terça-feira, 30 de setembro de 2008

Homossexualidade e outros pecados...

CRISTÃOS FUNDAMENTALISTAS são os que acreditam que as sagradas escrituras foram ditadas diretamente por Deus e que, por isso, tudo o que nelas está escrito é sagrado, verdadeiro e deve ser obrigatoriamente obedecido para sempre. A verdade divina está fora do tempo. Aquilo que Deus comandava há 3.000 anos é válido para hoje e para todos os tempos futuros.

Digo isso a propósito de uma carta dirigida a Laura Schlessinger, conhecida locutora de rádio nos Estados Unidos que tem um desses programas interativos que dá respostas e conselhos aos ouvintes que a chamam ao telefone. Recentemente, perguntada sobre a homossexualidade, a locutora disse que se trata de uma abominação, pois assim a Bíblia o afirma no livro de Levítico 18:22. Um ouvinte escreveu-lhe então uma carta que vou transcrever:

"Querida doutora Laura, muito obrigado por se esforçar tanto pra educar as pessoas segundo a lei de Deus. (...) Mas, de qualquer forma, necessito de alguns conselhos adicionais de sua parte a respeito de outras leis bíblicas e sobre a forma de cumpri-las: gostaria de vender minha filha como serva, tal como o indica o livro de Êxodo 21:7. Nos tempos em que vivemos, na sua opinião, qual seria o preço adequado?

O livro de Levítico 25:44 estabelece que posso possuir escravos, tanto homens quanto mulheres, desde que não sejam adquiridos de países vizinhos. Um amigo meu afirma que isso só se aplica aos mexicanos, mas não aos canadenses. Será que a senhora poderia esclarecer esse ponto? Por que não posso possuir canadenses?

Sei que não estou autorizado a ter qualquer contato com mulher alguma no seu período de impureza menstrual (Levítico 18:19, 20:18 etc.).O problema que se me coloca é o seguinte: como posso saber se as mulheres estão menstruadas ou não? Tenho tentado perguntar-lhes, mas muitas mulheres são tímidas e outras se sentem ofendidas.
Tenho um vizinho que insiste em trabalhar no sábado. O livro de Êxodo 35:2 claramente estabelece que quem trabalha aos sábados deve receber a pena de morte. Isso quer dizer que eu, pessoalmente, sou obrigado a matá-lo? Será que a senhora poderia, de alguma maneira, aliviar-me dessa obrigação aborrecida?

No livro de Levítico 21:18-21 está estabelecido que uma pessoa não pode se aproximar do altar de Deus se tiver algum defeito na vista. Preciso confessar que eu preciso de óculos para ver. Minha acuidade visual tem de ser 100% para que eu me aproxime do altar de Deus?

Eu sei, graças a Levítico 11:6-8, que quem tocar a pele de um porco morto fica impuro. Acontece que adoro jogar futebol americano, cujas bolas são feitas de pele de porco. Será que me será permitido continuar a jogar futebol americano se usar luvas?

Meu tio tem um sítio. Deixa de cumprir o que diz Levítico 19:19, pois que planta dois tipos diferentes de semente ao mesmo campo, e também deixa de cumprir a sua mulher, que usa roupas de dois tecidos diferentes - a saber, algodão e poliéster. Será que é necessário levar a cabo o complicado procedimento de reunir todas as pessoas da vila para apedrejá-la? Não poderíamos queimá-la numa reunião privada?
Sei que a senhora estudou esses assuntos com grande profundidade de forma que confio plenamente na sua ajuda. Obrigado de novo por recordar-nos que a palavra de Deus é eterna e imutável".

Fonte: Folha de São Paulo, 30 de setembro de 2008.

NOTA: Em primeiro lugar, a Bíblia não foi "ditada" por Deus (o que em teologia é conhecido como inspiração verbal - defendida pelos fundamentalistas). O melhor conceito de inspiração para a Bíblia é conhecido como inspiração do pensamento: "Não são as palavras da Bíblia que são inspiradas, mas os homens é que o foram. A inspiração nãào atua nas palavras do homem ou em suas expressões, mas no próprio homem que, sob a influência do Espírito Santo, é possuído de pensamentos. As palavras, porém, recebem o cunho da mente individual... A mente divina, bem como Sua vontade, é combinada com a mente e a vontade humanas; assim as declarações do homem são a Palavra de Deus" (Ellen White, Mensagens Escolhidas, v. 1, p. 21).

Outro conceito importante para a interpretação da Bíblia é fazer a diferença entre princípios e normas. Princípios são universais (para todos os lugares), eternos (para todas as épocas) e imutáveis. A Bíblia está repleta de princípios. Já as normas são aplicações dos princípios para determinadas épocas, determinados lugares e podem, portanto, sofrer variação (veja o exemplo do uso do véu pelas mulheres 1Co 11:5 - baseado no princípio da descência, Paulo estabeleceu uma norma para a igreja de Corinto sobre o uso do véu pelas mulheres, uma vez que naquela cultura as mulheres que vendiam o corpo não usavam véu).

É bom lembrar também que nem tudo que está registrado como narrativa na Biblia tem a aprovação de Deus - quando a Biblia fala de personagens que eram polígamos, ou que possuíam escravos não quer dizer que Deus aprova essas condutas. A Bíblia simplesmente relata os fatos como eles aconteceram sem se preocupar em "melhorar" propositadamente a imagem de alguns personagens. Daí que as histórias devem ser analisadas com base nos textos prescritivos (que expõem as ordens claras de Deus). Da mesma forma, há que se fazer distinção entre certas leis civis do pentateuco que foram dadas no contexto de uma teocracia com a realidade moderna de uma democracia (matar alguém que transgrediu o sábado, por exemplo, ocorria quando a ordem vinha diretamente de Deus).

Acredito que nem mesmo os "fundamentalistas" possuem determinadas interpretações ironizadas na matéria acima. Torcer as Escrituras para justificar a rejeição de seus ensinos é o esporte favorito de muita gente. Por isso, a falta de tato e bom senso de alguns "fundamentalistas" (o que de fato é reprovável) em dialogar com a sociedade sobre determinados temas (por exemplo: dizer que o homossexualismo é um estilo de vida abominável que leva para o inferno não é a maneira mais inteligente de abordar o tema perante a opinião pública), não significa que os ensinamentos da Bíblia são ultrapassados e indignos de crédito (acho que há outras maneiras de discordar do homossexualismo mesmo sendo defensor do Estado laico).

Por trás dessa matéria pode estar a preocupação da moderna influência religiosa sobre a política, o que de fato é perigoso. Especialmente nos EUA, a religião e a política tem se aliado em muitos assuntos, e isso sim é preocupante por violar o conceito moderno de Estado laico. Devido a influência do puritanismo sobre os evangélicos norte-americanos, a idéia de que a religião deveria controlar ou influenciar o Estado tem sido bem vista nos círculos de influência evangélicos. E isso é mais um sinal do fim...

Saiba mais: "Idéias tem conseqüências" (Leia aqui).
"A liberdade de pensar e julgar a homofilia" (Leia aqui).
"Bactéria mortal se espalha entre gays nos EUA" (Leia aqui).


PR. SÉRGIO SANTELI


Bacharel em Teologia, mestrando em Teologia pelo Unasp e Pastor em São Paulo.


Editor do Blog Minuto Profético

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...