Curiosidades Bíblicas

Curiosidades dos aspectos culturais, sociais, geográficos e religioso!

Sermões

Sermões fáceis de pregar

Pensamentos de Ellen White

Coleção de Pensamentos de Ellen White - Diversos Temas!

Sermões para Ocasiões Especiais

Batismo, Santa-Ceia, Formatura e muito mais!

terça-feira, 30 de setembro de 2008

Câmara dos EUA derruba pacote; bolsas despencam

A Câmara dos Estados Unidos rejeitou nesta segunda-feira, por 228 votos contra 205, o megapacote econômico de US$ 700 bilhões proposto pelo governo americano. Cerca de dois terços dos deputados republicanos, correligionários do presidente George W. Bush, votaram contra o pacote. A notícia fez com que as bolsas de valores despencassem. O índice Dow Jones registrou nesta segunda-feira sua maior queda em pontos em um único dia na história: perdeu 777,68 pontos e fechou com baixa de 6,98%. As operações da Bolsa de São Paulo chegaram a ser suspensas depois de o índice Bovespa ter caído mais de 10%. Os líderes dos dois partidos deverão, nas próximas horas, tentar persuadir congressistas a mudar seus votos e apoiar o pacote.

Tommy Frato, um porta-voz da Casa Branca, disse que o presidente Bush estava "muito decepcionado" com o resultado. De acordo com o porta-voz, o presidente se reunirá com sua equipe nos próximos dias para "determinar os próximos passos". O pacote havia sido proposto pelo presidente George W. Bush no dia 20 de setembro. O líder americano havia defendido que os congressistas precisavam aprovar a proposta com urgência, para evitar que a crise no sistema financeiro se espalhasse por toda a economia.

Antes da rejeição do pacote de ajuda a Wall Street, os mercados já operavam em baixa, depois da confirmação de problemas em mais bancos. Nos Estados Unidos, o Wachovia, quarto maior banco do país, foi comprado pelo Citibank.

Na Europa, o governo britânico nacinalizou o Bradford & Bingley; e os governos de Holanda, Bélgica e Luxemburgo intervieram no Fortis, o 20º maior banco do mundo em faturamento.

Além disso, os bancos centrais dos EUA, o europeu e de oito países abriram linhas de crédito de 330 bilhões de dólares para evitar problemas de caixa em instituições financeiras.

Os deputados republicanos levantaram objeções tanto quanto ao conteúdo do pacote como à pressa em que ele foi colocado em votação.

No fim de semana, líderes partidários haviam chegado a um acordo em relação a pontos polêmicos, como mecanismos de supervisão do mercado financeiro, proteção para os contribuintes e limites aos salários de executivos de instituições financeiras.

As concessões, porém, não foram suficientes para convencer boa parte dos congressistas a seguir a orientação dos líderes no plenário.

Depois da votação, líderes republicanos sugeriram que a culpa era dos democratas, que não teriam conseguido mobilizar sua maioria na Câmara.

Em discurso, também depois da votação, o candidato democrata à Presidência, Barak Obama, disse ser ultrajante que cidadãos americanos tenham de limpar a bagunça criada por Wall Street.

"Se eu for presidente, vou rever o plano todo no meu primeiro dia, para ter certeza de que ele está funcionando para salvar a economia e para que vocês recebam seu dinheiro de volta."

Obama disse esperar que o Congresso aprove alguma forma de programa de ajuda financeira aos bancos, mas admitiu que o caminho para essa aprovação pode ser difícil.

(BBC Brasil)

Nota: Em pouco tempo, uma crise financeira já sem precedentes se desencadeou na maior nação capitalista do mundo, tendo efeitos drásticos em vários países cuja economia está atrelada aos bancos norte-americanos. Isso mostra como as coisas podem mudar rapidamente neste mundo globalizado, levando à tomada de medidas extremas que interferem na vida de bilhões de seres humanos. Como se sabe, os eventos finais serão rápidos, e essa crise é apenas uma amostra disso.


MICHELSON BORGES
É jornalista, mestrando em Teologia pelo Unasp e membro da Sociedade Criacionista Brasileira . É editor na Casa Publicadora Brasileira e autor dos livros /A História da Vida / e /Por Que Creio / (sobre criacionismo), /Nos Bastidores da Mídia / e da Série Grandes Impérios e Civilizações, composta de seis volumes. Casado com Débora Tatiane, tem duas filhas.

Big bang e universos paralelos

Eduardo Lütz é físico e tem atuado também em outras áreas como, por exemplo, Matemática, Informática, Filosofia, Linguagens e Educação. Foi, além de tradutor, professor de Ensino Médio, de escola técnica e de nível superior. Também é programador, analista de sistemas, arquiteto e engenheiro de software. Na Física, tem feito pesquisas em Astrofísica Nuclear, Física Hipernuclear, Buracos Negros e aplicações da Geometria Diferencial a estudos de Cosmologia. Atualmente, ocupa a maior parte de seu tempo em pesquisa e desenvolvimento de tecnologias de software para a Hewlett-Packard.

Nesta entrevista, concedida a Michelson Borges, ele fala sobre big bang, universos e paralelos e outros temas afins.

Você acha que o big bang é uma teoria plausível?

Antes de responder, me parece importante mencionar um aspecto importante da divulgação de informações sobre ciência.

É importante ter em mente que a intuição humana (incluindo a Filosofia) é extremamente inadequada para lidar propriamente com as leis físicas. Felizmente, isso não se aplica a métodos matemáticos, cuja origem não é humana, embora os símbolos sejam inventados. Assim, várias coisas que eu digo sobre ciência podem parecer inconsistentes ou até absurdas, à primeira vista, (incluindo o que acabei de falar sobnre Matemática) pois procuro ajustar a visão filosófica às evidências físicas e suas conseqüências matemáticas, e não ao que parece “razoável” à intuição humana.

Muitas pessoas, ao saber que a probabilidade de determinada hipótese é de “apenas” 99%, optam por uma hipótese concorrente que lhes parece mais razoável. Muito freqüentemente, porém, essa tal “hipótese mais razoável” possui uma probabilidade muito baixa (digamos, 1%), só que sua medida não é amplamente conhecida.

Quando utilizamos o método científico genuíno (não aquela versão descaracterizada que vemos nos livros didáticos), podemos descobrir e corrigir esses equívocos. Um dos aspectos mais fundamentais e menos reconhecidos do método científico é sua base matemática. Teorias científicas são estruturas matemáticas que satisfazem a certos critérios. Muitos, ao ouvirem explicações, motivações ou resultados de uma teoria, confundem essas coisas com a teoria em si.

Estritamente falando, o big bang não chega a ser uma teoria científica. Trata-se de uma família de soluções da equação fundamental de uma teoria científica chamada de Relatividade Geral. Essa teoria, por sua vez, tem-se demonstrado uma excelente aproximação em literalmente bilhões de experimentos e observações.

Vou tentar dar uma idéia do que se trata. Existe um teorema da geometria conhecido pelo nome de “identidades de Bianchi”. Esse teorema, quando combinado com a lei da conservação de energia (primeira lei da Termodinâmica) gera uma equação que constitui a pedra angular da Relatividade Geral.

Como qualquer equação que representa leis físicas, essa descreve uma infinidade de comportamentos possíveis (um para cada situação possível), chamados de soluções da equação. Basicamente, podemos “perguntar” à equação o que acontece em uma dada situação, e ela “responde” com uma de suas soluções. Ao aplicarmos essa equação ao Universo como um todo, podemos ver quais tipos de cosmologias são viáveis e quais tipos são inviáveis, em termos de compatibilidade com a equação.

Observando o Universo, e comparando os dados coletados com as diferentes famílias de soluções da equação da Relatividade Geral, há uma família que se destaca: uma em que o Universo está em expansão. O “problema” é que os membros dessa família têm outra coisa em comum: se o Universo for finito, ele foi extremamente pequeno no passado. Se for infinito, pelo menos a matéria esteve muito concentrada no passado, mesmo ocupando todo o espaço existente. Pode não parecer óbvio à primeira vista, mas matematicamente isso indica que o Universo teve uma origem.

A própria equação que gera essas soluções só é válida até muito próxima ao instante inicial, mas não pode tocar nele e dizer exatamente como o Universo foi criado.

Então, a resposta à sua pergunta, do ponto de vista físico, é: “Sim, o big bang é razoável, mas com uma ressalva quanto ao uso da palavra ‘teoria’, que é questionável nesse caso.”

Como relacionar tudo isso com a doutrina da Criação como exposta na Bíblia?

Primeiramente, é interessante notar que a Relatividade Geral é bem aceita entre criacionistas que têm algum conhecimento dessa área.

De acordo com a Bíblia, o Universo foi criado por Deus antes da semana de Gênesis 1. Uma das evidências encontra-se em Jó 38. Não é razoável, do ponto de vista bíblico, especular-se que o Universo teria sido criado na mesma semana de Gênesis 1. Quão mais velho é o Universo do que a Terra? Um ano? Mil anos? Um trilhão de anos? Pela Bíblia, somente, não sabemos e não podemos opinar.

Como Deus criou o Universo? A Bíblia não diz. Apenas comenta que foi pela Sua Palavra (por meio do Logos) que Ele ordenou e logo tudo apareceu. Isso significa que houve apenas uma fase da criação, que absolutamente tudo foi criado instantaneamente? Obviamente não. Isso seria incompatível até mesmo com Gênesis 1 sozinho, mesmo sem o auxílio de outras passagens. Significa que Deus criou o Universo já grande, plenamente expandido? De forma nenhuma.

Por outro lado, Cristo é chamado de Pai da Eternidade ou Pai Eterno (Isaías 9:6) . Comparando com outras afirmações bíblicas associadas, vemos indicações de Deus existindo além do espaço-tempo. Quando falamos em início do Universo, no contexto físico, estamos falando em início do espaço e do tempo, não só da matéria (até porque matéria e espaço-tempo são interdependentes). A passagem da não-existência do espaço-tempo para a existência dessa estrutura parece ter sua forma mais simples se essa origem ocorrer em algo parecido com uma singularidade (concentração que parece “infinita”), com posterior expansão. As leis físicas mostram que o Universo funciona de maneira otimizada (princípio de Hamilton). Teologicamente, isso significa que Deus sempre age da forma mais eficiente possível, adotando a solução mais simples para cada objetivo.

Então, do ponto de vista teológico, levando em conta Bíblia e as evidências físicas, o cenário do big bang é uma possibilidade mais do que razoável.

E quanto a galáxias “velhas” detectadas a mais de 11 bilhões de anos-luz?

Respondo com outra pergunta: O que isso tem a ver com o big bang? Intrinsecamente, nada. Indiretamente, isso afeta hipóteses sobre mecanismos de formação de galáxias que pretendem estar em harmonia com o cenário do big bang, porém, não lhe servem de fundamento.

Mas existem confusões ainda maiores: há quem chegue a misturar idéias sobre a origem da vida com a do big bang. Lamentável!

Outro detalhe: as estimativas sobre a idade do Universo são muito mais frágeis do que muitos pensam. Existem modelos com altíssima probabilidade de serem adequados, mas também existem modelos frágeis ou até bastante limitados em termos de consistência. Infelizmente, o público leigo dificilmente recebe informações para poder perceber a diferença.

O que você acha da teoria dos multiversos ou universos paralelos? Não seria uma tentativa de escapar à conclusão aparentemente lógica de que o Universo teve um começo?

Realmente, existem muitas tentativas de fugir de cenários nos quais o Universo teve uma origem. Quanto a idéias de multiversos, existem vários indícios no mundo físico que apontam para a existência de “universos paralelos”. Eles aparecem em vários contextos, na verdade. Alguns desses contextos são bastante atraentes para o estudioso da Bíblia.

Existem também os casos de mera especulação, sem qualquer apoio de evidências, aparentemente motivados somente pela aversão à idéia de o Universo ter tido um início, como é o caso do ponto de origem no big bang.

De que forma os universos paralelos podem ser atraentes para o estudioso da Bíblia?

Primeiramente, a Bíblia não se preocupa em explicar fenômenos físicos, embora ela ensine que devemos estudar o mundo físico até para entender melhor temas teológicos. A título de exemplo, notemos a discussão de Jó e seus amigos sobre a justiça de Deus e a forma como Deus aparece no capítulo 38, comentando que eles falavam sem conhecimento de causa, e que deveriam observar o mundo físico para aprender mais sobre o Criador. Voltando ao foco: a Bíblia concentra-se em informações de mais alto nível, do tipo, “Por que Deus permite o sofrimento, em que contexto maior isso se encaixa e qual a solução?”. Ela fornece detalhes históricos passados, presentes e futuros, indicando sua relevância no contexto geral e qual deve ser nosso papel nesses eventos. Isso, por si só, já deveria despertar a curiosidade para que se fizessem pesquisas científicas a respeito.

Apesar de o foco não ser esse, a Bíblia faz afirmações ousadas que possuem implicações físicas. Ela também menciona de passagem algumas coisas que as pessoas tendem a ignorar. Entre os conceitos bíblicos interessantes estão os “buracos de verme”, “wormholes”, “aberturas” no espaço-tempo permitindo, por exemplo, transpor rapidamente distâncias astronômicas sem violar o limite da velocidade da luz.

Outro conceito interessante é o de “regiões celestes”. Muitas pessoas, que crêem na Bíblia e acreditam em anjos e demônios, pensam nessas entidades como seres etéreos, feitos de “energia pura” (isso não existe, diga-se de passagem). Essas entidades seriam invisíveis e intangíveis, podendo atravessar paredes, por exemplo. Porém, observando com mais atenção os textos bíblicos, não bem é isso o que encontramos.

Para encurtar a história, o contexto geral sugere que este universo teria diferentes camadas capazes de comunicar-se entre si em condições adequadas. Essas camadas funcionariam como se fossem universos paralelos, mas na verdade seriam parte deste universo. Objetos e pessoas poderiam, em princípio, passar de uma camada para outra, mas não espontaneamente. Alguém com acesso a uma tecnologia para mover-se de uma camada para outra poderia entrar e sair de lugares “fechados” (pareceria ter atravessado paredes) e ficar invisível.

Podemos aplicar a primeira e a segunda leis da Termodinâmica para afirmar que o Universo teve que ter tido um início?

Podemos usar essas leis ao estudar as evidências. Conforme mencionei, um dos dois princípios que geram a equação que aponta para o início e expansão do Universo (big bang) é justamente a primeira lei da Termodinâmica. Esse cenário de Universo em expansão é extremamente favorável a que a segunda lei da Termodinâmica permita a existência de um Universo habitável.

É bastante estranho ver criacionistas combatendo essas idéias e às vezes até tentando propor modelos alternativos que acabariam implicando em um universo eterno.

Algumas reportagens sobre experimentos com o acelerador de partículas LHC afirmaram que se a tal “partícula de Deus” (bóson de Higgs) não for descoberta terão que reformular a física. Isso é verdade?

A imprensa tem feito um péssimo trabalho ao divulgar informações sobre esses assuntos. Suspeito que isso possa até ter sido estimulado por alguns físicos que queriam fazer propaganda de seu trabalho, mas as distorções que se observam são impressionantes: nenhum físico, por mais sensacionalista que seja, deve ter dito a maioria do que se alardeia por aí. Há muitos erros grosseiros. Falta revisão. Você já alertou seus leitores para as aberrações que aparecem em reportagens sobre a Bíblia, Cristo e assuntos correlatos em certos meios de comunicação, como a revista Veja, Superinteressante, IstoÉ, etc. O mesmo tipo de coisa que eles fazem com a Bíblia, fazem também com a ciência. Distorção total.

A própria expressão “partícula Deus” é totalmente descabida e desconectada de qualquer sentido.

Vamos contextualizar um pouco esse assunto: nós e tudo o que nos cerca, incluindo a própria luz, tudo isso é feito de partículas. Essas partículas são classificadas de acordo com suas propriedades. No primeiro nível de classificação, temos os bósons e os férmions. Fótons (partículas de luz) são exemplos de bósons. Existem vários outros exemplos conhecidos e estudados em laboratório. Bósons são partículas tais que várias podem ocupar o mesmo estado ao mesmo tempo (a idéia de que dois corpos não podem ocupar o mesmo lugar ao mesmo tempo não se aplica a bósons). Ou seja, bósons não obedecem ao princípio da exclusão de Pauli. Os férmions são as partículas que obedecem a este princípio. Exemplos: elétrons, prótons, nêutrons, quarks.

A partícula que muitos estão esperando encontrar no LHC é um bóson em particular chamado de bóson de Higgs. De acordo com um os modelos mas aceitos para classificar partículas e prever seu comportamento (especialmente no contexto do chamado Modelo Padrão da Física de Partículas), esse tipo de partícula seria responsável pelo fato de que as demais partículas têm massa.

Além disso, segundo algumas estimativas, essa partícula tem uma boa chance de ser detectada em experimentos envolvendo energias em uma faixa acessível ao LHC. E essa partícula, prevista teoricamente, é uma espécie de última peça do quebra-cabeça de uma área bastante importante. Por isso os físicos estão excitados.

Infelizmente, para justificar os investimentos, vários físicos adotam a postura de anunciar que essa ou aquela descoberta vai revolucionar completamente tudo o que se sabe sobre X ou Y. Isso é conversa para os órgãos financiadores, para a imprensa e para os pobres filósofos da ciência seguidores de Kuhn. As coisas nunca funcionaram assim e não vão começar a funcionar assim agora. Os modelos em questão já funcionam bem para seus propósitos e nada pode tirar isso deles.

Teoremas e teorias testados e funcionais não perdem validade. A teoria da Mecânica de Newton sempre permanecerá válida, pois foi devidamente testada. Isso não significa que os postulados newtonianos sejam verdades absolutas, mas significa que o modelo matemático correspondentes fornece resultados adequados em seu domínio de validade.

Novas teorias apenas ampliam as fronteiras, não podem invalidar as anteriores. Se você tem lido algo diferente disso, precisa reavaliar suas fontes sobre o funcionamento da ciência. Provavelmente essas fontes estão misturando ciência verdadeira com falsa e muito provavelmente confundindo filosofia da ciência com ciência. A última é confiável. Já a filosofia da ciência tem sido um poderoso instrumento de desinformação e, ainda assim, é a principal fonte de informação sobre ciência para não-cientistas.

Por outro lado, uma das coisas que mais entusiasma aos físicos em experimentos como os que serão feitos no LHC é justamente a possibilidade de encontrar coisas estranhas, além ou diferentemente do que foi previsto teoricamente. Por exemplo, o Universo pode ter mais do que três dimensões de espaço (não confundir com universos paralelos). Por que não vemos essas dimensões? Porque estariam compactificadas, como se nessas direções o universo estivesse enrolado com um diâmetro muito pequeno, não afetando nosso cotidiano. Existe isso? Quantas dimensões são? Que efeitos isso tem sobre as possibilidades de explorar o mundo físico? Essas dimensões extras podem afetar drasticamente os resultados de experimentos no LHC.

Por uma questão de romantismo ou propaganda, muitos físicos parecem gostar de pensar nesses eventos como surpresas que jogam por terra o que se pensava saber sobre Física, mas o fato é que essas “surpresas” geralmente são esperadas. Por exemplo, o caso das dimensões extras fazendo “desaparecer” alguns fenômenos esperados e fazendo “aparecer” outros foi previsto teoricamente (ex.: http://arxiv.org/abs/hep-ph/0605062v3). O que acontece é que esses experimentos servem para tirar dúvidas (ex.: quantas dimensões extras existem?), testar os limites das teorias atuais e obter informações para a elaboração de teorias com domínio de validade ainda maior.


MICHELSON BORGES
É jornalista, mestrando em Teologia pelo Unasp e membro da Sociedade Criacionista Brasileira . É editor na Casa Publicadora Brasileira e autor dos livros /A História da Vida / e /Por Que Creio / (sobre criacionismo), /Nos Bastidores da Mídia / e da Série Grandes Impérios e Civilizações, composta de seis volumes. Casado com Débora Tatiane, tem duas filhas.

Homossexualidade e outros pecados...

CRISTÃOS FUNDAMENTALISTAS são os que acreditam que as sagradas escrituras foram ditadas diretamente por Deus e que, por isso, tudo o que nelas está escrito é sagrado, verdadeiro e deve ser obrigatoriamente obedecido para sempre. A verdade divina está fora do tempo. Aquilo que Deus comandava há 3.000 anos é válido para hoje e para todos os tempos futuros.

Digo isso a propósito de uma carta dirigida a Laura Schlessinger, conhecida locutora de rádio nos Estados Unidos que tem um desses programas interativos que dá respostas e conselhos aos ouvintes que a chamam ao telefone. Recentemente, perguntada sobre a homossexualidade, a locutora disse que se trata de uma abominação, pois assim a Bíblia o afirma no livro de Levítico 18:22. Um ouvinte escreveu-lhe então uma carta que vou transcrever:

"Querida doutora Laura, muito obrigado por se esforçar tanto pra educar as pessoas segundo a lei de Deus. (...) Mas, de qualquer forma, necessito de alguns conselhos adicionais de sua parte a respeito de outras leis bíblicas e sobre a forma de cumpri-las: gostaria de vender minha filha como serva, tal como o indica o livro de Êxodo 21:7. Nos tempos em que vivemos, na sua opinião, qual seria o preço adequado?

O livro de Levítico 25:44 estabelece que posso possuir escravos, tanto homens quanto mulheres, desde que não sejam adquiridos de países vizinhos. Um amigo meu afirma que isso só se aplica aos mexicanos, mas não aos canadenses. Será que a senhora poderia esclarecer esse ponto? Por que não posso possuir canadenses?

Sei que não estou autorizado a ter qualquer contato com mulher alguma no seu período de impureza menstrual (Levítico 18:19, 20:18 etc.).O problema que se me coloca é o seguinte: como posso saber se as mulheres estão menstruadas ou não? Tenho tentado perguntar-lhes, mas muitas mulheres são tímidas e outras se sentem ofendidas.
Tenho um vizinho que insiste em trabalhar no sábado. O livro de Êxodo 35:2 claramente estabelece que quem trabalha aos sábados deve receber a pena de morte. Isso quer dizer que eu, pessoalmente, sou obrigado a matá-lo? Será que a senhora poderia, de alguma maneira, aliviar-me dessa obrigação aborrecida?

No livro de Levítico 21:18-21 está estabelecido que uma pessoa não pode se aproximar do altar de Deus se tiver algum defeito na vista. Preciso confessar que eu preciso de óculos para ver. Minha acuidade visual tem de ser 100% para que eu me aproxime do altar de Deus?

Eu sei, graças a Levítico 11:6-8, que quem tocar a pele de um porco morto fica impuro. Acontece que adoro jogar futebol americano, cujas bolas são feitas de pele de porco. Será que me será permitido continuar a jogar futebol americano se usar luvas?

Meu tio tem um sítio. Deixa de cumprir o que diz Levítico 19:19, pois que planta dois tipos diferentes de semente ao mesmo campo, e também deixa de cumprir a sua mulher, que usa roupas de dois tecidos diferentes - a saber, algodão e poliéster. Será que é necessário levar a cabo o complicado procedimento de reunir todas as pessoas da vila para apedrejá-la? Não poderíamos queimá-la numa reunião privada?
Sei que a senhora estudou esses assuntos com grande profundidade de forma que confio plenamente na sua ajuda. Obrigado de novo por recordar-nos que a palavra de Deus é eterna e imutável".

Fonte: Folha de São Paulo, 30 de setembro de 2008.

NOTA: Em primeiro lugar, a Bíblia não foi "ditada" por Deus (o que em teologia é conhecido como inspiração verbal - defendida pelos fundamentalistas). O melhor conceito de inspiração para a Bíblia é conhecido como inspiração do pensamento: "Não são as palavras da Bíblia que são inspiradas, mas os homens é que o foram. A inspiração nãào atua nas palavras do homem ou em suas expressões, mas no próprio homem que, sob a influência do Espírito Santo, é possuído de pensamentos. As palavras, porém, recebem o cunho da mente individual... A mente divina, bem como Sua vontade, é combinada com a mente e a vontade humanas; assim as declarações do homem são a Palavra de Deus" (Ellen White, Mensagens Escolhidas, v. 1, p. 21).

Outro conceito importante para a interpretação da Bíblia é fazer a diferença entre princípios e normas. Princípios são universais (para todos os lugares), eternos (para todas as épocas) e imutáveis. A Bíblia está repleta de princípios. Já as normas são aplicações dos princípios para determinadas épocas, determinados lugares e podem, portanto, sofrer variação (veja o exemplo do uso do véu pelas mulheres 1Co 11:5 - baseado no princípio da descência, Paulo estabeleceu uma norma para a igreja de Corinto sobre o uso do véu pelas mulheres, uma vez que naquela cultura as mulheres que vendiam o corpo não usavam véu).

É bom lembrar também que nem tudo que está registrado como narrativa na Biblia tem a aprovação de Deus - quando a Biblia fala de personagens que eram polígamos, ou que possuíam escravos não quer dizer que Deus aprova essas condutas. A Bíblia simplesmente relata os fatos como eles aconteceram sem se preocupar em "melhorar" propositadamente a imagem de alguns personagens. Daí que as histórias devem ser analisadas com base nos textos prescritivos (que expõem as ordens claras de Deus). Da mesma forma, há que se fazer distinção entre certas leis civis do pentateuco que foram dadas no contexto de uma teocracia com a realidade moderna de uma democracia (matar alguém que transgrediu o sábado, por exemplo, ocorria quando a ordem vinha diretamente de Deus).

Acredito que nem mesmo os "fundamentalistas" possuem determinadas interpretações ironizadas na matéria acima. Torcer as Escrituras para justificar a rejeição de seus ensinos é o esporte favorito de muita gente. Por isso, a falta de tato e bom senso de alguns "fundamentalistas" (o que de fato é reprovável) em dialogar com a sociedade sobre determinados temas (por exemplo: dizer que o homossexualismo é um estilo de vida abominável que leva para o inferno não é a maneira mais inteligente de abordar o tema perante a opinião pública), não significa que os ensinamentos da Bíblia são ultrapassados e indignos de crédito (acho que há outras maneiras de discordar do homossexualismo mesmo sendo defensor do Estado laico).

Por trás dessa matéria pode estar a preocupação da moderna influência religiosa sobre a política, o que de fato é perigoso. Especialmente nos EUA, a religião e a política tem se aliado em muitos assuntos, e isso sim é preocupante por violar o conceito moderno de Estado laico. Devido a influência do puritanismo sobre os evangélicos norte-americanos, a idéia de que a religião deveria controlar ou influenciar o Estado tem sido bem vista nos círculos de influência evangélicos. E isso é mais um sinal do fim...

Saiba mais: "Idéias tem conseqüências" (Leia aqui).
"A liberdade de pensar e julgar a homofilia" (Leia aqui).
"Bactéria mortal se espalha entre gays nos EUA" (Leia aqui).


PR. SÉRGIO SANTELI


Bacharel em Teologia, mestrando em Teologia pelo Unasp e Pastor em São Paulo.


Editor do Blog Minuto Profético

segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Cientistas imitam fotossíntese para gerar energia

Faz tempo que os cientistas tentam imitar a eficiência das plantas na produção e armazenamento de energia. Recentemente, eles deram um passo importante nessa direção. Até então, a energia solar só era utilizada de dia, pois armazená-la era caro e difícil. Com a nova descoberta, os pesquisadores do Massachussets Institute of Technology (MIT) chegaram a um processo simples, barato e altamente eficiente de armazenar energia solar. Para isso, são necessários apenas materiais abundantes e não tóxicos, o que pode facilitar o uso da fonte mais potente de energia limpa: o Sol.

Os pesquisadores Daniel Nocera e Matthew Kanan se inspiraram na fotossíntese para criar o processo que vai permitir que a energia solar divida as moléculas da água em hidrogênio e oxigênio. Depois, esses elementos serão recombinados em uma célula de combustível para gerar eletricidade limpa, para ser usada de dia ou de noite.

Tudo é uma questão de catalisadores, que são substâncias capazes de alterar a velocidade de uma reação química. Um desses catalisadores é composto pelo metal cobalto, pelo fosfato e por um eletrodo imerso na água. Quando a eletricidade atravessa o eletrodo, o cobalto e o fosfato, eles formam uma fina película e gás oxigênio é produzido. Combinando outro catalisador como a platina é possível produzir gás hidrogênio a partir da água, imitando a reação gerada pela fotossíntese nas plantas.

A luz solar possui mais potencial do que qualquer outra forma de gerar energia, para resolver os problemas energéticos mundiais, segundo Daniel. Em uma hora há luz solar suficiente para gerar energia para o planeta todo durante um ano.

Um dos principais cientistas da fotossíntese do mundo, James Barber, disse que a descoberta é um “salto gigantesco” em direção à geração de energia limpa, livre de poluentes em larga escala.

E as plantas fazem tudo isso com muito mais eficiência – desde que foram criadas por Deus.


MICHELSON BORGES
É jornalista, mestrando em Teologia pelo Unasp e membro da Sociedade Criacionista Brasileira . É editor na Casa Publicadora Brasileira e autor dos livros /A História da Vida / e /Por Que Creio / (sobre criacionismo), /Nos Bastidores da Mídia / e da Série Grandes Impérios e Civilizações, composta de seis volumes. Casado com Débora Tatiane, tem duas filhas.

Editor do Blog Criacionismo

Pensamentos do Espírito de Profecia (3)


UMA FAMÍLIA EQUILIBRADA

O marido e pai é a cabeça da família. A esposa espera dele amor e interesse, bem como auxílio na educação dos filhos, e isso é justo. Os filhos pertencem-lhe, da mesma forma que a ela, e sua felicidade igualmente o interessa, Os filhos esperam do pai apoio e guia; cumpre-lhe ter justa concepção da vida, e das influências e associações que devem rodear a família; ele deve ser regido, acima de tudo, pelo amor e temor de Deus, e pelos ensinos de Sua Palavra, a fim de lhe ser possível guiar os pés dos filhos no caminho reto.
A Ciência do Bom Viver, pág. 390.



DANIEL SILVEIRA

Ancião da Igreja Adventista de Osório-RS. Pai do Ex-pastor Silvio Silveira (Falecido) e casado com Areli Silveira.

sábado, 27 de setembro de 2008

Iphone no Brasil

Pela terceira vez acompanhei o tumulto que um produto da empresa de Steve Jobs provocou no comércio. O que ocorreu nos EUA, Canadá e em outros países repetiu novamente no Brasil. Filas, espera, lojas lotadas, falta do produto, o lançamento oficial do iPhone no Brasil provocou certo alvoroço nos grandes centros.

Nos últimos anos, a Apple tem liderado uma revolução, marcando uma nova fase em alguns segmentos da tecnologia. Especialistas na área de telecomunicações afirmam que o mundo será o mesmo após o iPhone. Contudo tal revolução não para por aí. O que dizer do iPod, iTunes, Apple TV, iMac, entre outros produtos da Apple?

O iPod juntamente com o iTunes introduziram uma nova forma de venda e compartilhamento de música. Você pode adquirir as músicas de um cd sem sair de casa, ou melhor, comprar só a música que você gosta daquele cd, fazer o download e transportá-la para qualquer lugar no seu iPod. Não foi somente a industria fonográfica que foi impactada, mas a cinematográfica também, pois hoje através do iTunes Store você pode locar vídeos, seriados, clips entre outros ou mesmo comprá-los em apenas em alguns segundos. Em alguns lugares do mundo, as locadoras de vídeos e DVDs já estão sentindo o impacto.

Alguns especialistas estão afirmando que o iTunes e o Ipod irão modificar a forma de ensino. Como assim? O que você faria se tivesse condições de estudar nas melhores instituições de ensino do mundo com os professores mais renomeados? De fazer a sua pós-graduação sem ter que deixar o emprego ou mudar-se para um outro pais? Isso é possível através do iTunes U, um dos últimos lançamentos do iTunes Store. iTunes U é o local onde está organizado o conteúdo educacional em vídeo e áudio de várias universidades. Você pode fazer o download gratuito das aulas, e se desejar que elas possam contar como crédito para a sua graduação ou pós-graduação é necessário pagar uma taxa e cumprir os requisitos acadêmicos. Eu pude relembrar as aulas de grego através do Seminário de Concordia, com o Dr. James Voelz. Na última viagem que fiz e tive que ficar cerca de 10 horas no avião, comecei a classe “Preaching Christ in a Postmodern World.” Que fantástico!!!

O avanço tecnológico é algo que me surpreende a cada dia. E podemos entender em uma aplicação secundária de Daniel 12:4 que isto é um sinal para os últimos dias desse mundo. “...e o saber se multiplicará.” Nós últimos cem anos, o conhecimento adquirido e desenvolvido é maior que o acumulado durante toda a história da humanidade.

O ponto mais importante para mim de tudo isso é: O que estamos fazendo com este conhecimento, esta tecnologia para abreviar a Volta de Cristo Jesus?

Precisamos explorar o máximo os recursos que Deus permitiu que os homens desenvolvessem para pregar as Boas-Novas.

É triste ver na história que ministérios como o de “A Voz da Profecia” e o “Está Escrito”, liderados pelos respectivos pastores HSM Richards e George Vandeman, foram mal interpretados, sendo julgados e menosprezados por muitos que afirmavam que eles utilizavam-se de recursos diabólicos. E após os anos não há como duvidar do poder evangelístico desses ministérios e que tais pastores receberam a visão de Deus para utilizar tais recursos.

Temos a responsabilidade de explorar mais a cada dia a TV, o rádio, e principalmente a internet na pregação do evangelho!

P.S.1 É já que falei sobre alguns recursos da Apple quero dizer que o Está Escrito Canadá tem o seu Podcast disponível no iTunes. Não tenho conhecimento de outro ministério adventista na língua portuguesa que esteja no iTunes.

P.S.2 Um detalhe que percebi hoje, é que se você deseja ter acesso ao iTunes U ou o Podcast do Está Escrito Canadá é necessário que você mude a região da loja do iTunes do Brasil para o iTunes United States ou Canadá (não sei porque não disponibilizaram esse recurso na loja do Brasil, vai entender!).


PR. DOUGLAS W. PEREIRA

Coordenador de Evangelismo do It Is Written Canada. Formado em teologia e administração de empresas e com mestrado na área de liderança. É casado com Rebeca Foffa Stina Pereira e desde de janeiro de 2006 vive em Oshawa, Canadá.

sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Conexão Vaticano


Enquanto a mídia no Brasil era toda “Isabela”, no hemisfério norte, no mês de abril deste ano acontecia algo de interesse profético global...

Aquela recepção, sem dúvida, pode ser considerada como mais um sinal dos tempos. No dia 15 daquele mês, “o presidente americano, George W. Bush, mostrou uma deferência inédita ao papa ao recebê-lo pessoalmente na base militar Andrews, no Estado de Maryland, onde o avião de Bento 16 pousou. Ao longo de todo seu mandato, Bush não foi receber nenhum outro dignatário internacional em suas chegadas aos Estados Unidos”. (BBC Brasil).

Na verdade, a demonstração de gentilezas por parte do presidente norte-americano começou quatro dias antes do bispo de Roma chegar aos EUA. Ao conceder uma entrevista exclusiva a emissora de tv católica norte-americana, Eternal Word Television Network (EWTN), George Bush disse que, “quando olha nos olhos de Bento XVI, vê Deus”. (Zenit).

Para o pesquisador atento das profecias bíblicas, no entanto, o que ocorreu durante essa visita de seis dias do papa aos EUA (15-20 de abril), foi apenas a consumação daquilo que se anunciava desde o início do mandato de George Bush. Afinal, já “em janeiro de 2001, o primeiro compromisso público de Bush como presidente na capital do país, foi um jantar com o então arcebispo de Washington, Theodore McCarrick”. (Washington Post).

Durante seu mandato, Bush desenvolveu uma parceria bem íntima com a Santa Sé, o que, irônico como possa parecer, o torna tão diferente de John F. Kennedy, o primeiro presidente católico dos EUA. Cerca de dois meses antes de ser eleito o 35º presidente norte-americano, Kennedy fez um discurso na cidade de Houston, Texas, com o objetivo de acalmar a nação protestante que demonstrava insegurança pelo fato dele ser um candidato católico: “Acredito em uma América onde a separação entre a Igreja e o Estado é absoluta; onde nenhum prelado católico diria ao presidente como agir, e nenhum ministro protestante diria a seus fiéis em quem votar; onde nenhuma igreja ou escola religiosa receberia fundos públicos ou preferência política... Acredito em uma América que, oficialmente, não é católica, protestante ou judaica, onde nenhum servidor público solicita ou aceita instruções sobre políticas públicas do Papa, do Conselho Nacional das Igrejas, ou de qualquer fonte eclesiástica; uma América onde nenhuma entidade religiosa tenta impor, direta ou indiretamente, sua vontade sobre a população geral ou sobre as ações públicas de seus dirigentes.”

Com a recente visita de Bento XVI aos EUA a diferença entre esses dois presidentes ficou evidente demais para passar desapercebida da imprensa local: “George W. Bush poderia bem ser o primeiro presidente católico do país. Esta não é uma idéia tão estranha quanto parece. Sim, houve John F. Kennedy. Mas onde Kennedy procurou divorciar sua religião de seu mandato, Bush deu boas vindas à doutrina e aos ensinamentos católico romanos para a Casa Branca, e baseou muitas importantes decisões de política interna neles”, publicou o Washington Post.

Ao receber Bento XVI na Casa Branca, Bush também enfatizou em seu discurso: "O Papa vai encontrar nesses dias uma nação que abraça a fé no âmbito público, pois seus fundadores sempre fizeram referência à fé. Cremos na liberdade e na existência de uma lei inscrita no ânimo de cada homem". (Rádio Vaticano). Após os discursos, Bush e sua família tiveram um encontro privado com o papa no Salão Oval da Casa Branca, encontro este, descrito depois pelo próprio Bush como “inacreditável”, “um momento especial”. (YouTube).

Devido toda essa visível intimidade, a revista italiana Panorama, em sua edição nº 18 deste ano (30/04), revelou: “Depois de Tony Blair, poderia ser a vez de George W. Bush. Segundo as vozes em Washington, o presidente, cristão Metodista, estaria a ponto de converter-se ao catolicismo como o anglicano Blair. A oração que o Papa e a família de Bush fizeram juntos no Salão Oval da Casa Branca poderia ser, na verdade, o sinal da conversão que está acontecendo, a qual o presidente dos Estados Unidos estaria esperando comunicar ao final de seu mandato”.



PARTE 2



Há muito tempo foi dada a advertência profética: "Os protestantes têm-se intrometido com o papado, patrocinando-o; têm usado de transigência e feito concessões que os próprios romanistas se surpreendem de ver e não compreendem. Os homens cerram os olhos ao verdadeiro caráter do romanismo, e aos perigos que se devem recear com a sua supremacia. O povo necessita ser despertado a fim de resistir aos avanços deste perigosíssimo inimigo da liberdade civil e religiosa". (Ellen G. White, O Grande Conflito, p. 566).

Mas, estaria a proximidade da Volta de Cristo baseada apenas na aproximação do atual governo Bush com o Vaticano? Se a resposta a essa pergunta fosse afirmativa, não haveria nem mesmo razão para escrever aqui sobre os sinais do fim, uma vez que o mandato de Bush já está acabando, e logo outro candidato assumirá seu lugar. Longe disso, a verdade é que a influência da Santa Sé sobre os EUA é muito mais abarcante do que a simples relação com o atual presidente.

A começar pela composição da Suprema Corte americana, órgão responsável pela palavra final no sistema judiciário daquela nação. Para todos os efeitos, pode-se afirmar que ela será o palco da última batalha pela liberdade religiosa, por ocasião do estabelecimento da Lei Dominical. Sendo assim, é bom saber que dos nove juízes atuais que compõem a Suprema Corte, cinco são católicos, três dos quais ligados à Opus Dei. (O Estado de São Paulo, 05 de Fevereiro de 2006).

Sem contar, é claro, a benevolência da mídia norte-americana para com o atual bispo de Roma, mesmo sabendo ter sido ele o chefe da Congregação para a Doutrina da Fé (antiga Inquisição) nas últimas décadas: “Quarenta e oito horas em sua visita aos Estados Unidos, o Papa Bento XVI tinha feito algo notável: tinha sepultado com sucesso o rótulo ‘Joseph Ratzinger’, uma desagradável caricatura criada décadas antes pelos seus inimigos teológicos e, posteriormente comercializada para a imprensa do mundo. Desde seu primeiro momento na Base Aérea Andrews, no entanto, ficou claro que este não era um guardião teológico linha-dura, nem um Rottweiler. Em vez do rótulo ‘Ratzinger’, a América foi apresentada a um homem modesto e amigável, um avozão [grandfatherly] bávaro com modos requintados... cheio de carinho e admiração pelos Estados Unidos”. (Newsweek).

Benevolência esta também compartilhada por jornalistas protestantes: “Nós evangélicos temos uma longa história de anti-catolicismo. Muitos de nós se lembram dos dias quando afirmávamos que o papa Católico era ‘o anticristo’. Mas nossas atitudes tem sido gradualmente mudadas desde o Concílio Vaticano II”. (New York Times). Isso graças ao “ecumenismo de trincheiras” que, segundo o teólogo protestante Timothy George, é o crescente “encontro de vários católicos e protestantes ‘comuns’ que têm descoberto interesses morais comuns e compartilhado alvos espirituais”. (Ibidem).

A esta altura, é inevitável, mais uma vez, se lembrar da advertência profética: "Faz parte de sua política [de Roma] assumir o caráter que melhor cumpra o seu propósito; mas sob a aparência variável do camaleão, oculta o invariável veneno da serpente... O catolicismo na verdade em muito se assemelha ao protestantismo que hoje existe; pois o protestantismo moderno muito se distancia daquele dos dias da Reforma". (Ellen G. White, O Grande Conflito, p. 571).

Infelizmente, quem mudou ao longo de todos estes anos foi o protestantismo, que tem se apostatado e aberto as portas para o mundanismo. Já o catolicismo, continua firme em seu objetivo de reconquistar a supremacia mundial perdida ao fim da Idade Média, através, inclusive, da promoção do descanso dominical. Tanto que durante a visita do Papa aos EUA, o presidente da Conferência dos Bispos Católicos dos EUA apresentou as prioridades da Igreja Católica americana para os próximos anos. E entre as cinco prioridades está a de “promover a fé no contexto da prática sacramental e a observância do culto dominical”.

Se a imagem, por si só pode dizer muito sobre quem é uma pessoa, então, seria muito bom refletir na pergunta publicada no site do Washington Post: “Para aqueles que prestam atenção na moda vaticana, Bento XVI tem provocado barulho desde que assumiu seu mandato, por reviver os mais ornamentados estilos clericais que remontam, em alguns casos, aos séculos XV e XVI... Será que isso significa que Bento XVI pretende levar a igreja de volta ao passado e, em caso afirmativo, por quais caminhos?”

Alguém ainda tem dúvida que a crise final deste mundo está às portas?

"E lhe foi dado comunicar fôlego à imagem da besta, para que não só a imagem falasse, como ainda fizesse morrer quantos nào adorassem a imagem da besta. A todos, os pequenos e os grandes, os ricos e os pobres, os livres e os escravos, faz que lhe seja dada certa marca sobre a mào direita ou sobre a fronte, para que ninguém possa comprar ou vender, senão aquele que tema marca, o nome da besta ou o número do seu nome" (Ap 13:15-17).

Saiba mais: "Encontro inédito" (Leia aqui).
"O Apocalipse e a marca da besta" (Leia aqui).
"A questão básica na crise final" (Leia aqui).
"Historicismo profético: como será o fim" (Assista aqui).
"Stargate Atlantis: Sunday" (Leia aqui).
"Bento XVI nos EUA" (Leia aqui).

PR. SÉRGIO SANTELI


Bacharel em Teologia, mestrando em Teologia pelo Unasp e Pastor em São Paulo.


Editor do Blog Minuto Profético

Uma Maneira Diferente de Testemunhar


A Igreja Batista de Sherwood (www.sherwoodbaptist.net), localizada na cidade de Albany no estado da Georgia, EUA, tem inovado no método de evangelização. Utilizando-se de um dos maiores meios de comunicação e de influência da atualidade, o ministério de mídia desta igreja tem produzido filmes que levam valores cristãos e um convite para aceitar a Cristo Jesus como o Salvador pessoal.

O ministério de mídia de Sherwood, que estava habituado a produzir pequenos clipes e vídeos, que visavam o envolvimento dos jovens e a ilustração dos temas que eram abordado nos cultos, deu um passo de fé em 2003 e produziu o seu primeiro longa metragem, Fly Wheel – “A Virada”. Tendo um orçamento menor do que 25 mil dólares para a produção deste primeiro filme, a resposta da comunidade foi surpreendente, tendo vendido mais de 200 mil DVDs. Com o lançamento do primeiro filme, surgiu a Sherwood Pictures (www.sherwoodpictures.com).

Em 2006, Sherwood produziu um segundo filme, Facing the Giants – “Desafiando Gigantes”. Esse segundo longa teve o orçamento de 100 mil dólares, custo muito baixo comparado com as produções de Hollywood. Os pastores, líderes e membros da igreja foram os que interpretaram os personagens da história. O filme foi traduzido para 13 idiomas e distribuído em 56 países, tendo vendido cerca de 1.5 milhão de cópias. E até agora cerca de 7000 decisões por Cristo foram registradas por causa do filme.

Hoje, 26 de Setembro, a Sherwood está lançando a sua terceira obra cinematográfica, FIREPROOF. Esta obra visa levar a uma reflexão sobre o casamento, apresentando Cristo como a única certeza do sucesso matrimonial. Em sociedade com a Outreach (www.outreach.com), uma organização ‘adenominacional’ que visa prover recursos para a evangelização, foi preparado um kit para ser usado em encontro de casais, campanhas e semanas que focam a família. Pequenos clipes do filme, um guia de estudo entre outros recursos fazem parte desse kit. Tive a alegria de adquirir este kit no mês de julho e de utilizá-lo, e vou dizer que foi um bom investimento. E a pergunta que fica, é o seu casamento a prova de fogo?

Estes filmes são altamente recomendados para serem assistidos pelos jovens em acampamentos e atividades sociais da igreja.

O que me desperta admiração na Sherwood Pictures que é uma iniciativa e uma realização de um grupos de jovens cristãos que tiveram uma visão de impactar a sua comunidade, compartilhando Cristo de uma maneira diferente. E Deus abriu as portas para que isso se realizasse.

Não tenho dúvidas que Deus está chamando a cada um de nós para evangelizarmos. Talvez seja através de um folheto, ou através de um estudo bíblico, ou que sabe através do testemunho pessoal, ou talvez Ele está lhe chamando para testemunhar de uma maneira nova, o mais importante é compartilhar a única razão de viver, Cristo Jesus.


PR. DOUGLAS W. PEREIRA

Coordenador de Evangelismo do It Is Written Canada. Formado em teologia e administração de empresas e com mestrado na área de liderança. É casado com Rebeca Foffa Stina Pereira e desde de janeiro de 2006 vive em Oshawa, Canadá.

Instituto de Crescimento de Igreja


Um site sobre Crescimento de Igreja? Isso mesmo. O Instituto de Crescimento de Igreja (ICI), foi desenvolvido para auxiliar os estudantes de Teologia, bem como Evangelistas em sua prática Ministerial.

O site dispõe das últimas notícias relacionadas ao Evangelismo do SALT (Seminário Latino Americano de Teologia).

O bom de tudo é que o site está aberto para disponibilizar através de downloads, treinamentos, sermões, apostilas e muito mais.

Pegue esse dica e acrescente em seus favoritos.

Visite: www.salt.edu.br/ici

Postado por: Pr. Fábio dos Santos (Editor Geral do Blog Nisto Cremos)

quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Como Está Seu Título de Cidadania?

A “Folha de S. Paulo” deste sábado passado, 20 de setembro de 2008, trouxe mais uma vasta reportagem sobre mais uma daquelas modernas “corrida do ouro”: A busca desesperada de milhares de brasileiros por um título de cidadania italiana. A fila está parada há 1 ano e meio e já contabiliza 380 mil pessoas à espera do reconhecimento da cidadania – passaporte para a entrada e circulação livre em toda União Européia – que, em muitos casos, demora quatro, cinco anos. “Mas há quem aguarde pelo direito há mais de dez anos”, informa o jornal.

As leis italianas facultam que “Todo brasileiro descendente de homem italiano (pai, avô, etc.) ou que tenha nascido depois de 1948, se o ascendente é mulher italiana, pode requerer a cidadania. O direito permite à pessoa, por exemplo, morar legalmente na Europa”.

As dificuldades são muitas para se conseguir o ambicionado título de cidadania: “Para quem quer obter a cidadania italiana, a saga na volta às origens começa em descobrir exatamente onde o parente nasceu. Muitas das histórias contadas pelos avós não batem com a origem verdadeira ou o nome foi trocado. Outra falha é que, em 90% das fichas abertas, falta algum documento. ‘Se chegar com os documentos corretos, não vejo porque em algumas semanas [não] finalizar o processo”, disse a adida consular Marina Rusca’.”

Uma cidadania superior

Ao ler a referida reportagem, imediatamente me veio à mente um outro título de cidadania infinitamente superior: a Celestial. É interessante destacar: Nunca ouvi sequer falar – muito menos li a este respeito e tenho certeza de que os leitores também – de que houvesse fila de espera para se obter a cidadania do Butão, Serra Leoa, Colômbia, Mianmar, etc.

Nunca li, também, de que as pessoas pegassem senhas e tenham que brigar umas com as outras em frente da Embaixada do Chade (salve-me Santo Google da Wikipédia!!! deve ser assim que se escreve...), do Azerbaijão, Haiti e outros “primos” pobres. Por que isso? Por que filas quilométricas e espera de anos para se obter a cidadania italiana e nada disso para esses e outros países menos exóticos? Simplesmente porque as pessoas vêem vantagens – financeiras, culturais, sociais, lingüísticas, etc. – no caso da Itália, e de quebra em toda a União Européia, e pouquíssimos, se é que existem, vêem alguma vantagem em obter a cidadania desses outros países.

Pois é exatamente aí que entram as maiores contradições, paradoxos (perdoem-me os puristas do Jornalismo que acham que é “pecado” usar adjetivos...) e/ou incoerências do ser humano: Quantas dessas pessoas, outras e nós mesmos estamos buscando com tanta ânsia e empenho a Cidadania Celestial? Outra perguntinha: Por acaso este título de cidadania italiana e todos os outros terrenos são superiores, em algum aspecto sequer, ao título de cidadania celestial? Dá sequer para comparar?

Olha, eu conheço um cidadão, que é por sinal o meu grande herói (depois de Jesus, é claro!!!) e meu escritor favorito, que teve apenas vislumbres do que será o Céu e deixou-nos registrado o seu fiel testemunho a esse respeito: “... mas, como está escrito:

Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparado para aqueles que O amam” (I Coríntios 2:9).
Sei que, primariamente, o texto se refere à salvação – a obra maravilhosa de Deus, por nós e para nós, na Pessoa de Cristo – mas, sei, também, que com certeza ele está diretamente relacionado com tudo aquilo de belo e indescritível, pelos referenciais humanos, que Deus tem preparado para todos aqueles que aceitam a Cidadania Celestial.

Visões do Céu

Aqui e acolá, espalhadas pela Bíblia, nós encontramos algumas pistas ou pequenos indicativos da grandiosidade desta Pátria além:

Fim das trevas e escuridão, símbolo do pecado:

“Nunca mais te servirá o Sol para luz do dia, nem com o seu resplendor a Lua te alumiará; mas o Senhor será a tua luz perpétua, e o teu Deus, a tua glória. Nunca mais se porá o teu Sol, nem a tua Lua minguará, porque o Senhor será a tua luz perpétua, e os dias do teu luto findarão” (Isaías 60:19-20).
Fim da injustiça, pecado, e das lutas e conflitos agrários:

“Todos os do teu povo serão justos, para sempre herdarão a terra; serão renovos por Mim plantados, obras das Minhas mãos, para que Eu seja glorificado” (Isaías 60:21).

Fim das injustiças sociais e da exploração do homem pelo homem:

“Eles edificarão casas e nelas habitarão; plantarão vinhas e comerão o seu fruto. Não edificarão para que outros habitem; não plantarão para que outros comam; [...] os Meus eleitos desfrutarão de todo as obras das suas próprias mãos” (Isaías 65:21-22).

Fim das hostilidades entre homem e Natureza, volta do perfeito equilíbrio ecológico que havia no Éden:
“O lobo e o cordeiro pastarão juntos, e o leão comerá palha como o boi; pó será a comida da serpente. Não se fará mal nem dano algum em todo o Meu santo monte, diz o Senhor” (Isaías 65:25).
Fim de toda tristeza e clamor:

“E exultarei por causa de Jerusalém e me alegrarei no Meu povo, e nunca mais se ouvirá nela nem voz de choro nem de clamor” (Isaías 65:19).
Eliminação da morte e qualquer forma de sofrimento:

“E lhes enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor, porque as primeiras coisas passaram” (Apocalipse 21:4).
Alegria perene, sem fim:

“Em lugar da vossa vergonha, tereis dupla honra; em lugar da afronta, exultareis na vossa herança; por isso, na vossa terra possuíreis o dobro e tereis perpétua alegria” (Isaías 61:7).
Cura completa das memórias e traumas do pecado:

“Pois eis que Eu crio novos céus e nova terra; e não haverá lembrança das coisas passadas, jamais haverá memória delas” (Isaías 65:17).
Eu quero o Céu!

O músico e compositor Jader Santos devia estar vivendo um momento muito especial em sua vida, sublime inspiração, quando compôs a música e escreveu a letra deste hino tão sublime:

“Tenho ouvido de uma terra linda, encantada. /De um lugar onde a felicidade é total. / Os meus olhos já divisam não tão distante. / Meus ouvidos já escutam sons divinais” (Hino 570, Hinário Adventista do Sétimo Dia).

Olha, as maravilhas desta “terra linda, encantada” são infinitamente superiores às belezas naturais e arquitetônicas da Itália e de qualquer país ou cidade deste mundo – aquelas que nós ansiamos tanto por conhecer.

Se você tem alguma dúvida sobre a superioridade deste título de Cidadania Celestial – de que ele é infinitamente superior a qualquer um aqui da Terra – pergunte a Abraão. A Bíblia afirma:

“Pela fé, Abraão, quando chamado, obedeceu, a fim de ir para um lugar que devia receber por herança; e partiu sem saber aonde ia. Pela fé, peregrinou na terra da promessa como em terra alheia, habitando em tendas com Isaque e Jacó, herdeiros com ele da mesma promessa; porque aguardava a cidade que tem fundamentos, da qual Deus é o arquiteto e edificador” (Hebreus 11:8-10).
Pergunte para Paulo, que ele, em meio às dificuldades e sacrifícios indescritíveis pela pregação do Evangelho, dirá:

“Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós eterno peso de glória, acima de toda comparação, não atentando nós nas coisas que se vêem, mas nas que se não vêem; porque as que se vêem são temporais, e as que se não vêem são eternas” (II Coríntios 4:17-18).
Pergunte para Moisés, acerca de quem a Bíblia diz:

“Pela fé, Moisés, quando já homem feito, recusou ser chamado filho da filha de Faraó [não foi pouca coisa, como as “bugigangas” e empregos ou funções que temos que, às vezes, abrir mão para ser fiéis a Deus], preferindo se maltratado junto com o povo de Deus a usufruir prazeres transitórios do pecado; porquanto considerou o opróbrio de Cristo por maiores riquezas do que os tesouros do Egito, porque contemplava o galardão” (Hebreus 11:24-26).

Pergunte para ele se valeu a pena; ou melhor: Pergunte para si mesmo onde estão todos aqueles imponentes faraós que antecederam e que sucederam o tempo que Moisés passou no Egito? Onde, em especial, está aquele faraó que tentou impedir os planos de Deus no tempo do Êxodo?

Concluindo: Onde está Moisés? Você sabe? Vou lhe dar uma pista: Na última vez em que ele foi visto por olhos humanos, ele estava numa missão muito importante, junto com Elias, num certo monte da Palestina (leia Mateus 17:1-4).

Pedro, afoito como sempre, quis até fazer uma tenda para Moisés e outra para Elias (verso 4). Com certeza, no lugar onde está Moisés jamais sentiu falta das coisas e agruras deste mundo – das pessoas, sim – e, portanto, ele nos dirá, em uníssono com Elias, Enoque e aqueles que subiram ao Céu com Jesus, como primícias da ressurreição: “Vale a pena ser fiel! Adquira já o seu Título de Cidadania Celestial e jamais o perca de vista! Mantenha o foco em Jesus e no Céu!”


PR. ELIZEU LIRA

Pastor em Uberlândia. Atualmente faz pós-graduação em Ciência da Religião e prepara-se para iniciar o Mestrado em Educação.

É o diretor geral do site IASD em Foco

Pr. Élbio Menezes - Estudos em Profecias (2)

ESTUDO 2

Gn 2.17

A profecia que está registrada em Gênesis 2.17, que diz o seguinte:

“Mas da árvore do conhecimento do bem e do mal não comerás; porque, no dia que dela comeres, certamente morrerás.”


Ela foi feita pelo próprio Deus a Adão e Eva quando ainda eles estavam no Jardim do Éden.

Há uma pequena lembrança que preciso fazer para você que estará entrendo em contato com este material. Ao estudarmos as profecias da Bíblia, não quer dizer que estaremos sempre estudando predições de profetas. A palavra profecia, também nos dá a idéia de ensino.

Aqui Deus está transmitindo um ensino aos seus dois filhos. O ensino era claro, apesar de ser completamente desconhecido para os dois.

Parte do foi dito eles sabiam. A árvore do conhecimento do bem e do mal, eles conheciam pois ela estava no jardim e com toda a certeza até conheciam o local no jardim onde se encontrava a tal arvore, mas o assunto da morte, este era desconhecido.

Vamos tentar entender em que contexto em que esta profecia foi feita.

Um novo mundo estava sendo criado por Deus. Este mundo foi criado com todo amor, e agora um novo ser também é criado. Amigo, Deus por ser amor, Ele sempre dá o que há de melhor para os seus filhos.

A terra que saiu das mãos do criador, era maravilhosa. Notem a descrição que faz desta terra a escritora cristã Ellen White:

“A terra saiu das mãos do Criador extraordinariamente bela. Havia montanhas, colinas e planícies, entrecortadas por rios e lagos. A terra não era uma extensa planície, mas a monotonia do cenário era quebrada por montanhas e colinas não altas e abrutas como hoje são, mas de formas regulares e belas.” H.R. p. 20


Deus havia criado o homem e a mulher a sua imagem e semelhança – Gn 1.26.

Adão e Eva são colocados para habitar neste novo planeta. Ali havia somente o que poderia produzir felicidade e alegria para os filhos de Deus.

Mas no céu, no centro de comando de todo o Universo, um anjo não gostou do que Deus estava fazendo. Ele para não gostou que uma nova criação fosse feita e para agravar não foi convidado para participar na elaboração deste novo projeto.

O Apóstolo João descreveu assim este momento:

“Houve peleja no céu. Miguel e seus anjos pelejaram contra o dragão. Também pelejaram o dragão e seus anjos. Todavia não prevaleceram; nem mais se achou no céu o lugar deles. E foi expulso o dragão...”Ap 12.7-9


A guerra começou num lugar onde você jamais imaginaria que poderia haver um conflito.

Este é um grande mistério que durante a eternidade nós vamos desvendar. Como que num lugar perfeito, com criaturas perfeitas surge a imperfeição?

Eu não seu, mas sei que um dia Deus vai esclarecer todos os que estivermos em sua casa.

Para onde o dragão foi expulso?

“...Ai da terra e do mar, pois o diabo desceu até vós, cheio de grande cólera, sabendo que pouco tempo lhe resta.”Ap 12.12 u.p.


Meu querido amigo, ele foi expulso para a terra que Deus havia criado e que tinha colocado os seus mais novos filhos.

Será que um Deus de amor, deixaria os seus dois filhos sozinhos neste planeta com esta anjo rebelde? Será que Deus fez algo para protegê-los deste grande perigo?

Amigo, Deus jamais deixará os seus filhos a mercê das forças malignas do grande tentador.

O próprio Deus vinha falar com eles a cada final de dia. Notem o que a Bíblia diz:

“Quando ouviram a voz do Senhor Deus, que andava no jardim pela viração do dia...” Gn 3.8


Como um verdadeiro Pai, Deus vinha se relacionar com seus filhos. O pai nunca deixará passar um dia sem se relacionar com seus filhos. Quantos pais que vivem com tantas coisas para fazer, que não tem tempo para estar com seus filhos.

Amigo, quem ama cuida. Ali estava o Pai cuidando dos seus filhos.

A escritora Ellen White diz que Deus ainda faz mais uma coisa:

“Dois anjos apressaram-se em visitar nossos primeiros pais” H.R. p. 29


Eles vieram adverti-los do perigo que corriam com este novo inimigo, sendo o seu mais novo vizinho do jardim.

O novo vizinho acusa a Deus de manipular as pessoas, de não dar oportunidade para que as pessoas escolham. Satanás acusou a Deus de não permitir que o casal soubesse de tudo o que tinha acontecido no céu.

É permitido a Satanás entrar no jardim e fazer um teste para os novos filhos de Deus. O teste era simples, envolvia obedecer a Deus ou ao inimigo de Deus.

Neste contexto Deus faz a profecia que é o objeto deste estudo. A profecia dizia que se eles comessem do fruto da árvore de ciência do bem e do mal, eles iriam morrer, mas logo veio Satanás e faz uma profecia contrária a de Deus.

Notem o que Satanás disse:

“Então a serpente disse à mulher: É certo que não morrereis.” Gn 3.4


Amigo, aqui temos duas profecias, uma feita por Deus, a fonte de toda a verdade, e a outra feita por Satanás, a fonte de todo o engano e mentira.

A Bíblia diz que Eva comeu e depois deu a Adão do fruto proibido - Gn 3.6


O novo casal seguiu a orientação de Satanás e a morte começou imediatamente. Eles não sabiam o que era a morte, mas logo iriam ver e sentir o que de fato era a morte.

Esta profecia eu não sei quanto tempo levou para se cumprir, mas o que eu sei é que ela se cumpriu plenamente.

O apostolo Paulo diz em sua carta aos Romanos o seguinte: “O salário do pecado é a morte”. Rm 6.23

Isto foi o que Adão e Eva ganharam ao aceitar a orientação de Satanás.

Deus disse que iria morrer e Satanás disse que não iria morrer.
Adão e Eva, foram expulsos do Jardim para habitar fora, onde a morte circundava por todos os lados.

Um pouco mais de tempo e a morte vem com toda a sua força na família de Adão e Eva, quando irmão mata irmão. Ao Caim matar Abel, os pais lembram da profecia feita por

Deus nos bons dias, quando viviam dentro do Jardim do Éden.

Amigo, a morte é uma dura realidade na vida dos filhos de Adão e Eva.

Hoje choramos os nossos mortos, e isto é resultado de um cumprimento profético.

Infelizmente hoje sofremos as conseqüências do cumprimento desta profecia.

O que ela pode nos ensinar hoje é que Deus sempre fala a verdade e nunca podemos dar ouvidos a qualquer outra voz. Não duvide da voz de Deus. Acredite que a voz de Deus é sempre a melhor a ser obedecida. Seguir a voz de Deus sempre vai produzir felicidade.

Deus nunca vai nos impedir de usar algo que será bom, mas sempre vai nos alertar dos perigos que nos cercam.

Esteja sempre alerta e seja obediente a voz de Deus!

Amigo, lembre-se: “Crede no Senhor vosso Deus e estareis seguros, crede nos seus profetas e prosperareis.”


PR. ÉLBIO MENEZES

Natural de Miraguaí-RS, casado com Marta Peixoto Menezes, pai de dois filhos, Caroline e Wesley. Trabalhou no Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Norte do Paraná. Está no ministério adventista por 28 anos e nestes anos foi distrital, departamental, secretário e é presidente de campo por 14 anos. Concluiu seu mestrado em teologia pelo UNASP em 2008.

Pr. Élbio Menezes - Estudos em Profecias (1)



ESTUDO 1

Introdução

A partir de hoje terei o prazer de estar com você, através deste site, com o ideal de penetrarmos no extraordinário mundo das profecias. Espero que o estudo das profecias, possa ajudá-lo diante dos seus problemas e animá-lo a confiar plenamente no Deus Criador do céu e da Terra.

Neste primeiro momento quero definir alguns termos, que passarei a usar, e também esclarecer o que significará para você estudar as profecias da Bíblia.

O mundo das profecias é extraordinário, mas para muitos é completamente escuro e desconhecido. Muitas pessoas não estudam as profecias porque as consideram um mundo que uns poucos privilegiados podem compreender.

Mas o que significa a palavra profecia? Segundo o dicionário Aurélio é: “Predição do futuro feita por um profeta; oráculo, vaticínio, presságio, prognosticar, prever, antever”.

Estaremos juntos, buscando todas as profecias e as suas interpretações, bem como as lições que podemos retirar para a nossa vida pessoal. Não queremos estudar a profecia sem aprender nada com ela.

Nós encontramos na Bíblia muitas profecias, feitas pelos profetas, mas encontramos também um bom grupo de profecias feitas pelo próprio Deus e pelos anjos.

As profecias estão divididas em três grupos, que são os seguintes:

1. Profecia, segundo o modelo Clássico. A Profecia, segundo o modelo clássico, tem que ver com uma situação contemporânea. Em outras palavras, Deus enviava uma mensagem para uma pessoa ou uma nação num momento especifico. Um exemplo disto são as profecias feitas por Isaías, Jeremias, que continham muitas mensagens para o povo dos seus dias.

Este tipo de profecia foi muito usado. Deus enviou muitos profetas para falar de coisas que iriam acontecer com o Seu povo. Talvez esta foi a forma mais usada de comunicação entre Deus e o Seu povo.

A profecia neste caso não era para apenas prever o futuro, mas para orientar as pessoas que viviam nos dias do profeta para que pudessem tomar a decisão correta.

2. Profecia, segundo o modelo Preditivo. Este modelo está mais relacionado com profecias para o futuro. As profecias de Daniel e Apocalipse se enquadram neste modelo.

Tenho a impressão que quando falamos em profecia, este tipo logo vem a nossa mente. Quando alguém fala em profecia, logo se pensa nos livros de Daniel, Apocalipse, Ezequiel. Mas quero apresentar um outro grupo de profecias.

3. Profecia, segundo o modelo de Ensino. O dom de profetizar, também está relacionado como dom de comunicar a mensagem de Deus através do ensino e da pregação.

Nós também encontramos na Bíblia exemplos de pessoas que desenvolveram este dom de ensinar a vontade de Deus ao povo.

Um outro ponto que devo salientar neste momento: Um profeta nunca se auto-proclama profeta, ele é chamado por Deus. Ele pode ser chamado por Deus para ser profeta por um período ou por toda a sua vida.

Na Bíblia nós temos muitos exemplos de profetas que durante toda a sua vida foram profetas. Um exemplo é Daniel, ele dedicou toda a sua vida a Deus e Deus o usou poderosamente até o ultimo dia de sua vida.

Temos um outro exemplo de profeta por nome de Jaaziel, que foi por pouco tempo. Ele exerceu esse dom só por num momento de crise que o povo de Israel estava passando. (II Crôn. 20) Pelo menos a Bíblia não menciona mais nada a seu respeito.

Mas qual é o objetivo das profecias?

“A luz da profecia ainda brilha para guia das almas, dizendo: Este é o caminho, andai nele. A luz da profecia brilha no caminho do justo para o louvor e no ímpio para guiá-lo ao arrependimento e à conversão.”. E.G.W. M.C.H. pg. 42


Meu amigo, o objetivo que temos a estudar as profecias é descobrirmos o caminho que Deus já mostrou aos nossos antepassados e que certamente será muito útil para nós. O outro objetivo que temos ao estudar as profecias é mostrar um Deus cheio de amor para com os seus filhos no decorrer dos tempos.

Não quero apenas buscar fatos, para entender as profecias, mas quero buscar e mostrar à você, na profecia, como é o Deus que nós cremos.

San Pietro era a mais importante cidade das Antilhas Francesas, na América Central. Era conhecida por sua beleza, diversões e alto comércio. Nela atracavam navios de quase todos os países do mundo. Era uma cidade de vida noturna, e os seus habitantes orgulhavam-se de residir na cidade mais depravada das Antilhas.

Era maio de 1902. O povo foi avisado de que o vulcão Pelee estava dando sinais de erupção. Confiantes em si mesmos, não quiseram fugir. No dia 7 de maio de 1902 uma chuva torrencial desabou sobre a ilha. O dia seguinte amanheceu limpo e fresco. Repentinamente, às 8 horas, houveram duas explosões que foram ouvidas até nas Ilhas Dominicana e Santa Lúcia. Em seguida, uma espessa nuvem, com listas brilhantes, desceu da cratera do vulcão e cobriu totalmente a cidade de San Pietro.

Em 45 segundos, 28 mil habitantes que não acreditaram nas advertências que lhes foram dadas pereceram.

Amigo, como é importante conhecer o que Deus tem a nos dizer. Ele tem muitos conselhos dados através do profetas. Todos estes conselhos advertências proféticas tem o objetivo de proteger e salvar os seus filhos.

As profecias são dadas para iluminar o caminho e levar outros a se converterem a este Deus, que nos ama e está disposto a ajudar você.

Amigo, eu espero que todos nós possamos viver de fato o verso de II Cron. 20:20. “Crede no Senhor vosso Deus, e estarei seguros; crede nos seus profetas e prosperareis”.

PR. ÉLBIO MENEZES

Natural de Miraguaí-RS, casado com Marta Peixoto Menezes, pai de dois filhos, Caroline e Wesley. Trabalhou no Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Norte do Paraná. Está no ministério adventista por 28 anos e nestes anos foi distrital, departamental, secretário e é presidente de campo por 14 anos. Concluiu seu mestrado em teologia pelo UNASP em 2008.

Pensamentos do Espírito de Profecia (2)


AUDITÓRIO DE UM ÚNICO OUVINTE

Certo pastor foi a sua igreja, para pregar, numa manhã chuvosa, e viu que tinha por auditório um único homem. Não queria, no entanto, decepcionar esse ouvinte, e pregou para ele com zelo e interesse. Em resultado, o homem se converteu, e tornou-se missionário, e mediante seus esforços milhares ouviram as boas-novas de salvação.
Obreiros Evangélicos, pág. 167.


DANIEL SILVEIRA

Ancião da Igreja Adventista de Osório-RS. Pai do Ex-pastor Silvio Silveira (Falecido) e casado com Areli Silveira.

terça-feira, 23 de setembro de 2008

Divórcio: Quando a Parte Inocente Pode Iniciar um Namoro?

Consenso da Igreja Adventista do Sétimo Dia -
(baseado em textos do Manual da Igreja e Espírito de Profecia).

O cônjuge vítima de infidelidade está livre para casar-se novamente. Pode começar um namoro antes que o processo do divórcio seja concluído?

1. “Conquanto o casamento tenha sido realizado primeiramente por Deus só, reconhece-se que os homens vivem agora sob governos civis neste mundo. O primeiro fato, portanto, que deve ter-se claramente em conta é que o casamento tem dois aspectos: o divino e o civil. O aspecto divino é regulado pelas leis de Deus; o civil, pelas leis do Estado.” MA, 197.

2. Enquanto o vínculo civil não for desfeito mediante o divórcio, o casamento não está completamente anulado.

Conclusão: a pessoa só estará plenamente livre para iniciar um novo
relacionamento quando o divórcio estiver legalmente concluído.

· Separação ou divórcio.

Procedimentos.

1. “No tocante ao divórcio, Jesus ensinou que a pessoa que se divorcia do cônjuge, a não ser por causa de relações sexuais ilícitas, e casa com outro, comete adultério.” MA, 17.

2. “No Sermão do Monte, Jesus afirmou claramente que não podia haver dissolução do laço matrimonial, a não ser por infidelidade ao voto conjugal.” O Maior Discurso de Cristo, 63.

3. “A separação ou divórcio que resulta de fatores como violência física ou em que não está envolvida a ‘infidelidade ao voto matrimonial’, (...) não dá a nenhum dos cônjuges o direito bíblico de tornar a casar-se, a menos que no ínterim a outra pessoa se tenha casado, haja cometido adultério ou prostituição, ou tenha morrido.” MA, 198.

Material Cedido por: Pr. Leonidas Verneque Guedes - Secretário - UEB
PR. YURI RAVEM
Mestre em teologia e pastor da Igreja Adventista em Pelotas - RS Casado com Andressa, mestre em educação.
Editor Associado do Blog Nisto Cremos e Editor do Blog Igreja Adventista de Pelotas



domingo, 21 de setembro de 2008

Sinais dos Tempos

E, certamente, ouvireis falar de guerras e rumores de guerras... Porquanto se levantará nação contra nação, reino contra reino, e haverá fomes e terremotos em vários lugares. Mat. 24:6 e 7

As profecias não têm como objetivo principal prever o futuro, satisfazendo nossa curiosidade acerca do que vai acontecer. Os que pensaram assim tiveram grandes decepções!

Marcaram datas e eventos que só trouxeram desconfiança e descrença nas Escrituras.

Quando Deus deixou na Bíblia as profecias, o Seu maior objetivo era revelar que Ele está no comando da história desta Terra, e que não é o acaso que governa nossa vida. Por isso, não tenha medo! Não seja um adventista catastrófico! Sinta a paz de saber que Deus nos ama tanto que não nos ocultou Seus desígnios e ações nos últimos dias.

“Certamente, o Senhor Deus não fará coisa alguma, sem primeiro revelar o seu segredo aos seus servos, os profetas.” Amós 3:7

Falsos Profetas

Os sinais não devem ser colocados como base da fé ou demonstração de que aquela pessoa ou igreja é de Deus.

Satanás sabe o poder de atração dos sinais miraculosos, e os usa para seu proveito, enganando muitas pessoas.

“Mágicos e exorcistas, pretendendo miraculoso poder, arrastaram o povo após si,
às solidões das montanhas. Haverá falsos sonhos e visões falsas; pregai, porém,
a Palavra, não vos desvieis da voz de Deus em Sua Palavra.” EF, 19.

A Bíblia está acima dos sinais! Mesmo que fogo caia do céu, se a mensagem contradisser a Palavra, deve ser rejeitada!

Intemperança e Glutonaria

A gastronomia está em alta! Está na moda os pratos exóticos e experimentar os mais diferentes tipos de carnes, como de morcego, macaco, cobras, escorpiões e muitos outros.

Quanto mais conhecimento o mundo tem, mais aumenta a ingestão de alimentos nocivos, como a bebida alcoólica.

Neste aspecto, o maior perigo para os adventistas é o comer em excesso e sem critério.

“Comer, beber e vestir-se tornam-se o alvo da vida para o mundo. Tal estado de
coisas existia antes do dilúvio. E este estado de dissipação é uma das marcantes
evidências da breve terminação da história terrestre.” EF, 21.

Os verdadeiros filhos de Deus seguirão a reforma de saúde revelada no Espírito de Profecia e vencerão o apetite depravado pela glutonaria e intemperança do mundo atual.

Violência e Guerra

Violência urbana, infantil, da mulher, de povos marginalizados; violência é uma das palavras mais ouvidas hoje nos meios de comunicação.

“Os terríveis relatos que ouvimos de homicídios e roubos, de acidentes
ferroviários e atos de violência, declaram que o fim de todas as coisas está
próximo.” EF, 22.

Mesmo com o desenvolvimento das leis civis e direitos humanos, as guerras não cessaram, e continuam evidenciando que este mundo não tem solução humana.

Desastres

Quanto mais nos aproximarmos do fim, mais desastres vão acontecer!

Desastres nas rodovias, nos aeroportos, ferrovias, rios e mares. A cada desgraça que acontece, vemos que o governo de Satanás só traz tristeza e dor. A cada cena de horror que presenciarmos, devemos amar mais a Deus e odiar mais o pecado, que trouxe tudo isso para nosso planeta.

“Esquadras se submergirão, sendo sacrificados milhões de vidas humanas.
Irromperão inesperadamente incêndios que nenhum esforço humano será capaz de
extinguir. Os palácios da Terra serão varridos pela fúria das chamas.
Tornar-se-ão mais e mais freqüentes os desastres de estrada de ferro;
confusão, colisões e morte sem um momento de advertência ocorrerão nas
grandes vias de comunicação. As águas do oceano transporão seus limites.
Propriedades e vidas serão destruídas pelo fogo e por inundações.” EF, 22 e 23

Bolas de Fogo

Deus é justo, e Ele vai retribuir a maldade do mundo. Não sabemos quando e como vai acontecer, mas Deus deixou revelado que esse seria mais um sinal dos últimos dias: “Grandes bolas de fogo caíam sobre as casas e dessas bolas voavam flechas incandescentes em todas as direções. Era impossível apagar os fogos que se acendiam, e muitos lugares estavam sendo destruídos.” EF, 23
Devemos alertar nossos parentes e amigos sobre esses acontecimentos, pois sabemos que somente os fiéis serão protegidos destes juízos que sobrevirão ao mundo.

Catástrofes

O mundo se abalou com uma nova palavra que passou a fazer parte do nosso vocabulário: tsunami.

Já ouvimos falar de terremotos em nosso país e as enchentes estão cada vez mais comuns, mesmo nos lugares onde a seca predomina quase que o ano inteiro. Os cientistas prevêem mais catástrofes por causa do aquecimento global.

“Em incêndios, em inundações, em terremotos, na fúria das grandes profundezas,
nas calamidades por mar e terra, é transmitida a advertência de que o Espírito
de Deus não agirá para sempre com os homens.” EF, 24

Fomes e Epidemias

No momento em que escrevo nosso país enfrenta uma epidemia de Dengue. A AIDS já contaminou um em cada cem jovens e muitas outras doenças assolam a humanidade.

A poluição traz doenças respiratórias e o estilo de vida moderno aumenta as doenças cardiovasculares.

Somos alertados pela Bíblia que a fome e as epidemias aumentarão! O Espírito Santo é retirado da terra e o mundo a cada dia fica nas mãos de Satanás, mas não se esqueça que dos fiéis o Espírito Santo nunca será retirado.

Objetivo de Deus com os Sinais

Além de revelar aos fiéis que Ele está no controle da história, é desejo de Jesus chamar a atenção dos incrédulos.
“Quão freqüentemente ouvimos de terremotos e furacões, de destruição pelo fogo e
inundações, com grandes perdas de vidas e propriedades! Aparentemente essas
calamidades são caprichosos desencadeamentos de forças da Natureza,
desorganizadas e desgovernadas, inteiramente fora do controle do homem; mas em
todas elas pode ler-se o propósito de Deus. Elas estão entre os instrumentos
pelos quais Ele busca despertar a homens e mulheres para que sintam o perigo.” EF, 26.
É impressionante que até nos juízos Deus é amor!

Cada catástrofe que Deus permite Satanás fazer, Deus revela o Seu amor incondicional por nós: crentes ou ímpios!

Deus está no controle! É maravilhoso saber disso e poder confiar em Sua Palavra!

Aceite esse amor! Não deixe Satanás te enganar com as falsas glórias deste mundo. Use seus talentos e dinheiro para apressar a volta de Cristo. Não ajunte tesouros aqui na terra, tudo será destruído!

Jesus provou Seu amor ao morrer por nós, e agora está voltando para nos buscar, e os sinais mostram que “os últimos dias” é o agora!

PR. YURI RAVEM
Mestre em teologia e pastor da Igreja Adventista em Pelotas - RS Casado com Andressa, mestre em educação e diretora do SENAC Pelotas - RS.
Editor Associado do Blog Nisto Cremos e Editor do Blog Igreja Adventista de Pelotas
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...