumar em qualquer lugar. Já a psicóloga Sílvia Cury, que coordena um programa antitabagismo no Hospital do Coração em São Paulo, considera a frase “infeliz e irresponsável”. A especialista lembra que não é contra o fumante, mas contra a contaminação provocada pelas substâncias cancerígenas exaladas pelo cigarro. A psicóloga ressalta que o próprio presidente Lula há dois anos aprovou adesão do Brasil à lei mundial de controle do tabagismo. De acordo com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), o fumo traz prejuízo anual de R$ 338 milhões ao SUS (Sistema Único de Saúde) em internações e quimioterapias. O tabagismo também provoca a morte de pelo menos trezentas mil pessoas por ano no Brasil.

O Ministério da Saúde não está insento de suas irresponsabilidades também. Não faz muito tempo que publicou uma mensagem subliminar nas carteiras de cigarro incentivando o seu uso.


Quando olhamos para esse pulmão com câncer, embora não possamos identificar facilmente, nossa mente é direcionada a pensar que esse pulmão é de uma pessoa velha que fuma há anos, e que o efeito maligno do cigarro é tardio, pois só chega no final da velhice. Sem nenhuma barreira consciente, aceitamos como se tivéssemos sido hipnotizados.

Mas se olharmos atentamente vamos assimilar que o pulmão é uma imagem subliminar de um velho com cigarro debaixo da barba cacheada, vestido com um manto preto, estilo juiz, o que remete a algo nobre, místico e sábio. O boneco é perfeito e tem todos os traços que estilizam a forma humana. Agora que você está vendo a coisa com outros olhos!


De repente, o Presidente da República e o Ministério da Saúde, deveriam lançar uma campanha chamada "Fumo Zero" assim como a campanha Fome Zero para beneficiar os fumantes e aqueles que detestam o cigarro, mas acabam fumando por tabela. (ACORDA BRASIL)

Eu apoiaria esta campanha! E você?

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...